Marcos Puccini: “Garantir produtividade é otimizar tempo e recursos”

 Marcos Puccini

De acordo com a BRITech – fintech com soluções para o ecossistema de gestão de investimentos presente em mais de 20 países, as atividades de gestão de ativos e portfólios vem se transformando com as soluções SaaS – permitindo a ampliação da base de clientes, além do gerenciamento dos fundos e carteiras. Somente no Brasil, o setor de fundos de investimentos encerrou 2020 com R$ 6 trilhões de patrimônio líquido e mais de 24 milhões de contas ativas – patamar recorde. São mais de 16 mil fundos ativos, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Pensando nos players desse mercado, o especialista Marcos Puccini, Global Chief Growth Officer da BRITech elencou os principais benefícios do software de gestão de investimentos para a expansão dos negócios: “Como consultor, as comparações entre as rentabilidades brutas e após os impostos são vitais para avaliar as opções de investimento. As condições fiscais desempenham um papel fundamental na rentabilidade e no desempenho dos fundos. O software de gestão de investimentos ajuda a calcular e avaliar a expectativa de lucratividade bruta, gerenciando ativos com base nos benefícios fiscais e “gross-up” – que atribui impostos em ativos. O software torna mais fácil calcular impostos, analisar a margem de lucro e prever o desempenho dos investimentos”, explica Puccini.

Marcos, fale um pouco sobre a BRITech.

A BRITech é uma fintech que oferece soluções para o ecossistema de Gestão de Investimentos com modelo de negócios SaaS (Software as a Service). Hoje, temos mais de 300 clientes, mais de 120 funcionários e atuamos em mais de 20 países com suporte a clientes regionais e alcance global.

Começamos a empresa em 2014, com foco inicial de atuação em alguns participantes da cadeia de investimentos (corretoras) e expandimos nossas soluções para atender atualmente os demais participantes. Temos uma base de clientes de diferentes portes e segmentos usando a nossa plataforma de software, mas que utilizam para usos específicos, de acordo com as suas necessidades. Atualmente nossa plataforma atende +35 casos de uso.

Como a fintech está situada em seu mercado de atuação?

Como estamos focados no segmento de Gestão de Investimentos, globalmente também somos conhecidos não só como uma fintech, como também uma WealthTech e oferecemos soluções na modalidade SaaS para todos os participantes da cadeia de Gestão de Investimentos: Corretoras, Fintechs, Distribuidoras, Gestores de Ativos, Gestores de Patrimônio (incluindo os Single e Multi-Family Offices), Private Banking, Administradores de Fundos, Custodiantes e Planejadores Financeiros.

Hoje, mais de 95% da nossa base de clientes utiliza as soluções em nossa nuvem, bastando que tenham acesso à internet para realizar suas atividades. Os demais utilizam nuvens privadas.

Por que você acredita que a BRITech se diferencia das suas concorrentes?

Temos uma solução abrangente e com profundidade funcional que atende a todos os participantes da cadeia de investimentos. Além de tecnologia, o time global é muito experiente na indústria de investimentos. Entendemos as necessidades do nosso público e criamos uma solução que vai além da tecnologia, compartilhamos nossa expertise e queremos crescer junto aos nossos clientes.

Também buscamos um relacionamento de longo prazo com eles, entendendo suas necessidades atuais e futuras, ouvindo muito e criando soluções que o atendam.

Como um sistema robusto pode ser um divisor de águas na gestão de ativos em uma cadeia de investimentos?

O mercado de gestão de investimentos no Brasil é complexo, maduro e regulado, exigindo um conhecimento profundo do negócio. São diversas as normas e regulações que precisam atender aos mais altos padrões de confiabilidade. A robustez do sistema é parte fundamental para lidar com essas famosas “jabuticabas”, termo utilizado pelo nosso CEO – Yuryi Ferber – para salientar pequenos, mas importantes detalhes do mercado financeiro no país. O modelo na nuvem garante escalabilidade, segurança e produtividade ao nosso cliente.

Por que um software de gestão de investimentos é fundamental para a expansão de um negócio?

Com a democratização dos investimentos iniciada há alguns anos, houve um aumento de gestores buscando consolidar e distribuir suas visões com seu próprio negócio, seja uma corretora que gostaria de distribuir novos fundos com um diferencial ou um gestor de patrimônio que busca prestar serviços diferenciados aos seus clientes. Independente do ramo, o fato é que a competição está cada vez maior.

A nossa suíte tecnológica permite o atendimento de ponta a ponta. Isso reduz a necessidade de o cliente gerir múltiplos fornecedores, simplificando a gestão de TI, pois, todos os módulos já estão integrados. E mesmo quando o cliente tem parte de sua tecnologia desenvolvida internamente, toda a conectividade com a nossa tecnologia é entregue por um catálogo completo de centenas de APIs testadas e em uso pelos nossos usuários. A tecnologia, nesse caso, é a maior aliada desses players, pois, os possibilita focar nos diferenciais do seu negócio, permitindo escalabilidade, confiabilidade e precisão nas informações fornecidas aos investidores e órgãos reguladores.

Como o software pode tornar o cálculo dos impostos mais fáceis?

Acredito que existam alguns aspectos que podem facilitar a apuração de impostos. Primeiramente, destacaria o acompanhamento da legislação vigente, deixando as soluções sempre aderentes às exigências. Outro aspecto importante é que com o volume de operações elevado, o software permite que o risco operacional seja mitigado, o que fica quase impossível via planilhas eletrônicas, por exemplo. Diria que não apenas os impostos como outros requisitos para gestão dos investimentos como rentabilidade, performance e atendimento ao regulador e auto-regulador.

Um software de investimentos pode garantir mais produtividade. O que é preciso para que isso ocorra de fato?

Garantir produtividade é otimizar tempo e recursos. Existem diversas atividades que podem ser automatizadas hoje – principalmente no back office – e, para tal, é necessário uma solução capaz de atender todas as regras e normas impostas pelos órgãos reguladores. O software precisa acompanhar a evolução do mercado e da regulação e esse é um dos diferenciais da BRITech. Acompanhamos o mercado de perto para garantir a governança e estrutura que os nossos clientes precisam.

Como um software pode fazer o controle de múltiplos portfólios?

Um software de gestão de portfólios de investimento permite que sejam geridos diferentes tipos de ativos, fundos de investimentos, títulos de renda fixa/renda variável, derivativos, ativos alternativos, além de múltiplas moedas.

Quais as principais dificuldades desse controle em sua visão e que podem ser superadas com um software de gestão de investimentos?

Dado a diversidade dos fundos de investimentos e ativos financeiros, volume de operações e as obrigações regulatórias, fazer a gestão sem softwares é uma tarefa quase impossível. Veja, por exemplo, o que ocorre quando é feita uma nova exigência legal e o impacto de ajustar todos os portfólios que estão em planilhas. O risco operacional é elevadíssimo, podendo trazer impactos financeiros e na confiabilidade das informações enviadas aos investidores/clientes.

Como um software de gestão de investimentos pode dar agilidade para atender várias legislações?

Na BRITech, a equipe de produtos faz o acompanhamento constante das normas e legislações que são criadas, buscando identificar impactos para nossos clientes. A partir deste acompanhamento, conseguimos nos antecipar a movimentos/impactos, promovendo os ajustes necessários.

Quais os principais passos para a conciliação desse software com a estrutura de TI já utilizada por um negócio?

Muito tem se avançado no desenvolvimento de softwares para permitir uma integração mais fácil entre sistemas. Na BRITech desenvolvemos toda uma camada de APIs (Application Programming Interface) para mitigar o impacto das integrações com aplicações legadas e no ambiente de TI dos nossos clientes.

Os principais passos partem do desenho do fluxo operacional de determinado processo, definição dos atores/agentes que se envolvem em cada etapa, estabelecendo as integrações necessárias para que o processo seja executado de maneira fluída, trazendo mais agilidade.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content