João de Paula, cofundador e CTO da startup Origin: “Os empreendedores brasileiros têm flexibilidade e determinação”

startup Origin

A Origin nasceu com um propósito claro: fazer com que o planejamento financeiro seja disponível para qualquer pessoa em qualquer momento da vida. Fundada em 2018 pelo americano Matthew Watson e pelo brasileiro João de Paula e com escritório em São Francisco, na Califórnia, a fintech recebeu um aporte de 12 milhões de dólares em sua rodada série A liderada pelo fundo Felicis Ventures, o equivalente a 63 milhões de reais. Com uma tecnologia robusta, a Origin é a primeira startup a ajudar empresas a aliviar o estresse financeiro de seus funcionários oferecendo diversos benefícios dentro do mesmo produto. Entre os principais clientes atendidos até agora estão Nextdoor, Chive, Fuze, Modern Health e Clover, já somando milhares de beneficiários nos Estados Unidos, a maioria na faixa etária de 20 e 40 anos. Na Origin, o colaborador conta com o suporte de um conselheiro financeiro que o ajuda no gerenciamento de seu orçamento e a entrar no caminho do bem-estar das finanças. “Aprendi e continuo aprendendo muito com a cultura de lá. Os empreendedores brasileiros têm uma flexibilidade e uma determinação invejáveis, mas trouxemos para a Origin o foco no usuário e a cultura de feedback muito presentes nas startups de lá. Esses dois itens em conjunto levam à criação de soluções mais inovadoras para o usuário e que tem um impacto maior em nossa sociedade”, explica João de Paula, cofundador da Origin.

João, como a cultura do Vale do Silício afetou a sua visão como empreendedor?

As interações com mentores e empreendedores do Vale do Silício moldaram minha visão como empreendedor. Aprendi e continuo aprendendo muito com a cultura de lá. Os empreendedores brasileiros têm uma flexibilidade e uma determinação invejáveis, mas trouxemos para a Origin o foco no usuário e a cultura de feedback muito presentes nas startups de lá. Esses dois itens em conjunto levam à criação de soluções mais inovadoras para o usuário e que tem um impacto maior em nossa sociedade.

Como enxerga o mercado das fintechs em todo mundo?

Como os demais setores da economia, o sistema financeiro está sendo engolido por software. Com a transformação de boa parte dos serviços financeiros em commodities, é natural que as fintechs puxem a fila da democratização, combinando esses serviços de forma inovadora, reduzindo custos para o consumidor final e lançando produtos que de fato se preocupam em resolver os problemas do usuário. É um processo sem precedentes e irreversível.

Acredita que as fintechs brasileiras estão operando no mesmo nível de outras instaladas em várias partes do globo?

Sem dúvida. Como cada sistema financeiro tem suas particularidades, os problemas enfrentados pelos usuários mudam muito em cada mercado e, por tabela, as soluções apresentadas pelas fintechs também. É inegável o progresso que está acontecendo em diversas frentes do ecossistema financeiro do Brasil. Estamos em um processo geracional de democratização e transformação do acesso ao sistema financeiro e o que vimos nos últimos anos é só o começo.

O que foi fundamental para a criação da Origin?

Finanças são a maior fonte de stress nos Estados Unidos e no mundo. Matt e eu experimentamos esse problema pessoalmente, passando por dificuldades financeiras quando começamos nossas carreiras como empreendedores. Nós conseguimos superar esse momento com muitas dificuldades, mas a combinação da falta de recursos com a falta de conhecimento financeiro mantém a maior parte das pessoas nessa situação terrível durante boa parte de suas vidas. Quando nos conhecemos, esse objetivo em comum de transformar o planejamento financeiro em algo acessível foi fundamental para que nós juntássemos forças e fundássemos a Origin.

Qual o principal pilar da fintech?

A maioria das pessoas têm dificuldades de fazer as contas fecharem, de se planejar paro futuro e de atingir seus objetivos financeiros. Quase todos nós passamos por isso em algum momento e não é novidade pra ninguém que esse stress financeiro contínuo leva a problemas de saúde física e mental. O que é mais surpreendente é o impacto que esse stress tem no ambiente de trabalho. As pessoas gastam em média, por semana, de 2 a 4 horas do horário de trabalho lidando com suas finanças pessoais. Esse e outros sintomas levam a uma perda de produtividade estimada em 500 bilhões de dólares só no Estados Unidos.

