Anúncios
Sua Página
Fullscreen

Gustavo Zancheta explica os males da depressão

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Mesmo com inúmeras atividades que preenchem a rotina diária, é muito comum ouvir falar que alguma pessoa conhecida, seja da família ou do ciclo de amizades, sofre de depressão. E o que dizer de dois dos maiores youtubers do Brasil, como Felipe Neto e Lucas Lira, que recentemente assumiram estar em tratamento médico para a depressão? Sinal de que não importa fama ou dinheiro: a doença pode atingir qualquer pessoa. Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmam que, só no Brasil, 5,8% dos cidadãos já foram diagnosticados com a doença. O país perde, apenas, para os EUA, que apresenta 5,9% dos casos. Mas, o que realmente é? E como ajudar os pacientes a lidar com a situação? O psicólogo Gustavo Zancheta esclarece as dúvidas sobre o assunto, visto que tivemos o janeiro branco, mês dedicado à valorização da saúde mental. “Os sintomas de depressão devem estar presentes por pelo menos duas semanas para que um indivíduo seja diagnosticado. É importante frisar que tristeza é diferente de depressão. Perda de um ente querido, demissão do trabalho, término de um relacionamento amoroso, etc, normalmente geram nas pessoas tristeza e angústia e isso não é um problema. O problema é quando tais sentimentos se tornam muito intensos e frequentes. Os sentimentos considerados “ruins” também devem ser sentidos e isso faz parte da existência humana”, afirma.

O que é depressão?

A depressão, ou Transtorno Depressivo Maior, provoca sentimentos de tristeza, pessimismo, baixa auto-estima, melancolia, irritação excessiva e perda de interesse em atividades do dia a dia. Em casos mais graves, podem surgir também ideações suicidas. O transtorno pode levar a uma variedade de problemas emocionais e físicos, além de diminuir a capacidade de uma pessoa manter suas atividades normais no trabalho e em casa.

Anúncios

Como pode ser diagnosticada?

Os sintomas de depressão devem estar presentes por pelo menos duas semanas para que um indivíduo seja diagnosticado. É importante frisar que tristeza é diferente de depressão. Perda de um ente querido, demissão do trabalho, término de um relacionamento amoroso, etc, normalmente geram nas pessoas tristeza e angústia e isso não é um problema. O problema é quando tais sentimentos se tornam muito intensos e frequentes. Os sentimentos considerados “ruins” também devem ser sentidos e isso faz parte da existência humana.

O que afeta na rotina?

Os sintomas de depressão afetam a maneira como você se sente, pensa e lida com atividades diárias, como dormir, comer ou trabalhar. É comum acompanharmos casos de pessoas deprimidas que não possuem mais energia para realizar ações de sua rotina, como tomar banho, levantar da cama ou trabalhar, por exemplo.

Tem cura?

Anúncios

Desde que tratada corretamente, a grande maioria dos casos apresenta melhora muito significativa e até mesmo a cura completa da depressão.

Qual a faixa etária mais atingida?

Apesar de associada aos jovens, são os idosos que lideram o ranking dos mais afetados pela depressão. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde realizada em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a doença atinge cerca de 13% da população entre os 60 e 64 anos.

Qual o melhor tratamento?

A depressão é geralmente tratada com uma combinação de medicamentos, que visam modificar e equilibrar a química cerebral, e psicoterapia, como a TCC – Terapia Cognitiva-Comportamental, que vem a ser uma abordagem baseada em evidências específicas e científicas, que apresenta bons resultados no tratamento da depressão.

Leia ou ouça também:  Bene Barbosa fala sobre a Segurança Pública

Febre emocional é sintoma de depressão?

Anúncios

A febre emocional não é necessariamente associada à depressão, mas pode ocorrer em casos muito específicos. Normalmente é uma condição relacionada à ansiedade e estresse intenso.

A pandemia se tornou um gatilho para a depressão?

Sim, a pandemia se tornou um grande gatilho para a depressão e ansiedade, derivando em vários transtornos, como, por exemplo, TOC – Transtorno Obsessivo-Compulsivo, Síndrome de Burnout, etc. A pandemia trouxe uma série de desafios para o ser humano, como o isolamento social, as incertezas com relação ao futuro e o medo de contaminação e morte, gerando angústia e melancolia em níveis muito intensos. Por isso, os casos de depressão cresceram muito e a procura por ajuda psicológica também aumentou muito neste período.

Quando uma tristeza profunda pode se tornar uma depressão?

O que diferencia uma tristeza profunda e pontual de um episódio de depressão é a intensidade e duração deste sentimento. Entende-se como depressão quadros de tristeza profunda que perdure por mais de três semanas e que apresente também pelo menos alguns dos seguintes sintomas: falta de interesse/energia para atividades do dia a dia, disfunção no sono e/ou apetite, irritabilidade, pensamentos de morte ou suicidas.

Em que momento podemos notar que uma pessoa está se tornando deprimida?

É importante que pessoas próximas, como familiares e amigos, estejam atentos a uma grande diminuição da energia e ânimo da pessoa, bem como uma tristeza intensa e recorrente, irritação exagerada, isolamentos social e frases ou comportamentos que levem a crer que existe uma vontade de morte/suicídio. Diante de pelo menos algumas destas evidências, é necessário buscar ajuda profissional de um psicólogo e psiquiatra de maneira urgente.

Qual o papel da espiritualidade em quadros depressivos?

A espiritualidade representa um papel fundamental na recuperação e equilíbrio de pessoas em depressão. Normalmente a fé em algo superior – Deus, Jesus, Anjos, espíritos de luz, etc – acaba por gerar um estado interno de esperança e motivação fortes o suficiente para ajudar pessoas deprimidas. Acredito que a fé desperta em nós um sentimento de pertencimento e acolhimento, gerando assim uma sensação de bem-estar e alegria. É importante frisar que não existe uma religião ou crença que seja especial em detrimento das outras. Qualquer expressão de fé e religiosidade proporciona benefícios importantes na recuperação de quadros emocionais e mentais.

Anúncios

Última atualização da matéria foi há 2 anos


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
Tags:
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights