Ana Debiazi: “Traçamos metas de crescimento dos indicadores”

Ana Paula Debiazi

Ana Paula Debiazi, CEO da Leonora Ventures, é graduada em Economia pela UFMS com pós-graduação em Administração de empresas pela FGV, especialista em Controladoria e Finanças pela FGV e MBA em Gestão de Negócios pela USP. Ana acumula mais de 15 anos de experiência em cargos de gestão, passando por grandes empresas de diversos setores. Nos últimos anos, já em Florianópolis, atuou como COO de duas startups, obtendo resultados expressivos de crescimento e expansão. A Leonora Ventures é uma Corporate Venture Builder com DNA inovador e com proposta de trazer soluções para os setores de educação, logística e varejo. Tem o objetivo de fomentar ideias inovadoras de educação e varejo, promovendo a aproximação entre organizações já consolidadas e startups. Pertencente ao grupo FCJ Venture Builder, multinacional que leva a inovação como base de ação com sede em Belo Horizonte (MG), pioneira no ramo de Venture Building na América Latina, presente também nos Estados Unidos, na Europa e no México. “A maior missão da empresa é sem dúvida encontrar e desenvolver negócios exponenciais, trazendo retorno para nossa corporação, nossos investidores e contribuindo ativamente com o ecossistema de inovação. No nosso manifesto dizemos que somos a favor do empreendedorismo e esse é nosso maior propósito, acreditamos que esses novos e inovadores negócios serão capazes de alterar a realidade do nosso país”, afirma.

Ana, como analisa o papel da Leonora Ventures em seu ecossistema de atuação?

A Leonora Ventures é um hub de inovação, ligado aos principais atores do ecossistema de inovação, como startups, investidores, empresas e mentores. Ajudamos as startups a realizar a PoC (Proof ofs Concept, traduzindo como prova de conceito) de seu MVP (Minimum Viable Product – versão mínima do produto), junto com nossa corporate e rede de parceiros; e sabemos o quão difícil é para a startup ter onde iniciar sua rota fazendo os testes de seus produtos ou serviços para entrada no mercado. Além disso, atuamos diretamente com os gaps de operação que a startup possui, ajudando-a na tração e escala do mercado. Com as empresas, atuamos como terceirização de serviços de inovação aberta, ajudando-as no dia a dia com as startups, implementando suas soluções, e mantendo a operação no foco principal. Os investidores que estão conosco, são nossos sócios e nos ajudam na escolha das startups; além de terem preferência nos aportes diretos das startups que abrem rodada para investimento. As startups têm acesso facilitado ao mercado internacional, caso seja de seu interesse.

Por que acredita que a Leonora se diferencia de outras que atuam em seu setor?

Quando falamos em terceirização de serviços para as empresas que estão fazendo ou querem fazer inovação aberta, atuamos desde o mapeamento das dores da corporação até a implantação e acompanhamento das startups em seu dia a dia; o que os demais programas não realizam, eles apenas são pontes de ligação entre dores repassadas pelas corporações com startups de seu ecossistema. Com os investidores, além deles iniciarem sua jornada sendo nossos sócios, com participação em nosso estatuto, e terem preferência de investimentos diretos; ainda tem o risco de investimento mitigado, tendo em vista as startups do nosso portfólio serem acompanhadas através de KPIs (Kay performance indicator – indicadores chave de performance) e OKRs (Objectives and key results – objetivos e principais resultados), e apenas permanecem conosco as que estão performando. E as startups possuem acesso ao mercado com todos os clientes de nossa corporate, mais de R$12 mil, e possuem uma equipe altamente qualificada para seu acompanhamento.

Quais são os pilares da venture?

Focamos em startups que estejam relacionadas com a necessidade do mercado amplo para atendimento do varejo, logística/mobilidade e educação. Com ramificações em pautas como ESG e inclusão. Nossa tese é em startups B2B, com pelo menos 2 fundadores, sendo 1 deles com dedicação integral. As startups precisam estar em estágio de MVP até scale up. Buscamos pessoas para estar ao nosso lado que tenham o chamado “skin on the game” ou seja, que realmente esteja focado no crescimento de sua startup, e quer no futuro (não muito longe) ter um belo exit!

Como esses pilares são fundamentais para o seu desempenho no mercado?

Trabalhamos lado a lado com os fundadores, traçamos metas de crescimento dos indicadores e de objetivos. Para que seja alcançado estas metas, os fundadores devem estar no front de suas startups, e trabalhando para que a tração aconteça. Já estamos colhendo bons frutos, com startups recebendo investimentos anjo e sendo buscadas por fundos nacionais e internacionais.

Ideias inovadoras são as que mais atraem a Leonora Ventures para se associar a outros projetos?

Ideias inovadoras é o que impulsiona nosso mercado. Sempre destacamos com as startups “qual o seu diferencial no mercado”. Se a startup está entrando em um mercado já povoado por concorrentes, qual o diferencial que o faz ser escolhido frente a estes concorrentes? Temos um mercado em crescimento de muito mais do mesmo; e os investidores, que estão de olho grande no mercado, querem diferenciais competitivos que venham gerar lucro futuro. Focamos no futuro, e para que isto ocorra, o diferencial de inovação é fundamental. Buscamos startups que tragam aumento de eficiência para a gestão e tragam novos negócios para o mercado em que atuamos.

A escolha da Cognvox se deu por essas razões?

Sim, a Cognvox olha para um mercado carente, pessoas em idade escolar com deficiência cognitiva. Eles buscam desenvolver estes cidadãos, tornando-os pessoas economicamente ativas e indivíduos capazes de ser independentes; envolvendo escolas, professores, profissionais da saúde e familiares. Temos com a Cognvox o tema da inclusão, educação e saúde, que atende o Brasil e todo o mundo. Estudos mostram que quase 2% da população mundial possui algum déficit cognitivo, e pouco mais de 1% dos indivíduos com alguma deficiência entram no mercado de trabalho. A Cognvox possui fundadores altamente qualificados, mestres e doutores, que atuam há anos com este tema. O sistema criado por eles, baseado em um modelo SaaS (Service as a software, software como serviço) tem por trás uma tese de pesquisa desenvolvida por um de seus fundadores, ou seja, além de todo o aspecto social de uma startup como esta, a Cognvox ainda consegue unir um modelo de negócios altamente interessante do ponto de vista do investidor, com pesquisa séria e relevante.

O que você pode ressaltar sobre essa parceria?

Nossa parceria visa dar velocidade ao crescimento da startup. Já atingimos, em poucos meses (iniciamos em julho os trabalhos com eles), alguns resultados fantásticos, como: pipeline de oportunidade de vendas de mais de R$60 milhões para prefeituras no Brasil; parceria para abertura internacional em Portugal, Reino Unido e Emirados Árabes; investimento anjo de R$300 mil; proposta de parceria no mercado educacional privado, entre outras portas que estão se abrindo. Isso demonstra que realmente temos uma plataforma única e diferenciada!

Como é feita a avaliação das empresas que podem ser parceiras em potencial da Leonora?

Estamos com inscrições abertas em nosso site para startups que queiram estar conosco. Basta a startup entrar em www.leonoraventures.com.br e se cadastrar. Buscamos startups B2B, com foco em atendimento geral ao mercado varejista, logística/mobilidade e educação, que tenha pelo menos 2 fundadores. Ao se cadastrar, nossa equipe fará contato para entender mais sobre a startup, e ver se há fit com o que buscamos. Negociamos o equity e levamos a startup para nosso evento de seleção com Conselho e Investidores, que irão dar o aval de entrada da startup em nosso portfólio. Também, lançamos desafios de acordo com as necessidades das empresas que fazem inovação aberta conosco.

O propósito social de uma empresa que passe pelo crivo da Leonora se torna importante também?

Sim, com certeza! A Leonora como corporação está sempre buscando soluções ligadas ao ESG. A startup ter um propósito social é um diferencial!

Qual seria a maior missão da Leonora?

A maior missão da empresa é sem dúvida encontrar e desenvolver negócios exponenciais, trazendo retorno para nossa corporação, nossos investidores e contribuindo ativamente com o ecossistema de inovação. No nosso manifesto dizemos que somos a favor do empreendedorismo e esse é nosso maior propósito, acreditamos que esses novos e inovadores negócios serão capazes de alterar a realidade do nosso país, devolvendo a comunidade e a todos nós melhores soluções para questões que enfrentamos diariamente.

Quais os próximos passos da empresa?

Expandir nossa atuação junto às empresas que queiram fazer inovação aberta e fomentar o intraempreendedorismo; aumentar a quantidade de startups em nosso portfólio, de 8 neste ano para até 20 em 2022; e, quem sabe, abrir um Venture Capital junto às empresas e investidores parceiros. E, com todo o trabalho que estamos fazendo, realizar um bom exit com algumas startups que estão em nosso portfólio.

Compartilhar:
Tags:
Voltar ao Topo
Skip to content