Emanuel Pessoa: “As dificuldades são as mesmas de sempre”

Política Econômica Internacional

Em meio a uma das maiores crises econômicas que o nosso planeta já viveu, conseguir investimento não é uma tarefa fácil e as startups se deparam com dois cenários: o primeiro é o que foi mais afetado pela crise, sem conseguir o crédito oferecido pelo Governo, muitas startups promissoras se viram perdidas e sem capital para manterem seus negócios. E o segundo cenário é o das oportunidades que startups de alguns segmentos encontraram na crise. Muitos mercados estão com boas possibilidades para começar um negócio oferecendo serviços que atendam as novas demandas, que a pandemia trouxe para todos. Segundo levantamento da Inside Venture Capital Brasil, o investimento em startups brasileiras no mês de janeiro de 2021 foi superior a US$ 630 milhões, valor que representa 18% do total investido em 2020. Dentro desse contexto, queremos expor as ideias de um especialista que falará sobre como as startups podem buscar e negociar com investidores para conseguirem apostar em uma ideia nova ou manter seus negócios. “Em primeiro lugar, a escolha do time deve se basear no que cada um pode contribuir, não em amizades. Assim, garante-se que as pessoas vão atuar da melhor maneira para o sucesso da empreitada sem terem dedos para discutirem os problemas ao longo do caminho. No que toca a escalar o produto ou serviço, isso também se relaciona com o time e com os recursos”, afirma o consultor e advogado, Emanuel Pessoa.

Emanuel, quais as grandes dificuldades das startups no cenário atual?

As dificuldades são as mesmas de sempre. Montar um time bom, escalar o produto ou serviço e obter os recursos necessários até chegar o ponto de equilíbrio financeiro.

Como essas empresas devem superar essas adversidades?

Em primeiro lugar, a escolha do time deve se basear no que cada um pode contribuir, não em amizades. Assim, garante-se que as pessoas vão atuar da melhor maneira para o sucesso da empreitada sem terem dedos para discutirem os problemas ao longo do caminho. No que toca a escalar o produto ou serviço, isso também se relaciona com o time e com os recursos, em um círculo virtuoso. Um time competente e bem gerido tem mais probabilidades de obter os recursos que são necessários para desenvolver e escalar o produto ou serviço, já que os investidores confiariam na capacidade de o fazerem.

Depois de superar essas adversidades vêm o momento da aceleração. Como essas startups devem acelerar esse processo?

A aceleração decorre de a startup já ter acertado seu produto ou serviço, desenvolvendo-o de forma escalável, o que exige ainda investimentos em vendas, publicidade e segurança jurídica.

Como a inovação pode moldar o caminho dessas empresas?

Por definição, as startups lidam com inovação, a qual pode ser limitada a procedimentos, por exemplo. De toda forma, quanto mais inovador for o produto ou serviço, ou o procedimento utilizado para se chegar nesses, mais fácil de escalar.

Os investimentos nessas startups estão a todo vapor mesmo com todas as incertezas?

Sim, porque a rentabilidade do investimento no mercado financeiro desabou, de modo que as startups acabam sendo um bom destino para aportes dado o potencial de alto retorno em uma estratégia de diversificação.

Como as empresas podem buscar esses investimentos?

Elas devem buscar Venture Capitals e fundos, o que pode ser desafiador no começo por desconhecimento do mercado, do que se torna essencial se integrar no ecossistema através de coworkings, aceleradoras e eventos.

Assim que esse esse capital for conseguido, como ele deve ser utilizado?

Primordialmente para escalar o produto ou serviço.

Esse capital também será importante para a atração de novos clientes?

Indiscutivelmente, ele deve ser usado principalmente para escalar, o que envolve a captação de clientes. Se utilizado para outras finalidades, os investidores tenderão a pedir um retorno ou participação maior na startup.

O que é fundamental na hora da negociação com potenciais investidores?

Demonstrar que há um caminho efetivo a ser seguido, isto é, que há um plano de negócios bem pensado, com um time afinado, que tem direção. Por mais que os planos possam ser mudados, sem eles dificilmente haverá investidores dispostos a correr o risco.

Quais as características das startups que são avaliadas por esses investidores?

A qualidade do time, a segurança jurídica do negócio, o potencial de escalabilidade e o compromisso com o projeto.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content