Anúncios
Sua Página
Fullscreen

Brasil na Era do Áudio: 90% de consumidores

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

O lançamento da rede social AirChat revisitou uma questão pertinente: estamos na era dos áudios? Autodenominada um “walkie talkie social”, a plataforma permite que os usuários se comuniquem principalmente mediante mensagens de áudio. Diferente do Clubhouse, que alcançou popularidade durante a pandemia, o AirChat apresenta um feed de publicações e perfis para acompanhar, além de utilizar Inteligência Artificial para transcrever os áudios gravados pelos usuários.

A realidade é que, no Brasil, vivemos a era dos áudios há algum tempo — e não há perspectiva de que termine por aqui. Para Leopoldo Jereissati, publicitário e sócio fundador da All Set, a comunicação por áudio é a forma mais natural de interação humana, um comportamento que aprendemos desde a infância. “No Brasil, a alfabetização ainda é um desafio — há 9,6 milhões de pessoas, com 15 anos ou mais, analfabetas no país. O áudio pode ser uma forma mais acessível de comunicação. O crescimento do uso de mensagens de voz no WhatsApp exemplifica essa tendência”, explica o publicitário.

O impacto do rádio na cultura brasileira

Uma pesquisa publicada pela Kantar IBOPE Media revelou que o rádio, no Brasil, é consumido por 8 em 10 brasileiros. Jereissati explica que o poder do áudio está em capturar a atenção das pessoas, especialmente em um mundo onde somos constantemente bombardeados por informações visuais. “O rádio, por exemplo, ainda possui uma capacidade única de prender a atenção do ouvinte, mesmo em meio a tantas distrações visuais”, observa.

Anúncios

Vale ressaltar que, segundo o estudo da Kantar, os formatos mais lembrados de rádio são comerciais entre os programas e as músicas (50%), ações publicitárias feitas por locutores (25%) e promoções na programação (25%). O espaço faz parte da estratégia de comunicação das grandes marcas: 99 dos 100 maiores anunciantes do país em 2022 utilizaram o meio em suas campanhas no primeiro semestre de 2023. Esse dado demonstra a importância contínua do rádio e do áudio como ferramenta eficaz de marketing e comunicação.

A evolução das redes sociais para o áudio

A ascensão do áudio nas redes sociais reflete uma combinação de acessibilidade, capacidade de capturar atenção e conexão emocional. O futuro, no entanto, parece apontar para uma integração mais ampla de diferentes formatos, sugerindo que o áudio poderá ser apenas uma parte de um ecossistema de comunicação mais diversificado e multimídia.

Plataformas como o Clubhouse tiveram um impacto significativo durante a pandemia, mas seu uso diminuiu à medida que a vida voltou ao normal. O AirChat, no entanto, pode ser visto como uma evolução natural, integrando elementos de redes sociais tradicionais com a conveniência e o impacto emocional do áudio. A Inteligência Artificial para transcrição de áudios é um passo adiante, tornando o conteúdo mais acessível e navegável.

Acessibilidade e inclusão através do áudio

No Brasil, onde a alfabetização ainda enfrenta grandes desafios, o áudio oferece uma forma de comunicação mais acessível. As mensagens de voz no WhatsApp são um excelente exemplo dessa tendência, permitindo que pessoas com dificuldades de leitura e escrita se comuniquem de maneira eficaz. Além disso, o áudio elimina barreiras tecnológicas e sociais, tornando a comunicação mais inclusiva.

Anúncios

Leopoldo Jereissati destaca que essa forma de comunicação é instintiva e natural para os seres humanos. Desde a infância, aprendemos a nos comunicar verbalmente antes de aprender a ler e escrever. Portanto, a adoção do áudio como meio principal de comunicação nas plataformas digitais pode ser vista como um retorno às nossas raízes mais básicas de interação humana.

O poder de capturar a atenção

Em um mundo onde somos constantemente bombardeados por estímulos visuais, o áudio tem a capacidade única de capturar a atenção das pessoas de forma eficaz. A escuta ativa permite uma conexão mais profunda e pessoal, algo que muitas vezes se perde na comunicação visual. Jereissati observa que o rádio, por exemplo, ainda possui uma capacidade única de prender a atenção do ouvinte, mesmo em meio a tantas distrações visuais.

Leia ou ouça também:  Sarit Larisch inova contra o câncer de mama

Essa característica é especialmente valiosa para anunciantes. A eficácia dos comerciais de rádio e das ações publicitárias feitas por locutores demonstra o poder do áudio em capturar a atenção e gerar impacto. As promoções na programação de rádio também contribuem para essa eficácia, mantendo os ouvintes engajados e atentos às mensagens transmitidas.

O futuro do áudio nas redes sociais

Há espaço para uma rede social apenas de áudio? Depois do auge e declínio do Clubhouse, há dúvidas. Jereissati acredita que a tendência futura é a multiplataforma, com a integração de diferentes mídias. “Recentemente tivemos a evolução do rádio para os videocasts, inclusive em aplicativos como o Spotify, que também começou a incorporar vídeos para aumentar a atenção do público”, ressalta.

O futuro das redes sociais de áudio parece estar na integração com outras formas de mídia. O áudio pode ser combinado com vídeo, texto e outros formatos para criar uma experiência mais rica e envolvente. Isso não só aumenta a acessibilidade, mas também mantém os usuários engajados por mais tempo. As plataformas que conseguem integrar esses diferentes formatos de maneira eficaz terão uma vantagem significativa no mercado.

A emoção e a conexão através do áudio

Uma das razões pelas quais o áudio é tão poderoso é sua capacidade de transmitir emoção de maneira eficaz. A voz humana pode comunicar nuances e sentimentos que muitas vezes se perdem na comunicação escrita. Isso cria uma conexão mais profunda e pessoal entre os comunicadores.

As mensagens de voz no WhatsApp, por exemplo, permitem que as pessoas transmitam emoções de maneira mais autêntica. Isso é especialmente importante em um mundo digital onde a comunicação pode muitas vezes parecer impessoal e desconectada. O áudio, com sua capacidade de transmitir emoção, ajuda a humanizar a comunicação digital e a fortalecer as conexões pessoais.

Anúncios

A Era do Áudio está aqui para ficar?

A ascensão do áudio nas plataformas digitais e na comunicação de massa no Brasil é uma tendência que não mostra sinais de desaceleração. Com a acessibilidade e a capacidade de capturar a atenção e transmitir emoção, o áudio se tornou uma ferramenta essencial em nossa era digital. A chegada de novas plataformas como o AirChat e a contínua popularidade do rádio são provas de que estamos, de fato, na era dos áudios.

O futuro, no entanto, parece apontar para uma integração mais ampla de diferentes formatos de comunicação. O áudio continuará a ser uma parte importante desse ecossistema multimídia, mas será complementado por outros formatos que juntos criarão uma experiência de comunicação mais rica e diversificada. Seja através de mensagens de voz no WhatsApp, comerciais de rádio ou plataformas sociais de áudio, o poder do áudio está aqui para ficar, moldando a maneira como nos comunicamos no Brasil e além.


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights