Bruno Grillo: “O principal propósito da Hunter é impactar”

 Bruno Grillo

Quatro empresários resolveram investir em um formato que busca facilitar o acesso a automóveis para quem deseja trabalhar como motorista de aplicativo. Assim nasceu a Hunter, empresa que desde outubro de 2019 simplifica a aquisição do automóvel, conectando quem tem um carro com quem precisa alugar um. Voltada para motoristas profissionais de aplicativos e também em prestadores de serviços de delivery, a marca proporciona o acesso ao mecanismo de trabalho, de forma que motoristas sem carro tenham a possibilidade de adquirir o automóvel ao final do contrato. Interessados em alugar um carro, assim como em colocar o seu carro para locação, bastam contactar a empresa e passar por uma análise de perfil Hunter. Com tecnologia de ponta, em todos os detalhes, apresentam veículos 100% rastreados por uma central própria de monitoramento que oferece suporte operacional ao motorista e assistência 24h. Atualmente, a Hunter conta com cerca de 30% da frota própria e 70% de carros de investidores – proprietários. A empresa ainda administra o bem de quem também tem interesse em colocar seu carro muitas vezes em desuso, parado na garagem, para aluguel. Bruno Grillo, CEO da Hunter, conta que até mesmo em meio a pandemia os negócios continuaram a se solidificar, conquistando novos clientes. Com um modelo de negócios totalmente adaptável as novas realidades, os sócios buscam inovar.

Bruno, a Hunter nasceu em 2019. Quanto tempo demorou da idealização para a execução do projeto?

O projeto da Hunter foi idealizado durante o ano de 2018, pois, buscava por investimentos que oferecessem segurança e alta rentabilidade; não encontrei, então resolvei criar a Hunter.

O esboço e execução do projeto teve início em fevereiro de 2019, quando compilei ideias e desbravei numa pesquisa de mercado com mais de 300 motoristas de aplicativos no intuito de conhecer as dores e as fraquezas que o negócio proporcionava e, futuramente, transformá-lo em um investimento seguro e bem rentável: o aluguel de veículos para motoristas de app. Ao terminar a pesquisa, resolvei formar a equipe de Board Hunter e convidei o Sidney Prado para ser o CFO, Iago Iule para ser o CMO e Rodrigo Branco para ser o CIO.

Quais os grandes obstáculos que tiveram que ser vencidos para que o negócio tomasse corpo de fato?

O principal propósito da Hunter é impactar – de maneira positiva – as vidas dos motoristas de aplicativos, porém, uma das maiores dificuldades que enfrentamos foi fazer com que eles enxergassem o real valor agregado do novíssimo produto Hunter (locação com opção de compra). Ao mesmo tempo, tal motorista tinha que ter o perfil de motorista Hunter (um profissional impecável). Hoje temos mais de 7mil motoristas na fila de espera por um carro da Hunter.

A fim de darmos segurança ao negócio, outro grande obstáculo foi convencer uma seguradora cadastrada na SUSEP a criar um produto inexistente no país (seguro da frota Hunter, onde 90% são carros de terceiros e o condutor será um outro terceiro). Depois de várias reuniões, conquistamos a confiança e a parceria institucional da HDI Seguros e hoje temos mais 3 seguradoras parceiras cadastradas na SUSEP como opção.

Como o negócio estava se portando antes da pandemia?

Antes da pandemia a Hunter encontrava-se em uma crescente de processos digitais e de adaptação de equipe; com a chegada da pandemia os processos digitais da Hunter foram acelerados em um ano. A Hunter nasceu com base em pilares digitais, então, conseguiu se adaptar, facilmente, às adversidades e às dificuldades do mercado na pandemia.

Por exemplo: a central de atendimento Hunter (central automatizada – Hunter Bot) foi um projeto desenvolvido pelo setor de tecnologia para ser implementado em 18 meses (previsão setembro de 2021), porém, com o ápice da pandemia, o projeto foi acelerado e no segundo mês de pandemia (maio de 2020), ele foi implantado por nossa área de TI.

A pandemia, mesmo com todos os problemas causados ao mercado e ao cenário mundial, de certa forma acelerou a transição da Hunter para processos mais automatizados e para uma evolução no cenário de startup.

O que mudou de 2020 para cá?

O mercado da Hunter ficou superaquecido, tanto para a locação de veículos quanto para os produtos de investimentos. Nessa transição de 2020 para 2021 a Hunter deu mais atenção à Governança Corporativa, e adaptou os processos de Compliance da empresa e preparou a equipe para trabalhar 100% home office por quantos dias forem necessários.

Como funciona o plano de negócios da Hunter?

O modelo de negócios da Hunter funciona como modelo Multi-faces, também conhecido como Plataforma Multilateral, atendendo assim, dois grupos distintos de clientes. De um lado temos o proprietário do veículo, que vê na Hunter uma forma de rentabilizar seus recursos através de um bem; Do outro lado temos o motorista profissional, que aluga o veículo e através dele gera renda dirigindo para plataformas como a Uber, 99, Cabify, Loggi entre outros.

A Hunter se remunera entre a taxa paga pelo motorista e o valor repassado para o proprietário, em troca oferece toda gestão que envolve os aspectos comerciais, contratuais e operacionais do negócio.

Esse plano teve que ser modificado em algum momento?

A maior modificação do plano de negócios da Hunter foi no início, pois, a princípio nossa ideia era dar consultoria para que o proprietário do veículo alugasse seu carro de forma segura (em todos os sentidos), porém, instantaneamente, esse mesmo público começou a demandar que fizéssemos a gestão da locação, o que fez nosso negócio expandir exponencialmente.

Na verdade, nosso plano de negócios sofre uma constante evolução, a cada 3 meses revemos e fazemos pequenos ajustes. Nesse momento, estamos trabalhando nele para oferecer uma gama maior de produtos e serviços, mas os detalhes ainda são top secret e quando acontecerem vocês saberão em primeira mão.

A Hunter é um negócio inovador. Qual a importância da inovação para os pilares que foram pré-estabelecidos pela empresa?

A inovação na Hunter vai desde os processos mais simples – como as demandas diárias do escritório – aos processos mais complexos que são os de locação do veículo por meio de ferramentas digitais e um modelo de investimento seguro que oferece uma rentabilidade anual média de 50%.

Nesse sentido, como toda empresa, ao longo de sua trajetória existem adaptações ao mercado de trabalho e a demanda atual. A Hunter por possuir um modelo de negócio altamente disruptivo e inovador conseguiu se adaptar tanto com a variação de demanda do mercado (por questões relacionadas ao Covid-19), quanto com o crescimento veloz da empresa no mesmo período (expansão territorial, implementação de novos produtos, aumento de equipe, treinamentos e processos internos).

A Hunter possui processos pré-estabelecidos como em outras startups, porém, com base na economia criativa, consegue adaptá-los rapidamente conforme a mudança do mercado por meio de melhorias contínuas com o intuito de deixar o negócio cada vez mais sustentável. A inovação está ligada, diretamente, ao dia a dia da Hunter em se reinventar perante as dificuldades que o mercado de locação oferece. Sem dúvida, somos resilientes, pois, possuímos elevada capacidade de adaptar ou criar produtos que envolvam o nosso business.

Qual o maior impacto que a Hunter traz para o seu mercado de atuação?

Com certeza, a Hunter tem o propósito de impactar vidas por meio de soluções inteligentes tanto para o mercado de investimento (por ser seguro e oferecer alta rentabilidade) quanto para motoristas de aplicativo (por não possuírem crédito no mercado para alugar ou comprar um veículo).

Portanto, transformamos o mercado tradicional de investimentos – quanto mais rentabilidade mais riscos – em mais rentabilidade e menos riscos.

Também transformamos o mercado de locação de veículos para motoristas de aplicativos – dando crédito para quem não tem crédito e, ao mesmo tempo, dando-os a oportunidade de conquistar um veículo ao final do contrato.

É válido destacar que, no mercado ligado aos motoristas, a Hunter possui um impacto estrondoso, pois, é a única locadora no Brasil que oferece crédito para pessoas que possuem restrições financeiras no CPF; além disso, possui também diversos produtos agregados que melhoram as condições de trabalho dos clientes – motoristas – como: seguro de uma seguradora SUSEP, assistência 24hr Hunter, processos digitais facilitando a tratativa de contratação da locação Hunter e o veículo ao final do contrato (sem custo adicional) como bônus pelo cumprimento do mesmo.

Como o diferencial competitivo, a sustentabilidade e a economia criativa fazem parte do DNA da Hunter?

Desde a fundação, temos como base a economia criativa e sempre implementamos, culturalmente, práticas de “Capitalismo Consciente” onde todos os fornecedores, parceiros, investidores e colabores Hunter precisam lucrar de maneira consciente, sustentável e inteligente. Além disso, fomentamos um mercado – local e regional – de serviços ligados a manutenção de nossa frota que consequentemente geramos empregos indiretamente. Ainda neste âmbito, resolvemos instalar kits GNV em 97% da frota, o qual reduzimos, relativamente, a emissão de gases CO² dos veículos gerenciados pela Hunter.

Qual a importância das pessoas para o seu negócio?

As pessoas para a Hunter são parte vital e força motriz do nosso negócio, por isso oferecemos um atendimento personalizado aos nossos clientes e um ambiente de trabalho totalmente clean, agradável e uma excelente infraestrutura aos nossos colaboradores. Uma das máximas do nosso negócio é sempre “Entender para Atender” isso está ligado diretamente ao bom treinamento; mostrar e capacitar nossos colaboradores a importância do perfil “resolvedor”; desta forma sempre ofereceremos as melhores soluções e orientações aos nossos clientes, sejam investidores, sejam motoristas.

O que a Hunter vislumbra para o médio/longo prazo?

Em um período médio de 18 meses estaremos aptos a participar da próxima rodada de negócios (captação de novos investimentos) e, consequentemente, aspiramos, expansão territorial, uma fatia de 1,5% do Market Share do mercado atual de locação para motoristas de aplicativos; e estar entre as 50 maiores startups do Brasil. A longo prazo (mais ou menos 5 anos), desejamos atingir 15% do Market Share; expansão territorial; estar entre as 05 maiores locadoras nacionais de veículos; e principalmente realizar o IPO e tornar-se unicórnio.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content