Marco Zanatta: “Vamos expandir nossa área de atuação”

CEO do O CEO do AprovaDigit

O AprovaDigital, GovTech que busca desburocratizar e tornar digitais os processos das prefeituras do Brasil, recebeu um investimento seed no valor de 4 milhões de reais da Astella Investimentos. Agora, a empresa passa a ter como membro de seu conselho Marcelo Sato, sócio do fundo. Com este aporte, a startup poderá crescer em todos os âmbitos. O time de colaboradores será dobrado, recebendo a contratação de mais de 40 pessoas, que vão atuar nos departamentos de sucesso do cliente, vendas e administrativo com foco na expansão do time de desenvolvedores. Além disso, o AprovaDigital expande sua área de atuação de três para oito frentes de trabalho na Gestão Pública. Abrangendo agora, as secretarias municipais de administração, saúde e finanças, ofertando processos digitais de vigilância sanitária, tributos, abertura e fechamento de empresas, compras e recursos humanos. A startup já vinha tornando digitais os processos de licenciamento de obras, licenciamento ambiental e comunicação interna de prefeituras por todo o país. Para o CEO e fundador do AprovaDigital, Marco Zanatta, o investimento seed realizado pela Astella Investimentos contribui não só para o crescimento dos serviços prestados pela startup, mas também melhora o posicionamento da empresa no mercado. “Receber esse aporte da Astella consolida o AprovaDigital como uma GovTech relevante no cenário nacional”, afirma Marco Zanatta, CEO do AprovaDigital.

Marco, como surgiu o AprovaDigital?

Fundei o AprovaDigital em 2017, para suprir uma necessidade que encontrei no mercado: desburocratizar os processos públicos para melhorar a qualidade de vida das pessoas e tornar o processo de licitação mais fácil e rápido.

Antigamente, para a tramitação de um licenciamento de obra, era necessário imprimir as imensas pranchas do projeto, levá-lo para verificação, e esperar que esse fosse protocolado e avaliado pela secretaria. Depois de todo esse processo (que demorava meses), o documento voltava com as alterações necessárias para ser aprovado. Realizadas as mudanças, você poderia protocolar o projeto novamente, passar por toda essa burocracia (de novo) numa reavaliação, e então ser seu projeto aprovado. Para agravar o problema, muitos engenheiros e arquitetos davam entradas em processos incompletos de propósito, para que furassem a fila da primeira avaliação enquanto finalizavam o projeto com as informações faltantes, esperando a solicitação de revisões. O ambiente de negócios das cidades esfriava, o aumento no trabalho dos servidores da prefeitura era significativo, e a fila de processos na qual os requerentes entravam só aumentava com o tempo.

Hoje, com o sistema do AprovaDigital, o processo é bem diferente. Não há burocracia em excesso, pilhas de papéis nas salas dos servidores, aceitação pela prefeitura de processos incompletos ou espera de meses para ver se o licenciamento de obras será, de fato, aprovado. Reduzimos esse prazo de 120 dias para 15 dias em Mogi das Cruzes – SP, por exemplo.

O que norteia a operação da Govtech?

Nosso foco é trazer a melhor experiência para requerentes e servidores da prefeitura. A chave é trazer as melhores práticas em outras empresas inovadoras e startups para a esfera pública. O software para o governo pode ser eficiente e bonito.

Como analisa esse mercado em nosso país?

Um mercado bem promissor, o espaço para crescimento é gigantesco: o Brasil tem 5.560 municípios e o orçamento combinado das cidades brasileiras excede 1 trilhão de reais. As compras de tecnologia por parte de governos, por outro lado, movimentam aproximadamente 25 bilhões de reais por ano no país, sendo que R$5 bilhões desse total vêm do Governo Federal.

A necessidade das soluções oferecidas pelas Govtechs vão ao encontro do dinheiro disponível para melhorar os serviços oferecidos à população, e otimizar a vida dos próprios servidores públicos das prefeituras. O ano de 2021 é animador para as Govtechs do país.

Você acredita que as Govtechs conseguirão reformar o Estado?

Acredito que sim, porque a digitalização vai ocorrer naturalmente. Conforme o tempo passa, novas e melhores soluções digitais surgem para desburocratizar e facilitar a vida do cidadão e da máquina pública. Os novos governantes e prefeitos, que assumiram no começo de 2021, entendem que a população está cada vez mais conectada em todos os aspectos e o impacto positivo que a digitalização das atividades da secretaria tem para os cofres públicos e meio ambiente.