O principal insight que move a Origin é essa realização de que o stress financeiro é um problema tanto para os funcionários quanto para a empresa. Fundamos a Origin para transformar o planejamento financeiro customizado em algo escalável para um público muito maior. É por isso que oferecemos um produto que é distribuído pelas empresas para os seus funcionários como um benefício financeiro. Ele permite que os funcionários usem um serviço que antes era acessível apenas para os muito ricos e se coloquem no caminho do bem-estar financeiro sem gastar um centavo. Ao mesmo tempo, as empresas conseguem atrair talento de alto nível e melhorar a produtividade de seus times removendo o stress financeiro da equação.

A Origin é extremamente focada no usuário. Qual a principal mola-mestra desse foco total no usuário?

A missão da Origin é fazer do planejamento financeiro algo acessível para todos os funcionários em todos os lugares. Esse objetivo ambicioso exige que transformemos o que hoje é um serviço manual em algo escalável. O melhor jeito de tornar isso possível é através de um produto que as pessoas amem. Acreditamos fortemente que é impossível construir esse produto sem estar completamente focado no usuário. Esse foco orienta todas as nossas decisões como empresa, desde a decisão de captar o nosso séries A até o investimento para formar um time de produto incrível que hoje representa 75% da empresa.

As pessoas sentem que estão no controle da sua vida financeira com o auxílio da fintech?

Sim. Todos os nossos usuários têm acesso a um planejador financeiro que os ajuda pessoalmente a entender e resolver os problemas que estão enfrentando para que consigam se colocar no caminho do bem-estar financeiro. Essa atenção personalizada tem um impacto transformador na vida dessas pessoas, que avaliam o serviço oferecido da Origin de forma extremamente positiva: a nota média dada por usuários para a plataforma é, hoje, de 9.4.

Como a empresa pretende ajudar as pessoas para que elas tenham uma melhor educação financeira?

A Origin oferece uma série de recursos para que seus usuários melhorem a sua educação financeira, mas vai muito, além disso. Oferecendo acesso a um planejador financeiro certificado e uma série de ferramentas, os usuários conseguem ir além do lugar-comum, chegando a respostas customizadas para a situação financeira de cada um. A Origin ajuda seus clientes em todos as suas fases de sua vida financeira, indo desde descobrir se ele está economizando tanto quanto deveria até a traçar um plano para que ele consiga comprar a casa dos seus sonhos.

Quais os movimentos que você considera certeiros e que a plataforma realizou durante a pandemia?

Primeiramente, reagimos rápido e conseguimos proteger todas as pessoas que trabalham na Origin dos impactos diretos da pandemia. Nenhum de nós pegou a Covid-19 nem sofreu qualquer perda financeira por conta da crise. Mas, a parte disso, estamos sofrendo no nível pessoal como qualquer outra pessoa. Não é fácil assistir pessoas próximas sendo jogadas contra as cordas, gastando suas economias e perdendo sua renda. O stress financeiro está em seu ponto mais alto em muito tempo. Por isso, aceleramos ainda mais a nossa trajetória. Queremos estar preparados e fazer a nossa parte e ajudar as pessoas a reconstruírem suas vidas quando a pandemia passar.

O aporte recebido pela fintech oriunda do fundo Felicis Ventures será fundamental para o crescimento e consolidação da Origin?

Com certeza. Conseguiríamos continuar crescendo de forma orgânica, mas o aporte veio no momento perfeito. Com ele, conseguimos acelerar a criação de valor para nossos clientes e o nosso esforço para levar bem-estar financeiro para todos os funcionários em todos os lugares.

Quais os planos da startup para o Brasil?

O problema que estamos resolvendo – o stress financeiro – é um problema universal. Ele afeta bilhões de pessoas de todas as nacionalidades e não temos dúvidas de que todas essas pessoas seriam beneficiadas pelo acesso a uma solução como a Origin. Entretanto, as origens desse stress são específicas de cada local: os empréstimos estudantis são um problema muito maior nos EUA do que no Brasil, por exemplo. É necessário profundo conhecimento dos problemas financeiros enfrentados em cada mercado para que possamos apresentar uma solução. Nosso time de produto, design e tecnologia – que continua crescendo – vive na pele as dificuldades enfrentadas pelos brasileiros e esse conhecimento será fundamental no momento em que a Origin puder ajudar os milhões de brasileiros que enfrentam o stress financeiro.

Enquanto isso não acontece e apesar da crise, continuamos investindo no nosso time de produto e tecnologia aqui em São Paulo. Ainda temos várias vagas abertas para designers, gerentes de produto e engenheiros de software. Oferecemos não só remuneração competitiva, participação na empresa e outros benefícios como curso de inglês, férias, horários flexíveis e programas para desenvolvimento pessoal, mas também a possibilidade de trabalhar em uma empresa do Vale do Silício com um potencial enorme sem precisar se afastar da família e dos amigos aqui no Brasil.

Compartilhar:
Voltar ao Topo