Dora Ramos: “Os números são as pontas”

Dora Ramos

“Enxergo a vida como um contínuo processo de crescimento e fortalecimento.” Nascida em 12 de março de 1966, Dora Ramos é a irmã mais velha de uma família com 6 filhos. De origem simples, sempre encarou as dificuldades financeiras da infância com a perseverança de que era apenas uma fase. Dora passou em quarto lugar na UMC (Universidade de Mogi das Cruzes que fica na Região Metropolitana de SP), no curso de Ciências Contábeis. O primeiro passo estava dado. Então, em abril de 1991, nascia a Fharos Contabilidade e Gestão Empresarial, um escritório de contabilidade idealizado por uma mulher que tinha o desejo de empreender e fazer da sua empresa uma gestão baseada nos mesmos alicerces da sua família: transparência, eficiência e confiança. O nome Fharos significa Fé, Honestidade, Amor, Razão, Organização e Sucesso, que resume os princípios da empresa em realizar uma prestação de serviços com atuação fundada na ética, profissionalismo e respeito. E em toda a sua história, a organização sempre se pautou pela valorização de cada cliente e colaborador, prestando um atendimento personalizado para atender da melhor forma cada caso. Localizada na Vila Mariana, a Fharos conta com 445 cientes, sendo 95 deles formados por Pessoas Jurídicas e 350 por clientes Pessoas Físicas. “Acredito que se temos hoje uma carteira de clientes tão ampla é porque formatamos uma equipe comprometida”, diz Dora Ramos, CEO da Fharos.

Dora, qual seria o segredo para a longevidade da Fharos?

Um trabalho com muito comprometimento e respeito pelo cliente. Confiança mútua e principalmente fé que os obstáculos que forem surgindo, poderão ser superados. Foram muitos desafios e o fato de ser uma empresa familiar também ajudou muito, pois, nos momentos mais desafiadores ficávamos ainda mais unidos.

Uma palavra que poderíamos destacar da sua personalidade é perseverança. Por que ela foi fundamental para você superar os seus obstáculos?

Essa atitude com certeza foi fundamental no decorrer da minha história, costumo dizer que estive sempre fora da curva. Mulher negra, de família sem histórico de empreendedorismo, muitas vezes sendo questionada se eu era a dona do negócio, apenas com muita perseverança e muita confiança em mim mesma para avançar e alcançar o sucesso.

Quais os pilares da Fharos?

Honestidade, transparência, ética, responsabilidade, compromisso, amor ao que faz, respeito, humanidade.

Como esses pilares se entrelaçam com o modo que você enxerga a vida?

Enxergo a vida como um contínuo processo de crescimento e fortalecimento, acredito que não tem como darmos ou compartilharmos com outra pessoa aquilo que não temos, ou não acreditamos ser verdade. Desta forma, sempre enxerguei meus clientes como pessoas e não como CNPJs, sempre busquei uma relação de pessoalidade sem que isso comprometesse o profissionalismo.

Você ainda se lembra do momento que conseguiu o primeiro cliente?

Sim, foi por meio de um anúncio de jornal e ele ainda é nosso cliente e se tornou, claro, um grande amigo. Sr. Monteiro ligou respondendo ao nosso anúncio e quando atendi ele me perguntou se eu tinha experiência na gestão contábil de escolas, respirei fundo e falei a verdade que “não tinha”. Ele ligou dois dias depois e disse que também não tinha experiência, iria abrir sua primeira escola, então como ele mesmo disse: “vamos aprender juntos”. Estamos juntos desde então.

Atualmente você conta com 445 clientes. O que permanece desse atendimento ao primeiro cliente para os outros que viriam logo a seguir?

A postura de estar presente na vida empresarial e pessoal dele, existe uma relação de confiança muito grande.

Por que você acredita que uma empresa de contabilidade precisa enxergar além dos números?

Porque os números expressam o comportamento das pessoas que o geraram. Os números representam postura e procedimentos das pessoas envolvidas, como costumo dizer, os números são as pontas. É preciso ampliar o olhar.

Estreitar esse relacionamento com novas formas de gestão é fundamental?

Sim, apesar de ser um desafio interessante. Sinto que algumas vezes o olhar está voltado apenas para as possibilidades tecnológicas da ferramenta, no entanto, é preciso lembrar que do outro lado tem uma pessoa que ainda quer falar, quer ouvir uma resposta e inclusive pode não ter paciência para lidar com a ferramenta.

Como você tem enxergado a organização financeira dessas empresas ao longo dos anos?

Algumas se organizaram bastante e evoluíram tanto na parte financeira, quanto no trato com seus colaboradores, o que proporcionou o crescimento. Outras ainda resistem a terem uma organização onde contam com um sistema financeiro onde podem agilizar o acesso de obtenção de informação e, consequentemente, tomada de decisão mais acertada. De qualquer forma, o que tenho visto ao longo desses anos é que apesar de nem sempre sermos reconhecidos como tal, a Fharos hoje é como um braço super importante do departamento administrativo-financeiro de nossos clientes, especialmente quando um funcionário de nossos clientes se desliga ou é desligado da empresa.

Chegar a excelência requer o quanto de paciência e determinação?

100% e muitas vezes ainda não atingimos.

O que vislumbra para a Fharos nos próximos anos?

Maior rentabilidade financeira, transição da gestão e utilização, além da aplicação consciente do “menos é mais”.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content