O ato de mergulhamos no digital em 2020 e mudarmos completamente a forma de consumir, vender, solicitar serviços e trabalhar contribuiu muito para isso. Aceleramos um processo que estava ocorrendo. A prova disso é que em 2020 triplicamos o número de administrações municipais atendidas pelo AprovaDigital levando mais praticidade, qualidade de vida, sustentabilidade e economia para as cidades.

Qual o potencial das Govtechs para um futuro mais eficiente?

As Govtechs são a base de todo o stack tecnológico da sociedade. Da mesma forma como as fintechs são importantes para um mercado mais competitivo e eficiente, empresas e pessoas dependem das licenças e dos serviços da prefeitura para operar. É um espaço enorme para inovação e quanto mais inovação acontecer no privado, mais o poder público irá se adaptar, gerando novas oportunidades. São esferas que geram um ciclo virtuoso.

Vamos voltar para o Aprova. A ferramenta está presente em quantos municípios?

Quatro anos após nossa fundação, estamos em seis estados (SP, MG, PR, SC, RS, GO) e em 28 municípios. Nosso trabalho impacta positivamente a vida de +20 milhões de pessoas, trazendo eficiência, transparência e rapidez a processos como: licenciamento de obras e reformas, licenciamento ambiental e abertura de empresas.

A pandemia teve um papel preponderante na digitalização das prefeituras das cidades brasileiras?

Sim, apesar de entender que digitalizar e desburocratizar já eram tendências que vinham se fortalecendo ao longo do tempo no setor público, a pandemia foi um divisor de águas. Porque as pessoas não podem se deslocar repetidamente às prefeituras e precisam continuar protocolando seus projetos, atas, documentos. Então a administração municipal se viu obrigada a realizar essa adaptação no sistema para continuar normalmente com suas operações.

Os novos prefeitos estão abertos a essa mudança de paradigma no qual o Aprova está na dianteira?

Acreditamos que sim. Os novos prefeitos querem mostrar serviço e sabem do poder da digitalização para sua administração. Diversos candidatos propuseram a digitalização de serviços das prefeituras nos seus planos de governo. Além disso, entregar todas as outras promessas eleitorais num ano de aperto das contas públicas, como o de 2021, que segue um choque negativo na economia, só é possível poupando recursos. Essa economia de recursos, e a maior transparência de dados sobre o trabalho das secretarias da prefeitura, oferecidas por soluções como o AprovaDigital, permitem aos gestores municipais exatamente ter verba para entregar o que prometeram e estar melhor informados para quaisquer tomadas de decisão.

Qual a importância do aporte da Astella Investimentos para o seu negócio?

Receber um aporte de um fundo renomado como a Astella Investimentos é algo muito importante para nós. Vamos expandir nossa área de atuação de três para oito fluxos de trabalho nas secretarias municipais das prefeituras. As nossas soluções passarão a abranger as secretarias municipais de administração, saúde e finanças, ofertando processos digitais de vigilância sanitária, tributos, abertura e fechamento de empresas, compras públicas e recursos humanos. Já trabalhamos com os processos de licenciamento de obras, licenciamento ambiental e comunicação interna de prefeituras por todo o país.

Também vamos contratar 40 novos profissionais, que vão atuar nos departamentos de sucesso do cliente, vendas e administrativo, com foco na expansão do time de desenvolvedores para entregar quanto antes essas novas soluções de digitalização do trabalho às prefeituras.

Quais outras áreas são visadas para a expansão do Aprova?

Antes do aporte da Astella, o AprovaDigital já vinha tornando digitais os processos de licenciamento de obras, licenciamento ambiental e comunicação interna de prefeituras por todo o país. Agora, vamos expandir e atingir as secretarias municipais de administração, saúde e finanças, ofertando processos digitais de vigilância sanitária, tributos, abertura e fechamento de empresas, compras e recursos humanos.

Em 2020 o crescimento do Aprova foi triplicado. Em 2021 o ritmo será mantido?

Acreditamos que sim. Alguns cenários colaboram para que esse crescimento aconteça: Existe uma perspectiva boa para as Govtechs em 2021, se o PIB crescer os 3% esperados. Isso vai contribuir para uma tendência de crescimento no nicho, mas, estamos em período de pandemia. Precisamos ver como o mundo vai se comportar.

Pensando num futuro não tão distante, a ideia é tornar nossa marca um selo de desburocratização, transparência e eficiência no serviço público municipal, expandindo nosso atendimento para o Brasil todo, atraindo novos investidores e vendo prefeituras utilizando o AprovaDigital em diversas secretarias e inclusive nas regiões norte e nordeste, que ainda não atingimos.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content