Douglas Hoelzel Hermes: “Está sendo um momento muito desafiador”

 Douglas Hoelze

Aos 97 anos e após uma década de profunda transformação, a Mercur, indústria da área da saúde e educação, está apostando na inovação para se tornar ainda mais competitiva e enfrentar o cenário econômico adverso pós-pandemia. Sem abrir mão de seu princípio de criar um mundo de um jeito bom para todo mundo, ela quer renovar sua cultura interna, incentivar o intraempreendedorismo e cocriar novos produtos, serviços e soluções com empresas, universidades, startups e organizações da sociedade civil. Para alcançar esse objetivo, a empresa está lançando uma Tese de Inovação — um documento que reúne seus objetivos, focos e as principais tendências de mercado —, criada com a consultoria da Semente Negócios. Ela está disponível no Portal da Inovação da Mercur, que também será uma vitrine de todo o processo. A quarta geração da família, da qual Cássia, Douglas e Bruno Hoelzel, que estão à frente do Projeto de Inovação, fazem parte, quer unir os propósitos e crenças desenvolvidas nessa época com a criatividade e a agilidade exigida pelo mercado. “Queremos inovar para valorizar a vida. Nesse processo pelo qual passamos há 13 anos, nosso trabalho deixou de ser apenas uma forma de ganhar dinheiro e passou a ser uma ferramenta de valorização da vida. Hoje, nosso desafio é garantir a continuidade deste jeito de ser em um contexto competitivo de mercado e crise econômica”, afirma Douglas Hoelzel.

Douglas, como a Mercur tem feito a travessia durante a pandemia?

Com muito diálogo. Está sendo um momento muito desafiador em função do impacto econômico em nossos negócios, no entanto, oportunizou muitas aprendizagens. Nosso esforço se concentrou muito na preservação do emprego, da saúde e da segurança dos nossos colaboradores. Enxergamos nesse cenário difícil, uma oportunidade de reorganizar e acelerar algumas coisas que vinham sendo observadas há algum tempo, para, entre outras coisas, criar condições que encorajem essa mudança de cultura que buscamos com o projeto de inovação.

A inovação é um caminho singular em momentos como esse?

Acreditamos que existam muitos caminhos, mas a inovação é, sem dúvida, indispensável para um mundo cada vez mais acelerado e dinâmico.

Como a inovação molda a empresa nesse tempo “nublado” no qual estamos inseridos?

Uma estratégia de inovação bem resolvida ajuda a transformar a cultura da empresa. A inovação nos permite recriar, energizar, oxigenar, mudar processos, aprender novas metodologias, melhorar e criar produtos e serviços, bem como modelos de negócios, que sejam relevantes, em um espaço de tempo reduzido. Na Mercur, acreditamos na inovação como caminho para Valorizar a Vida, título da nossa Tese de Inovação. Isso é, não apenas inovar por inovar, lançando novos produtos no mercado que sejam mais do mesmo, e sim, construir soluções que sejam relevantes na vida das pessoas.

Qual a visão que você tem das áreas de educação e saúde nesse período?

Saúde e educação são temáticas ainda mais relevantes em períodos tão sensíveis com os quais estamos vivendo. Entendemos que na educação precisamos ir muito além da produção de material escolar, o que pressupõe um grande desafio para nós como fabricante. Estamos conscientes que precisamos nos reinventar nesse setor. Na saúde o mercado não foi tão prejudicado. A grande maioria das pessoas manteve parte das rotinas relacionadas à atividade física, mantendo a busca por produtos de cuidado e reabilitação.

A renovação da cultura interna na Mercur já começou?

Sim. Renovação de cultura dentro de qualquer empresa costuma ser um projeto de longo prazo. Na Mercur, iniciamos em dezembro com um “Hackathon estendido”, e em fevereiro de 2021 lançamos nosso primeiro programa de intraempreendedorismo. Ambos movimentos são destinados para parte dos nossos colaboradores e contam com diversas ferramentas, metodologias e conteúdos de inovação. É importante ressaltar que não usamos no programa um tom de competição, mas sim de colaboração, de chegar a uma solução juntos que resolva um problema real para o público a que se destina.

