Eduardo Mendes Rocha: “Temos o público-alvo bem definido”

 Eduardo Mendes Rocha

A marca de sapatos Yuool nasceu no ano de 2017, sendo uma startup que não demorou nada para conquistar seu lugar no mercado e bater a casa de milhões no faturamento. A empresa levou um ano fazendo testes para apresentar aos consumidores calçados inovadores, térmicos e sustentáveis, feitos de Lã Merino, importada diretamente da Itália. Segundo Eduardo Mendes Rocha, um dos sócios da marca, a ideia da empresa sempre foi colocar no mercado produtos simples, básicos, confortáveis e de qualidade. “Com conforto, temos mais qualidade de vida, nos sentimos bem e vivemos um mundo melhor”, afirma, explicando porque o que usamos nos pés influencia diretamente o que se passa na nossa cabeça. O executivo revela que a Yuool não se trata de uma marca de calçados, mas sim que vende conforto através deles. Os dados colocam a Yuool como uma das maiores DNVBs (marcas verticais e nativas digitalmente) do país. “Trabalhar no modelo D2C, Direct do Customer, nos possibilita vender um produto fabricado com os melhores materiais do mundo a um preço justo. Além disso, é importante destacar que temos o Nativa Precious Fiber, um certificado mundial que atesta que os produtos da marca são feitos respeitando os pilares da sustentabilidade, bem-estar animal e responsabilidade social corporativa”, revela Eduardo. A Yuool trabalha com itens térmicos, atemporais e sem distinção de gênero.

Eduardo, como o seu mercado de atuação está atravessando um dos momentos mais complexos da nossa história?

O varejo de calçados tem sofrido bastante, falta de matéria-prima, aumento de preço e queda da demanda. Mas os que conseguirem sobreviver a este momento irão colher os frutos no futuro.

Você tem se reinventado como empresário em que pontos?

Penso que para todos nós, as palavras de ordem tem sido adaptabilidade e resiliência. Empreender no Brasil já é um desafio enorme, mas somos apaixonados por esse país e acreditamos em um futuro que valorize e ajude o empreendedor.

Como essa reinvenção e visão é passada para a Yuool?

Por termos nascido no digital conseguimos nos adaptar rapidamente ao momento. Mas ainda vemos muitas coisas erradas na indústria e varejo, por isso nos propomos diariamente a revolucionar e quebrar paradigmas.

O que tem na Yuool que também é singular a você?

Acreditamos muito que as coisas não precisam ser como são, e que tudo pode ser repensado e melhorado. Principalmente padrões estabelecidos há anos. Essa cultura transgressora que temos na empresa é o que acho mais bacana.

Podemos dizer que a sua empresa é moldada pelo seu feeling?

Não! Tanto eu quanto meus sócios temos uma cultura muito voltada para tomada de decisão baseada em dados. Claro que o feeling faz parte da equação algumas vezes, mas nunca sem entender os números que estão por trás.

O propósito de entregar qualidade de vida através de produtos inovadores está sendo realizado com êxito?

Sim! Isso é o que nos motiva diariamente. Cerca de 96% das nossas avaliações de produto e experiência é excelente. A nossa média de clientes recomprando outros produtos todo mês é de 30%, o que mostra que estão gostando!

Em que momento esse propósito se tornou a principal referência dos seus produtos?

Desde o primeiro dia! Nosso propósito de levar conforto para as pessoas em todos os aspectos nasceu com a empresa e com o produto. Só lançamos nosso produto depois de um ano quando todos os testes que fizemos levaram um sorriso ao cliente.

A inovação é a chave para momentos conturbados?

Com certeza, inovação e a coragem para enxergar oportunidades na crise.

Como a sustentabilidade é tratada pela Yuool?

Na nossa opinião, sustentabilidade não é um diferencial, mas sim uma obrigação de empresas do século XXI. Acreditamos no método criado, em 1994, por John Elkington, chamado tripé da sustentabilidade, que possui 3 pilares: Ambiental, Social e Financeira. Com isso, são criadas iniciativas e certificações nessas frentes. Também nos certificamos e rastreamos toda nossa cadeia de suprimentos.

Quais estratégias de marketing são utilizadas pela startup para alcançar o público-alvo?

Temos o público-alvo bem definido e nosso produto conta uma história, então a estratégia sempre foi encontrar parceiros que genuinamente gostassem do que fazemos para contar essa história aos consumidores.

Fale um pouco mais sobre as projeções da empresa para o ano de 2021.

No final do ano de 2020, recebemos uma demanda muito grande de pedidos, acima do esperado, e, infelizmente, não conseguimos atender todos no Natal. Preferimos suspender as vendas para não causar uma má experiência ao consumidor. Então, aproveitamos esse momento para refletir e, no início deste ano, estruturamos a empresa em todas as áreas para oferecer produto, entrega e disponibilidade de nível incrivelmente superior. Os resultados estão vindo e estamos super otimistas que vamos dobrar o faturamento do ano passado, que foi de R$ 7 milhões.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content