Anúncios
Sua Página
Fullscreen

Especialista traz dicas para startups que desejam evoluir

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

De cada dez startups que começam a funcionar, sete encerram as atividades entre dois e cinco anos de existência. Entre os motivos mais comuns que levam ao fechamento estão a falta de dinheiro, o modelo de negócio falho, as questões jurídicas e até mesmo a desarmonia na equipe.

Os dados são da pesquisa The Top 12 Reasons Why Startups Fail – feita em 2021 pela companhia americana CB Insights, que fornece inteligência de mercado sobre empresas privadas e atividades de investidores.

Números semelhantes também foram apontados pelo estudo da Fundação Dom Cabral. O levantamento de 2020 apontou que cerca de 25% das startups brasileiras fecham as portas em até dois anos de operação e 50% não sobrevivem por mais de quatro anos. Outra curiosidade é que estar instalada em uma aceleradora, incubadora ou parque tecnológico representa um fator de proteção para a sobrevivência da startup.

Anúncios

“Antes de criar uma empresa de tecnologia, é essencial avaliar se ela vai resolver um problema que existe no mercado e se haverá interesse do público. Não adianta criar um negócio sem bases sólidas. A ideia que parece ser muito boa num primeiro momento pode não sobreviver em pouco tempo”, diz Marilucia Pertile, especialista no tema, fundadora e sócia da aceleradora Start Growth.

Trajetória

Exemplo de que uma aceleradora ajuda no desenvolvimento de uma startup pode ser comprovado com a trajetória da curitibana Pontomais. Com o apoio financeiro e a ‘mão na massa’ de profissionais experientes da Start Growth, em seis anos a novata conquistou 21 mil clientes, abriu 1.200 canais de representação e por quatro anos seguidos ficou na lista do Great Place to Work que aponta ótimos lugares para trabalhar. Com todos esses resultados, a Pontomais chamou atenção e foi adquirida pelo Grupo VR (Vale Refeição).

“Quando você inicia um negócio, é muito difícil entender qual é o potencial disso. Ter uma aceleradora nos ajudou. A gente poderia estar dez vezes menor do tamanho que estamos hoje”, explica Hendrik Machado, CEO da Pontomais.

Caso similar foi o da Vhsys, desenvolvedora de um sistema de gestão empresarial que ajuda o pequeno e microempreendedor a crescer. Com apoio estratégico e investimento financeiro, a empresa de São José dos Pinhais quadruplicou de tamanho em apenas dois anos e pouco tempo depois foi vendida para a fintech Stone.

Anúncios

“Ter pessoas com bagagem corporativa ao lado faz com que a gente tome decisões corretas e acerte nos caminhos que vamos trilhar. Isso faz toda diferença”, conta Reginaldo Stocco, CEO e fundador da Vhsys.

Análise criteriosa

Para ajudar novos empreendedores a se destacar no mercado e expandir os negócios, uma aceleradora da capital paranaense vai selecionar três startups para receber aporte financeiro, mentorias, acompanhamentos e suporte na operação diária. Ao todo, 118 novatas de todo Brasil se inscreveram no edital.

Leia ou ouça também:  Especialistas alertam síndicos sobre manutenção de bomba d'água em condomínios

Representantes do Vale do Pinhão, Sebrae, Habitat Senai/FIEP, Inovação Fecomércio e outros convidados vão participar do encontro que acontece em Curitiba, na próxima quinta (18 de maio), para conhecer os critérios de avaliação e as novidades apresentadas. O evento será transmitido ao vivo, às 17h, pelo www.youtube.com/startgrowth e os futuros empreendedores também poderão acompanhar.

“Estamos analisando detalhadamente a proposta dessas startups, avaliando a estratégia e planejamento de vendas, o índice de satisfação dos consumidores, o perfil dos sócios, a cultura interna, o relacionamento com investidores passados e também vamos falar com fornecedores e clientes”, explica Marilucia.

O que saber antes de criar uma startup

Anúncios

Para ajudar quem já lançou suas empresas recentemente e aqueles que pretendem fazer isso, a especialista da aceleradora Start Growth dá algumas dicas.

1) Produto ou serviço inovador: É importante que o negócio ofereça algo único, disruptivo, inovador e que atenda a dores latentes do mercado alvo.

2) Tamanho do mercado: Tem que avaliar o tamanho do mercado potencial para saber a elasticidade do crescimento que pode ser conquistado.

3) Equipe: É fundamental que a equipe – incluindo os fundadores – sejam competentes e comprometidos com o futuro do projeto.

4) Tração: Aqui é verificado se a startup está conseguindo atrair um número relevante de oportunidades de negócios potenciais para venda, se tem um caixa bom para reter e manter os clientes, sem que eles busquem outras opções no mercado. 

5) Investimentos: Nesta fase é analisado se a startup é atraente para receber bons investimentos de fundos experientes ou de investidores reconhecidos no mercado.

Mais informações sobre a aceleradora Start Growth no site www.startgrowth.com.br

Última atualização da matéria foi há 1 ano

Anúncios

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights