Fifi Turkie: “Trabalhamos juntos e temos sucesso”

A empresária

A Fifi Doces atua há mais de 30 anos elaborando belíssimas e decorativas mesas de doces, até uma refinada sobremesa para complementar seu jantar; uma doceria ideal e ótima alternativa para pessoas de gosto refinado e que buscam produtos diferenciados. De descendência libanesa, Faride Turkie (mais conhecida como Fifi) herdou de sua mãe o conhecimento da culinária árabe e sua linha de doces sírios é considerada a mais saborosa e requintada do mercado. Porém foi na Inglaterra, onde Fifi casou e morou por vários anos, que ela desenvolveu seu gosto pela confeitaria fazendo vários cursos, já que tinha fluência no idioma francês e inglês. De volta ao Brasil, Fifi criou seu primeiro doce: O marrom-glacê que foi um sucesso imediato e até hoje continua sendo referência. Em seguida ela desenvolveu uma extensa linha de doces – franceses, sírios e brasileiros, bolos e sobremesas. Não demorou muito para oferecer uma solução completa para eventos, com a linha de salgados. Hoje a empresa já está sob a gestão de sua segunda geração (filhos), proporcionando uma visão mais abrangente das exigências do mercado e acompanhando as tendências e inovações. A Fifi Doces possui mais de 50 opções de doces kasher e kasher parve, com supervisão rabínica seguindo as rigorosas leis da kashrut, por ter uma cozinha exclusivamente kasher. Fifi é reconhecida como uma das principais doceiras do país pelo seu talento e criatividade.

Em que momento você ganhou confiança para seguir o seu caminho?

Quando minha mãe e minha irmã me incentivaram levar a sério em 1985. Ela também passou a ter um conhecimento dos doces e sobremesas árabes.

Quais as marcas dos anos na Inglaterra em seu trabalho?

Na Inglaterra o início foi como um hobby e depois com vários cursos de pâtisserie em Londres.

Acredita que foi no país europeu que o seu trabalho se sofisticou e solidificou?

Era um hobby na Inglaterra e somente em São Paulo me profissionalizei no trabalho como doceira.

Fale um pouco sobre a criação do seu famoso marrom-glacê.

Também iniciei como hobby na Inglaterra e aprimorei através de um curso em Paris. Isso foi um dos grandes diferenciais para a criação desse doce que é tão apreciado por nossos clientes que entendem e querem sempre o melhor em nosso ramo de atuação.

Podemos dizer que ele foi o “abre-alas” do seu empreendimento?

Sim, com certeza o meu produto de marrom-glacê foi um tremendo sucesso. Foi aí que decidi profissionalizar o negócio. Sim, podemos dizer que ele foi o meu “abre-alas” como você ressalta em sua pergunta.

Quais são outros doces oferecidos pela Fifi Doces?

Hoje a oferecemos mais de 45 tipos de doces, divididos em cinco categorias: chocolates, brigadeiros, doces sírios e artesanais e sobremesas. E em quantidades sufi cientes para atender a eventos para até 1.500 pessoas.

Quando sentiu que o mercado havia abraçado a sua marca?

Após profissionalizar o negócio, aumentaram as demandas, onde provocou um grande sucesso da minha marca.

Quais erros não podem ser cometidos neste negócio?

Não ficar longe dos clientes. Esse é sem sombra de dúvida o erro que não pode ser cometido.

O que acredita ter sido o pulo do gato para o crescimento da sua empresa?

Foi quando a minha filha entrou para ajudar nas vendas durante 4 anos.

Hoje, também à frente do negócio, o meu filho, Albert, traz uma visão mais inovadora, mas sempre mantendo a tradição da empresa.

Como tem sido a transferência da gestão para a segunda geração?

Foi mais fácil e prazerosa do que eu esperava. Quando isso acontece com um negócio (principalmente familiar), as expectativas para o futuro se tornam promissores sem dúvida nenhuma.

Qual o grande pilar que acredita sustentar o sucesso do seu negócio?

A união da família.

Esse seria o seu grande segredo de sucesso?

Trabalhamos juntos em harmonia e consequentemente temos sucesso.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content