Iza Herklotz: “Precisamos investigar o que queremos”

 Iza Herklotz

A necessidade dos clientes acelerarem a jornada e transformação digital no último ano, fez as empresas fornecedoras de tecnologia desenvolverem metodologias e soluções para atender às altas demandas tecnológicas que surgiram, fomentando esse crescimento. Nesse momento, existe uma grande procura por mão de obra qualificada e, como o mercado está muito aquecido, na maioria das vezes, são colaboradores que já estão empregados. Segundo pesquisa feita pela consultoria de recursos humanos Robert Half em 2020, enquanto a taxa de desocupação do país estava em 13,7%, o índice entre a população qualificada, acima de 25 anos e com ensino superior completo, era menor que 6%. Para aqueles que se vêem frente a uma nova proposta, a CPO da NAVA Technology for Business, Iza Herklotz, traz ricas orientações, desenvolvidas por meio de análise de processos de contratação, que podem servir como um passo a passo facilitador na hora de tomar a decisão entre a nova oportunidade e o emprego atual. A NAVA é o resultado da consolidação de um grupo de empresas de tecnologia que se uniram para fornecer serviços e soluções digitais que transformam o mundo dos negócios. Com um portfólio robusto, há 25 anos, a companhia auxilia clientes dos setores financeiro, seguros, meios de pagamento, educação, energia, saúde, telecomunicações e varejo, entre outros, a alavancar suas jornadas de evolução digital.

Iza, qual a importância de entender o que está se buscando na hora de decidir mudar de emprego no mercado de tecnologia?

É importante (sempre que possível) tomarmos a decisão de fazer uma mudança, qualquer que ela seja. Primeiro precisamos investigar o que queremos, quais são nossos planos, nosso propósito, nossas prioridades, nossos objetivos, em geral. Depois entender como o lugar onde estamos ou a atividade que estamos executando está, ou não em linha com o que queremos. Caso a resposta seja negativa, sempre é bom ver se é possível mudar o cenário no mesmo lugar se você gosta de lá. Caso negativo, busque os lugares ou atividades que atendam suas expectativas.

O mercado de tecnologia está aquecido?

Sim. Muito.

A aceleração digital foi um dos fatores de destaque para esse bom momento do setor?

Sim. Com certeza. Acredito que a pandemia trouxe também um aumento significativo dessa transformação para o mercado de forma geral.

Existem profissionais que ainda decidem mudar de emprego mesmo não entendo o que estão buscando?

Acredito que em alguns casos as pessoas não necessariamente mudam de emprego sem entender o que tem pela frente, mas sim com certeza do que não querem mais para si. Sair de um lugar e ir para outro diferente que você queira nem sempre são ações que acontecem em um mesmo movimento. Às vezes saímos de um lugar pela certeza de que lá não é mais nosso lugar e que permanecer nessa situação pode se tornar insuportável por motivos diversos. Então simplesmente saímos para um lugar que nos acolha, mas não necessariamente este lugar é aquele que imaginamos como ideal.

Como deve ser o balanço de entender o que se está buscando com aquilo que uma empresa pode oferecer?

Acho que que esse equilíbrio entre expectativa e realidade pode ser alcançado fazendo um exercício de priorização. Por exemplo: pensar quais os três pontos mais importantes que você não abre mão e ver como a empresa endereça ou atende estas prioridades. Depois liste mais 3 e veja qual o grau de proximidade entre expectativa e realidade. Dependendo da distância você pode ou não decidir seguir no processo.

O peso da reputação da empresa no ecossistema digital, seria um dos fatores de análise para esses profissionais?

Reputação no mercado pode ser prioridade para uns, mas não para outros. Depende do que cada um busca. Alguns buscam mais consolidação e outros buscam a construção de marca e de empresa. Dependo do que cada pessoa busca para si.

A alta rotatividade no setor é comum?

Sim, em função do aquecimento do mercado a tendência pode ser sim uma aceleração na rotatividade das empresas.

Por que isso ocorre?

Pelo grande número de possibilidades existentes.

O desejo de aumentos salariais anuais, traria uma maior dificuldade para empresas que querem, reter os seus talentos?

Não necessariamente a mudança está apoiada apenas em aumento de salário. O conjunto completo oferecido na jornada do colaborador – Employee experience faz toda diferença no engajamento das pessoas com a empresa.

Quando a busca por um salário melhor pode se tornar um risco para esse profissional?

Quando o salário impactar os valores e propósito das pessoas. Em minha opinião.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content