Sua Página
Fullscreen

Modelo de negócio para o setor de consórcio

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Com o aumento das taxas de juros dos financiamentos e a burocratização das linhas de crédito, o consórcio, deve ser uma grande tendência nos próximos anos, principalmente dentro do setor de fintechs que tem como principal objetivo atrair consumidores que não conseguem aprovação de crédito em bancos tradicionais. Segundo Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), de janeiro a maio de 2022, o Sistema de Consórcios manteve o ritmo de expansão, com 1,5 milhão de novos planos, e mais de 96 bilhões de créditos comercializados, crescimento de 15% com relação ao mesmo período do ano passado.

Com objetivo de modernizar e democratizar o acesso ao crédito, o Klubi, primeira fintech 100% digital a ter autorização do Banco Central para operar como administradora de consórcios, oferece ao mercado um modelo que garante uma experiência simples, transparente e segura durante toda jornada do cliente, desde a simulação de um plano de consórcio até a conquista e liberação do crédito.

Um dos diferenciais da fintech é que seu processo acontece 100% online, através de uma plataforma proprietária, onde o membro do Klubi pode simular opções de planos, sem dificuldade. “Na plataforma do Klubi é possível selecionar o valor do crédito e o prazo do plano, confirmar a contratação, e fazer o pagamento das mensalidades. O membro do Klubi tem acesso online a todos os detalhes do contrato, do seu plano , além de um atendimento exclusivo via WhatsApp”, com Eduardo Rocha, CEO e fundador do Klubi.

O Klubi oferece planos com mensalidades que cabem no bolso e tem apenas a incidência de taxa de administração, o que torna o consórcio uma solução mais acessível do que os produtos financeiros tradicionais. “Nossa missão é viabilizar a conquista do que parece impossível para muitos brasileiros, tudo isto com uma experiência incrível para os nossos membros”, enfatiza Rocha.

Concebida em 2018, a empresa recebeu em sua primeira rodada de investimento institucional R$ 32,5 milhões de fundos como Igah Ventures e Parallax Ventures. O Klubi também conta com apoio de grandes nomes como Paulo Veras, Ariel Lambrecht e Renato Freitas (fundadores da 99), Guilherme Bonifácio (fundador do iFood) e Elie Horn (Cyrela).

Leia ou ouça também:  Número de graduandos mais velhos está em alta no Brasil

A projeção para 2022 é originar R$200 milhões de créditos com mais de 4 mil planos comercializados.

Sobre Klubi:

O Klubi é a primeira fintech autorizada pelo Banco Central para operar como administradora de consórcios. O Klubi tem o propósito de inclusão e educação financeira com uma experiência digital, simples, transparente e segura.

Fundado por Eduardo Rocha, o Klubi tem o apoio de investidores institucionais relevantes – Igah Ventures e Parallax Ventures – e empreendedores de renome – Paulo Veras, Ariel Lambrecht e Renato Freitas (99), Guilherme Bonifácio (iFood) e Elie Horn (Cyrela).

*Com participação da jornalista Bruna Pedrosa.

Última atualização da matéria foi há 8 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights