Lyssandra Macedo, criadora da marca Lys Joalheria Artesanal e Empreendedorismo Criativo: “Almejo um crescimento gradual e consistente”

Joia da empreendedora

Com a Covid-19, dois milhões de novos consumidores fizeram suas primeiras transações pela internet. O que também resultou em uma nova chance para pequenos empreendedores e antigas profissões como o caso da ourivesaria, arte que teve sua primeira aparição em sítios arqueológicos no mar Egeu, em torno de 2.500 a.C. Antes comprar uma joia demandava um esforço e logística muito maiores do que o esperado e, além de isoladas hoje as pessoas e o mundo não permitem mais ter esse tempo. Era preciso se deslocar até as lojas e escolher, muitas vezes entre modelos já prontos e fabricados em grandes quantidades, algo especial. Atualmente, com a enorme facilidade que a tecnologia dispõe, é possível encontrar basicamente tudo na internet, de forma personalizada e renovada. Este é o caso da ourives Lyssandra Macedo que trabalha com joias artesanais. Para a artista estes últimos meses trouxeram duas grandes conquistas: um aumento significativo na procura por seus serviços e a chance de trabalhar com a sustentabilidade, ou seja, sua arte preserva o Meio Ambiente. A profissional é formada em Design e especializada em Gestão de Design e Inovação. Também trabalhou para grandes marcas que proporcionaram experiências em design de produto, design gráfico, web design, design de interface e desenvolvimento de materiais cores. Há 5 anos resolveu se dedicar à Lys Joalheria Artesanal e Empreendedorismo Criativo.

Lyssandra, o que é fundamental para se obter uma renovação contínua em seu ofício?

Criatividade e identidade, no que se refere a criação de novas peças. Um olhar atento às tendências do mercado quando o assunto é empreendedorismo.

Como o seu trabalho foi impactado pela pandemia?

Por ser um trabalho que é comercializado online o impacto foi positivo. Acredito que a pandemia levou as pessoas a se familiarizarem com o consumo online, e trouxe algumas questões relacionadas a dar prioridade ao consumo de pequenos empreendedores, que impactou positivamente nas minhas vendas.

As observações externas ajudam a moldar o seu trabalho em quais sentidos?

Com certeza, estou sempre atenta aos movimentos sociais e econômicos. Tenho especial interesse por tendências de comportamento e consumo.

Outra palavra falada sobre o seu trabalho é conexão. Qual a importância da conexão para a criação de trabalhos únicos?

É o principal diferencial da minha marca. As pessoas têm contato direto comigo que crio e confecciono as joias. Elas têm liberdade de interferir na criação e se sentem parte do processo.

O seu lado artístico já se conflitou com o seu lado empreendedor?

Minhas habilidades artísticas são mais naturais do que as necessárias para empreender. Mas uma não se desenvolve sem a outra. Em alguns momentos dedico muito mais tempo as questões do empreendedorismo e o lado criativo fica em segundo plano. Tenho buscado alternativas para equilibrar isso.

Fale um pouco sobre a criação da sua marca.

Há uns 5 anos eu comecei a fazer um curso de ourivesaria. Queria ter a liberdade de criar uma peça e confeccioná-la sem interferências. Depois de anos trabalhando em indústrias cheias de restrições, sentia falta dessa liberdade. Comecei a fazer algumas peças e divulgá-las nas redes sociais, despretensiosamente. Gradualmente algumas pessoas foram se identificando com o meu trabalho e queriam comprar as peças. Comecei a vender e o que era um hobby virou minha atividade principal.

Quais os pilares que são os principais sustentáculos do seu negócio?

Identidade. As pessoas reconhecem uma identidade no meu trabalho e se identificam com ela. Por isso me procuram para fazer projetos que tenham essas características. Presença online, mas com atendimento personalizado. Minhas vendas são predominantemente pela loja online, a maioria dos meus clientes vêm de redes sociais. Apesar de terem autonomia para fazer as compras online, se precisam de apoio eu os atendo pessoalmente. Os outros pilares são: honestidade, credibilidade e pontualidade, que são básicos para qualquer negócio que queira ser próspero.

O que um design deve ter além de forma e função?

No caso da joalheria o objetivo é ornamentar, representar bons momentos, recordações significativas, então a função não guia muito os projetos. A ergonomia é mais importante nesse caso. O uso precisa ser confortável e seguro. Mas o mais importante no caso do Design de Joias e de uma Joalheria Artesanal é ter identidade. Existe uma unidade visual entre as peças criadas.

Como a sustentabilidade afeta o seu trabalho?

O fato de trabalhar com metais que podem ser totalmente reciclados é uma grande vantagem da minha área. Trabalho com renovação de joias antigas, então cria-se um ciclo de reaproveitamento.

O que almeja para o seu negócio no pós-Covid?

Almejo um crescimento gradual e consistente. Quero ter a possibilidade de delegar algumas funções administrativas para poder me dedicar mais a criação e atendimento.

Compartilhar:
Voltar ao Topo