Sua Página
Fullscreen

Osório de Moraes investe no segmento da queda capilar

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

O centenário Laboratórios Osório de Moraes, conhecido em todo o território nacional por produtos como Auris-Sedina e Pílulas Imescard, foi adquirido por um grupo de investidores mineiros, liderado pelo empresário Antônio Carlos Vargas. O valor da transação da compra não foi divulgado, mas a expectativa é que haja um investimento acima de R$ 300 milhões nos próximos cinco anos. O primeiro passo para a expansão da indústria já está acontecendo e nada de pensar pequeno. O Laboratórios Osório de Moraes investe no segmento de prevenção e tratamento da queda capilar. A indústria está produzindo e comercializando nacionalmente uma formulação antiqueda capilar, resultado de mais de 20 anos de estudos clínicos da UFMG, com uso da engenharia genética.

Nome conhecido no cenário da indústria farmacêutica brasileira, Vargas já passou pelo Laboratório Teuto Brasileiro e foi fundador da Pharlab Indústria Farmacêutica S/A. Natural da cidade de Lagoa da Prata, em Minas Gerais, o empresário explica que a entrada no segmento de inovação tecnológica antiqueda capilar é estratégica, pois o setor está em plena expansão no Brasil. “É uma das áreas que mais crescem no mercado nacional. Unimos ciência, tecnologia e a credibilidade de mais de 100 anos do Laboratórios Osório de Moraes, com uma capacidade de distribuição única”, avalia Vargas.

Encontro em São Paulo

Na sexta-feira, dia 7 de julho, os cientistas que estiveram à frente dos estudos científicos que resultaram no desenvolvimento da solução antiqueda capilar, estarão em São Paulo (capital), na sede da faculdade ISMD (Instituto Superior de Medicina), na Vila Mariana, para um bate-papo com cerca de 100 dermatologistas para um detalhamento da pesquisa.

Sobre a formulação desenvolvida pela UFMG

Batizada de ENDCALVE, a fórmula é resultado de mais de 20 anos de estudos científicos e testes clínicos. A pesquisa foi desenvolvida por um grupo de cientistas do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Nanobiofarmacêutica (INCT NanoBiofar), utilizando constituintes inovadores, possibilitando a preservação e o estímulo folicular, comprovado em experimentos envolvendo engenharia genética.

A UFMG recentemente recebeu do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), o registro definitivo da patente da sua formulação antiqueda capilar. A Patente Registrada, que dá direito à fabricação, distribuição e exploração comercial do produto, foi licenciada pela UFMG ao “Laboratórios Osório de Moraes”, empresa fundada há 101 anos, com parque industrial localizado em Contagem, e com atuação comercial em todo o território nacional.

Segundo a cientista da UFMG, Ana Paula Corrêa Oliveira Bahia, o que diferencia essa formulação das demais disponíveis no mercado é a técnica da terapia combinada, possibilitando o aproveitamento pleno dos princípios ativos biocompatíveis com o poder de penetração da nanoencapsulação. O lipossoma usado na fórmula tem grande afinidade com folículo piloso, favorecendo a liberação local dos componentes com alta performance, propriedade exclusiva dessa formulação.

Leia ou ouça também:  Empresa de carimbos lança programa de afiliação para empresários digitais

Ela detalha, ainda, que a tecnologia é inovadora porque inaugura um conceito de tratamento que combina o poder dos seus constituintes biocompatíveis (aceleradores do metabolismo folicular) –  responsáveis pelo estímulo do bulbo, disponibilizados diretamente no folículo piloso – frente ao alto poder de penetração das partículas nanoencapsuladas, “componentes nanotecnológicos” (partículas com dimensões menores que 100 nanômetros)”, assegurando a alta eficácia do tratamento. A solução foi desenvolvida com o intuito de promover a recuperação do bulbo capilar, garantindo a estabilidade e biodisponibilidade real de princípios ativos bioidênticos.

Isenta de efeitos colaterais

A cientista relata que os estudos científicos indicaram que o uso tópico da formulação não causa os temidos efeitos colaterais comumente verificados em outras formulações e/ou tratamentos da Alopecia, como disfunção erétil, irritação cutânea localizada, alergias e fotossensibilidade, resultando na alta segurança dermatológica no seu uso: “A ausência dos efeitos colaterais se deve ao mecanismo de ação que utiliza constituintes biocompatíveis, ou seja, componentes produzidos pelo próprio corpo, sem substâncias estranhas como os demais, e sem interação com a corrente sanguínea”.  

O produto é eficaz em pessoas que ainda possuam o folículo piloso, pois é ali o foco da ação da formulação, pessoas que estão perdendo os fios, homens e mulheres, que ainda possuem o folículo podem se beneficiar da tecnologia.

Última atualização da matéria foi há 11 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights