Henrique Caran, presidente do Grupo Interbrilho: “Nossos produtos estão em todos os lares”

Interbrilho

Após 40 anos no mercado com uma trajetória bem-sucedida na fabricação de produtos de limpeza, churrasco e pet, e com foco nas necessidades desse período conturbado de pandemia, a Interbrilho investiu R$ 500 mil no desenvolvimento da linha Hosp Clean, composta por sabonete líquido, limpadores de superfície e álcool em gel. O reposicionamento marca a entrada da companhia no segmento hospitalar, até então não explorado pela empresa. Além disso, também investiram na constante atualização de seu parque fabril com mais de 25.000 m², em Cabreúva, interior de São Paulo. A Interbrilho está equipada com máquinas de alta performance, recursos de última geração e avançados conceitos de gestão empresarial para sempre oferecer produtos modernos e altamente competitivos no mercado. Seus produtos são distribuídos em todo território nacional e exportados para diversos países da América Latina, América do Norte e Ásia, além de estarem presentes nos Estados Unidos, além de estabelecer mil pontos de venda de seus cerca de 220 produtos por todo o Brasil. “Primeiramente sempre tivemos uma organização que era como a base de uma família, um time, nossa principal preocupação era preservar a saúde e integridade física de todos, então adotamos de imediato o esquema de trabalho home office, pois, era importante afastar a hipótese de transmissão dentro do ambiente de trabalho”, afirma Henrique Caran, presidente da Interbrilho.

Henrique, você já foi chamado de louco. Quanto de “loucura” é preciso ter para se tornar bem-sucedido no mundo dos negócios?

De médico e louco todos têm um pouco, segundo o ditado popular, mas só é louco quem rasga dinheiro, outro ditado. Vamos trocar a palavra louco por ousado e/ou determinado. Quando um empreendedor sabe onde ele quer chegar, ele acha seu norte e se supera sempre com competência, perseverança e resiliência.

Qual a influência do seu pai na sua vida como empreendedor?

Total Influência! Apesar da Interbrilho não ter sido do meu pai e nem ter feito parte dela, ele me ensinou boa parte do que aplico hoje, princípios fundamentais que todos os pais deveriam passar a seus filhos como: educação, respeito ao próximo, fé em Deus e amor incondicional à família. Quando pequeno, acompanhava meu pai em sua indústria, a qual foi pioneira no envase do famoso Óleo Singer no Brasil. Lá eu ficava admirado com a mistura de matérias-primas, frascos, tampas, produção, encaixotamento e depois me sentia orgulhoso de estar presenciando aquilo, pois, na época, toda casa tinha um frasco de óleo Singer, era fascinante, mágico!

Houve um insight para você ter o seu primeiro negócio?

Desde cedo sempre quis trabalhar. Minha primeira empreitada no mundo dos negócios foi a venda de pinheiros de Natal. Na época, comprava-se pinheiros para enfeitar as casas no Natal em floras, plantações em latas de tintas. Pedi o caminhão da empresa do meu pai emprestado, comprei vários pinheiros e fui vender em uma avenida movimentada de Campinas (SP). Minha vontade era de fazer dinheiro para viajar com a namorada para o Sul. Vendi todos os pinheiros e aquele sentimento me agradou tanto que nunca mais parei de buscar o sucesso.

Como a Interbrilho estava antes da pandemia?

Todo o mercado sofreu o impacto com a pandemia, seja no âmbito social ou financeiro. A Interbrilho tinha a meta de crescimento em 10% em 2020, meta essa que será atingida neste período devido ao nosso rápido poder de reação e adiantamento do lançamento da linha Hosp Clean (que estava planejada para novembro de 2020), uma linha de cuidados e assepsia para o lar, composta de itens como Álcool Gel, Sabonete Neutro e Álcool Líquido, produtos estes que foram/são de extrema importância no combate do Covid-19. Com muito trabalho e foco, conseguimos manter a meta e o resultado.

O que mudou nos negócios da empresa com a pandemia?

Primeiramente sempre tivemos uma organização que era como a base de uma família, um time, nossa principal preocupação era preservar a saúde e integridade física de todos, então adotamos de imediato o esquema de trabalho home office, pois, era importante afastar a hipótese de transmissão dentro do ambiente de trabalho. Seguimos todas as orientações e exigências dos órgãos responsáveis e o Ministério da Saúde, aplicamos treinamento e dentro do “novo normal” estamos trabalhando com força total. Quanto aos negócios ainda estamos vivendo um mercado totalmente atípico e confuso, o mercado em um primeiro momento todos pararam como se tivessem na estrada a 200 km por hora e de repente uma lombada enorme e uma placa dizendo: Pare! Logo após isso uns pararam totalmente e outros conseguiram passar o susto e retomar a viagem, isso desregulou totalmente o mercado e para voltarmos ao normal vamos sofrer um pouco, mas conforme o tempo passar, acredito que o mercado vai ajustando coordenado pela oferta e procura.

Quais marcas do grupo estão tendo mais perdas na atual conjuntura?

Nossos produtos estão presentes em todos os lares, pois, nossas marcas são sólidas e consolidadas e durante a pandemia as pessoas ficaram dentro de casa cuidando de seus pets, fazendo mais churrascos em família e cuidando de seus carros, portanto não tivemos uma perda significativa para pontuar por marca.

E quais estão tendo um maior êxito?

Em um primeiro momento, a linha de Assepsia e cuidados, Hosp Clean decolou devido ao cenário e sua expertise estar ligada diretamente à linha de frente do combate ao Covid-19.

Em que países os negócios da Interbrilho estão tendo um bom desempenho mesmo com a pandemia?

Temos um cenário muito positivo na América do Sul e estamos presentes nos Estados Unidos com as linhas de car care com a marca Roadshine, pet care com a marca Ekopet e agora estamos levando a marca de Assepsia e Limpeza Hosp Clean, pois, acreditamos muito neste segmento.

O desenvolvimento da linha Hosp Clean faz parte desse posicionamento?

Sim, sem dúvida!

Quais os grandes diferenciais dessa linha?

Nossa qualidade e preços competitivos são os grandes diferenciais que fazem da Interbrilho uma empresa séria que vem para disputar este novo mercado.

Como essa mudança de posicionamento afetará os negócios do grupo no pós-Covid em sua visão?

Com certeza sairemos deste cenário muito mais fortes. Aprendemos que sem nossos colaboradores bem de saúde e unidos não conseguimos chegar a lugar nenhum, precisamos estar sempre prontos para nos reinventar como pudemos ver diversos casos ao longo deste ano. Histórias de empresas que fabricavam itens e tiveram que “virar a chave” muito rapidamente para ajudar em prol do combate ao Covid-19, superação.

Na crise tivemos que nos reinventar como vimos em vários casos ao longo do ano passado. Vimos histórias maravilhosas de total superação em empresas que fabricavam itens de outros segmentos e do dia para noite “viraram a chave” para ajudar em prol no combate ao vírus, mantiveram o seu quadro de colaboradores e seguiram. O Covid nos afetou assim como ao resto do mundo, nos fazendo reaprender que agilidade nas decisões e união são as palavras que ajudam a empresa manter-se firme.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Ir para o conteúdo