Adriana Bombassaro: “Assistentes virtuais podem apoiar a transformação”

 Adriana Bombassaro

Adriana Bombassaro tem experiência profissional de 20 anos em Tecnologia da Informação. É bacharel em Ciências da Computação pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), com MBA em Gestão de Empresas e especialização em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem certificação internacional em Gestão de Projetos Sociais pela ISE Business School. Atualmente é diretora de operações e cofundadora da FastBuilt. A FastBuilt é uma plataforma para trazer agilidade, rapidez, eficiência e transparência para o relacionamento das construtoras e incorporadoras com seus clientes. A empresa foi fundada em 2018. A solução permite a gestão de manuais dos proprietários, facilitando o acesso do cliente às informações sobre o seu imóvel. Além disso, o consumidor pode acessar fotos, projetos, fornecedores, garantias, e solicitar assistência técnica do seu imóvel de qualquer dispositivo móvel, tendo em mãos uma ferramenta única para o atendimento rápido e eficiente. “As assistentes virtuais são somente a interface com o cliente, elas utilizam, na verdade, o banco de conhecimentos gerado nas empresas, esse é o maior ativo das organizações, pois, independente de pessoas o banco de conhecimento permanece como um ativo da empresa, gerando economia de tempo e de equipes para atender situações que são possíveis de serem automatizadas”, afirma.

Adriana, como você enxerga a relação das empresas com as assistentes virtuais?

Como toda facilidade que a tecnologia traz, ela precisa ser entendida antes de ser implantada nas empresas, você precisa entender o processo onde ela irá fazer parte: é um processo que trará benefícios para minha empresa e para meu cliente? Se a resposta for sim para os dois, aí devemos dar andamento na adoção da assistente virtual.

Esse seria o grande fenômeno da transformação digital?

Não diria isso, o grande fenômeno da transformação digital são as pessoas. É como as pessoas irão entender os processos organizacionais e encaixar as tecnologias que existem e as que estão surgindo. A mola propulsora da transformação digital, na minha opinião, são as pessoas, sem um novo olhar e pensamento sobre os processos de negócio e as tecnologias nada irá mudar.

Como as assistentes virtuais podem transformar um negócio?

As assistentes virtuais podem apoiar a transformação de um negócio quando elas assumem e solucionam problemas dos meus clientes, para que isso ocorra ela precisa ser implementada com recursos que a façam aprender ao longo do tempo.

A automação de tarefas básicas seria o primeiro passo para o uso das assistentes virtuais?

Sim, pois, essa automação permite gerar base de conhecimento para que, a posteriori, as assistentes virtuais usem essa base para entender, aprender e responder aos clientes.

Quais tarefas básicas poderiam ser automatizadas com a ajuda de assistentes virtuais?

Depende de cada segmento de mercado. Em alguns seriam os extratos e saldos, em outras reservas, em outras sugestões de cardápios baseados nas minhas preferências. Em geral, todos estão ligados ao atendimento ao meu cliente – quer seja ele externo ou interno.

Como essa Inteligência Artificial pode ajudar no atendimento a um cliente?

Se a empresa que adotar essa IA realmente fizer a tarefa de casa, que é acompanhar e entender o comportamento das funcionalidades que ela disponibilizou para o usuário e gerar inputs para o acesso do cliente, ela poderá, por exemplo, vender mais mostrando diversas opções ao consumidor de acordo com o histórico de compra e consumo dele, ou se o cliente abre uma solicitação de atendimento e ela já tem mapeado soluções para esse tipo de questionamento, a assistente retorna as instruções instantaneamente ao usuário, para que ele mesmo resolva o seu problema sem que dependa da empresa ou setor disponível para ajudá-lo. No setor da construção civil, o problema pode ocorrer durante o final de semana, quando não há expediente para atender ao cliente, se a construtora realmente criar sua base de conhecimentos com a IA, ela conseguirá atender esse consumidor e o deixará extremamente satisfeito e sabendo que estão pensando nele enquanto cliente.

Por onde passa a contratação de talentos quando se utiliza do auxílio de assistentes virtuais?

Essa contratação passa por você ter talentos no processo de negócio e na equipe de tecnologia que irá apoiar a implementação das Assistentes, pois, a tecnologia é um suporte e deverá ser muito bem pensada e escolhida com cuidado, mas a mola propulsora para as assistentes realmente atenderem os clientes com excelência são as pessoas da área de negócio.

Como as empresas tendem a ganhar um foco maior nos resultados e uma economia do tempo com as assistentes virtuais?

As assistentes virtuais são somente a interface com o cliente, elas utilizam, na verdade, o banco de conhecimentos gerado nas empresas, esse é o maior ativo das organizações, pois, independente de pessoas o banco de conhecimento permanece como um ativo da empresa, gerando economia de tempo e de equipes para atender situações que são possíveis de serem automatizadas.

A FastBuilt tem utilizado esse sistema com primazia?

A FastBuilt vem aprimorando o uso desse sistema para que possamos entregar aos nossos clientes uma plataforma que realmente os apoie na jornada de relacionamento das empresas com seus clientes.

Qual a importância desse sistema trazido com a transformação digital para o setor de atuação da FastBuilt?

O setor da construção civil vem aderindo de forma rápida a transformação digital e se adaptando ao novo estilo de consumidor que se modificou muito durante a pandemia e somente com a adoção de tecnologias será possível atender com excelência esse novo consumidor.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content