Julia Lucidi: “A inovação não tem limite”

 Julia Lucidi

Julia Lucidi é brasileira, nascida em Apucarana (PR), radicada nos EUA. Formada em Relações Públicas e Marketing pela faculdade Kennesaw State University, aos 23 anos voltou ao Brasil a passeio e teve a oportunidade de conhecer a Endeavor, no Rio de Janeiro, onde começou a trabalhar com cultura empreendedora e a mudança de paradigma do empreendedorismo no Brasil liderando estratégias da Semana Global do Empreendedorismo. Também atuou no instituto Pereira Passos em projetos internacionais e na Coca-Cola Brasil, colaborando para a atualização do projeto The Boat Challenge, com empreendedores na região amazônica. Em 2017 voltou aos EUA e há dois anos atua com empreendedorismo e inovação no CIC Miami, como gerente sênior de relacionamento líder para América Latina, idealizadora e responsável pelo lançamento CIC Soft Landing Program. Fundada em 1999, o CIC é uma das maiores organizações de formação e gestão de comunidades de inovação e espaços de coworking e eventos para empreendedores, presente em Cambridge, Boston, Philadelphia, Providence, St. Louis, Miami, Rotterdam, Warsaw e Tóquio, formando um ecossistema de inovação e empreendedorismo. Mais de sete mil startups e empresas de tecnologia já receberam o apoio do CIC e mais de 10 bilhões de dólares, já foram investidos em empresas que fazem parte da rede do CIC. Nos próximos dez anos, 50 cidades no mundo receberão novos centros de inovação.

Julia, qual a maior dificuldade dos brasileiros na hora de empreender nos EUA?

Na hora de empreender nos EUA a maior dificuldade é que os empreendedores erram por tomar decisões muito rapidamente sem as informações, e sem uma forte rede de relacionamento de negócios, ou se paralisam por falta de conhecimento. Tanto acelerar sem um direcionamento claro e o não agir é um problema. No programa virtual de internacionalização de empresas “Soft Landing” do Centro de Inovação de Cambridge (CIC), resolvemos esse problema ao introduzir o processo de internacionalização em 5 dias cobrindo: fundamentos para operar nos Estados Unidos (visão legal e tributária) e conhecimento sobre o mercado (conhecimento de como se relacionar com investidores e o processo de vendas) e habilidades para ampliar sua rede de relacionamento nos EUA. O curso aconteceu de 17 a 21 de maio das 16h às 18h30 (horário de Brasília) e foi todo em inglês, sem tradução.

A falta de informações básicas é um entrave?

A falta de informações básicas podem prejudicar a habilidade de internacionalização já que o mercado estadunidense tem processos diferentes, tanto legais quanto culturais. Os brasileiros têm um potencial criativo e bagagem tecnológica imensos, mas não conseguem entrar no mercado americano de forma adequada. O programa é o primeiro passo para que a expansão de sua empresa para o mercado dos EUA seja eficiente, coordenada e que alcance os resultados esperados, sem tomar decisões que prejudiquem o crescimento da sua empresa, aumentando sua habilidade de negócios no exterior.

Como superar esses obstáculos?

Nos EUA existe há 20 anos um conceito de comunidades de inovação com o propósito de aproximar empresas e organizações que desejam trabalhar em ambientes colaborativos, assim podendo gerar grandes negócios. CIC é um líder global na construção de comunidades de inovação, uma das primeiras empresas a oferecer espaços flexíveis de escritórios e coworking para empreendedores dentro deste conceito – foi justamente em nossas cozinhas que Google e Android se conheceram e acabaram gerando uma grande relação de negócios! O programa virtual de internacionalização de empresas “CIC Soft Landing” é um primeiro passo para se aproximar a maior comunidade de inovação do mundo, tendo a possibilidade de desenvolver sua rede de negócios e habilidades para se integrar ao ambiente de negócios nos EUA de forma mais rápida e efetiva.

Quais os grandes pilares do CIC?

No CIC focamos em conectar empreendedores com: provedores de serviço de confiança, a integração ao ecossistema de inovação, acesso a mentores e especialistas com orientações específicas do mercado, e a possibilidade de aprender e crescer ao lado de outras empresas enfrentando o mesmo desafio de crescer e empreender nos EUA.

Qual a importância da inovação para a empresa?

A inovação é a habilidade de ver problemas antigos com um olhar novo, é a habilidade de pensar fora da caixa e se arriscar em desenvolver um produto ou serviço para melhorar a vida humana, ou a sociedade. Sem a inovação, a vida não teria tanta possibilidade de crescimento nem propósito. A inovação não tem limite, podemos inovar na forma de nos relacionar com nossos clientes no dia a dia ou inovar ao ponto de criar uma disrupção no mercado. A inovação é uma característica fundamental da cultura de qualquer empresa que deseja evoluir, e a base em qual nos permitimos sonhar grande.

Como funciona a parceria com o MIT Enterprise Forum de Cambridge?

O CIC Soft Landing: Programa Virtual de 5 dias é uma parceria entre o CIC Miami e o MIT Enterprise Forum de Cambridge para ajudar empresas internacionais a entrar no mercado dos EUA por meio de Miami, ensinando-lhes os fundamentos para começar nos EUA. O programa de 5 dias têm como objetivo ajudar os fundadores a entender as diferenças culturais e as etapas práticas de se fazer negócios nos Estados Unidos. A agenda inclui pitch, estratégia de hackeamento do mercado, visão geral legal e tributária, levantamento de capital de risco e muito mais.

Quantas startups já foram apoiadas pelo CIC?

Atualmente, o CIC tem duas mil empresas de inovação e empreendedorismo em sua rede global e já apoiou mais de sete mil startups e empresas de tecnologia.

O quanto já foi investido nas empresas da rede CIC?

Mais de 10 bilhões de dólares já foram investidos em empresas que fazem parte da rede do CIC.

O mercado brasileiro é inovador. Como ampliar ainda mais essa inovação nesse ecossistema?

Segundo dados revelados pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) em 2020, o Brasil apresentou um crescimento de 27% no número de startups entre 2018 e 2019. Segundo a organização, em 2011, o país tinha 600 negócios de tecnologia e pulou para 10 mil empresas em 2018, ou seja, em oito anos, o setor cresceu 20 vezes mais. É inquestionável que o Brasil hoje tem um entendimento claro do caminho para inovar no seu próprio país, inclusive liderando na América Latina, o próximo passo é liderar no mercado global. Para isso, o empreendedor brasileiro precisa se preparar para atuar globalmente, desenvolvendo habilidades de negócios e sua rede de relacionamento de negócios. Motivada por isso, o CIC lançou o programa virtual de internacionalização de empresas “CIC Soft Landing”, uma experiência imersiva em negócios para apoiar empresas estrangeiras que buscam crescer e se estabelecer nos Estados Unidos. Desde o seu lançamento, mais de 150 startups, governos, investidores e capitalistas de risco receberam apoio para expansão e exploração do mercado dos EUA.

Quais outros fatores são cruciais além dessa inovação?

Além da inovação, o brasileiro traz várias vantagens ao mercado internacional, ele vem com uma bagagem de luta e superação tendo crescido em um ambiente regulatório difícil, como é atualmente no Brasil. Isso permite que o empreendedor brasileiro chegue com resiliência e persistência, mas é importante dosar essa vontade de fazer com conhecimento local do mercado e da cultura e uma rede de relacionamentos, todos os quais a comunidade do CIC e o programa virtual de internacionalização de empresas “Soft landing” vem proporcionar.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content