Como surgiu a Tese de Inovação?

A Tese de Inovação é o resultado de uma das etapas do projeto com a consultoria da Semente Negócios, que tem como objetivo organizar nossa estratégia de inovação na empresa. Foi criada a partir de um diagnóstico detalhado, um mapeamento de tendências e muitas entrevistas, e workshops envolvendo a participação de vários colaboradores da Mercur. Com esse projeto, não temos o objetivo de criar uma área consolidada, mas sim de criar uma cultura de inovação que corra nas veias da empresa. É mudar a cultura da organização para que as pessoas tenham esse olhar para os nossos processos e produtos e proponham novas soluções que possam ser desenvolvidas, testadas e lançadas rapidamente, sem abrir mão de nossos princípios.

Quais os maiores desafios que essa Tese mapeou?

Na nossa Tese de Inovação, que pode ser baixada na íntegra, elencamos os nossos três principais objetivos para os próximos anos: Viabilizar nosso posicionamento; Entregar experiências transformadoras; Avançar na criação da Mercur 2050. Colocando esses 3 objetivos no centro, entendemos que algumas vitórias são obrigatórias para alcançá-los, são elas: Unir o posicionamento ao portfólio; Encontrar entusiastas da Mercur; Entrar no mundo digital; Ampliar e nutrir redes; Ter um processo ágil de inovação. Para isso, um mapeamento e acompanhamento de tendências é fundamental e, na nossa tese, mantemos as principais no nosso radar, tanto para os mercados de saúde e educação, quanto para gestão, marketing e processo. Por fim, essas tendências se transformam em oportunidades para aplicações nos nossos portfólios.

Esses desafios serão mais agudos pós-Covid?

Acreditamos que a pandemia trouxe consigo muitos impactos e entendemos que adaptabilidade e resiliência se tornaram características ainda mais importantes para todas as pessoas e empresas. Embora a nossa Tese de Inovação já contemple o cenário pós-pandemia, entendemos que o desenvolvimento de uma cultura de inovação é ainda mais importante, pois, permite que estejamos sempre atentos a todo tipo de mudança que influencie nossos negócios.

Como outras pessoas podem se conectar com esse sistema de inovação?

Para nos conectarmos com o ecossistema de inovação, uma das iniciativas adotadas é o nosso Portal da Inovação. Nele, contamos um pouco do que estamos aplicando na empresa, disponibilizamos nossa Tese de Inovação e expomos nossos principais desafios, nos quais convidamos as pessoas a se conectarem conosco. Esses desafios podem mudar conforme os projetos e necessidades da empresa, hoje eles são:

Maker Learning – criação de produtos/serviços que dialoguem com a tendência do aprender fazendo;

Tecnologia Embarcada – relacionado ao desenvolvimento de novos produtos (especialmente wearables) e/ou a incorporação de tecnologias aos produtos já existentes;

Aplicações de Realidade Aumentada – voltado ao aprofundamento de relacionamentos e da comunicação com os públicos da Mercur, especialmente na linha de educação;

Terceira Idade – relacionado a novas formas de comunicação e relacionamento com o público da Terceira Idade;

Diminuição do uso de Plástico – voltado tanto à redução do plástico nas embalagens e produtos;

Novas lógicas de distribuição – desafio voltado a diminuir os custos de frete da Mercur, além da redução da pegada de carbono, especialmente no e-commerce.

Quem desejar contribuir com a solução dessas questões pode entrar em contato conosco através do site.

Quais caminhos a Mercur quer apontar com tal reflexão?

Seguindo nosso propósito, queremos inovar para valorizar a vida. Nesse processo pelo qual passamos há 13 anos, da virada de chave, nosso trabalho deixou de ser apenas uma forma de ganhar dinheiro e passou a ser uma ferramenta de valorização da vida e com esse projeto de inovação queremos seguir trilhando esse caminho.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content