Pablo Marçal: “O meu mentor maior é Deus”

O empreendedor

Pablo Marçal é um dos maiores líderes em branding da atualidade. Empreendedor serial, é criador do Método IP, que promove uma virada de chave na mente de seus mentorados destravando bloqueios e fazendo com que aceitem seu propósito de vida. Contabiliza mais de 152 mil alunos na internet e atinge mais de 10 milhões de contas únicas por mês em suas redes sociais. Com o Clube 459, Pablo reúne milhares de pessoas, de segunda a segunda, em lives no Instagram às 4h59 da manhã para compartilhar todos os seus códigos digitais. Recentemente lançou o projeto ‘La Casa Digital’, um reality show com a presença de 12 participantes trancados em uma casa por 12 dias com aulas e provas sobre todos os pilares do marketing digital. Com audiência sempre mantendo uma média de 70 mil pessoas ao vivo simultaneamente e mais de 250 mil espectadores passando durante o tempo de duração de cada episódio. Na final do reality, Pablo apresentou o novo método MID (Mentoria Independência Digital) com o objetivo de formar um time de 12 mil novos mentorados. Em apenas 20 minutos de live, o projeto contabilizou o faturamento de R$10 milhões. Autor de 13 livros ativacionais, como os best sellers “Antimedo” e “O Destravar IE”, o empresário detém uma base de mais de 1 milhão de seguidores no Instagram e de 780 mil no YouTube. Além disso, possui negócios em todos os continentes.

Pablo, como obter uma maior produtividade num mundo com tantas opções e dispersões?

A dica principal é ter cuidado com as redes sociais e com a tecnologia, mesmo que seja ela que faça com que as pessoas ganhem mais tempo. As redes sociais e a tecnologia são, atualmente, instrumentos de trabalho e devem ser 100 vezes mais viciantes que o açúcar.

O celular, por exemplo, faz você ganhar muito tempo. Não é preciso mais pegar a calculadora, não é preciso mais ir ao banco e as pessoas estão ganhando muito mais tempo com isso. Porém, onde as pessoas precisam usar esse tempo que estão ganhando? No que faz sentido na vida delas, com as pessoas que ama, para usar consigo.

O que acontece, na verdade, é que quando viciamos na tecnologia, ela não vai te largar. Se a tecnologia está te dando a economia de 1 hora, você não vai usar essa hora com outra coisa, mas sim usar mais quatro horas com tecnologia. A sabedoria está em saber dosar esse uso.

Assim, se você é uma pessoa que ganha dinheiro com vendas no WhatsApp porque não contratar alguém para dividir esse tempo de conexão com você? Caso contrário, você vai viver para isso e não terá tempo para desenvolver gestão, projetos, estratégias e novas ideias. A intenção é ganhar economia de tempo com tecnologia e não ficar escravo dela.

E como se destacar neste mesmo mundo de dispersões e opções?

Para se destacar na internet, é preciso se destacar na vida pessoal também. A internet é um amplificador da realidade. Um entregador com alta velocidade. Então, a pessoa precisa liberar a sua essência que irá chegar pela internet para as pessoas.

Como marcar uma presença constante na internet?

Existem cinco dicas para quem está começando e quer marcar presença na internet. São elas:

Descubra a sua essência, a sua identidade. É com o seu estilo que as coisas vão funcionar. As pessoas que explodiram na internet não começaram copiando os outros, mas sim manifestando o que estavam dentro delas. Os internautas confiam em pessoas reais.

Esmagar a vergonha. A maioria das pessoas têm necessidade de aprovação. Essa necessidade vai fazer com que nada funcione. Engula esse perfeccionismo e necessidade de aprovação.

Tenha um método, uma fórmula de mostrar você. As pessoas não querem saber sobre a sua vida, mas sim saber como você chegou rápido até onde você está.

É preciso ter constância, ou seja, se você quer algo precisa fazer algo constantemente. Não é acertar um jeito e fazer algo repetidamente. Mas, sim, testar coisas novas e não parar mesmo que seja de formas diferentes.

Networking. Se você não construir influência e não aumentar a fluidez nas conversas, não vai dar certo.

Quais os principais pilares dessa constância e que levarão ao êxito daquele que colocar em prática?

As coisas são realmente simples, mas, ao mesmo tempo, são difíceis. É difícil para uma semente virar uma árvore, para um espermatozoide virar um bebê e para um pobre ficar rico, por exemplo. O segredo está em fazer aquilo todo dia, já que a repetição, quando feita de forma cíclica, gera a constância e o hábito necessário para fazer aquilo funcionar.

Atualmente você é um mentor (além de outras coisas). O que você ouviu do seu mentor e que leva até hoje para os seus negócios e para a sua vida?

O meu mentor maior é Deus. A mensagem que ele me deixou como missão é a de transformar a vida das pessoas, fazê-las enxergar que a vida é muito mais que trabalhar para construir os sonhos dos outros, mas sim conquistar e desfrutar dos próprios sonhos e de coisas que nem os olhos viram, nem ouvidos ouviram e nem se quer chegou ao coração do homem: os sonhos de Deus para nós!

Qual o principal objetivo de uma mentoria em sua visão?

O intuito das minhas mentorias é incentivar as pessoas a iniciarem no digital, seja a partir do seu negócio ou de uma mensagem que ela precisa entregar, dividir e transbordar na vida de outras pessoas.

Quais os diferenciais da sua mentoria?

O foco da minha mentoria é que as pessoas alcancem o progresso para uma vida exponencial. O diferencial está no meu método exclusivo, o IP, que, através de códigos específicos, promove uma virada de chave na mente dos mentorados, destravando bloqueios e ajudando as pessoas a encontrarem o sucesso.

Como surgiu a ideia “La Casa Digital” e o que o reality representou para você?

O intuito do reality foi criar algo nunca visto no universo do marketing digital possibilitando com que eu pudesse instruir os participantes pela jornada até o sucesso no mundo digital e ensinar não só aos participantes, mas para todos que nos assistiram, quais são os 12 pilares do marketing digital e, consequentemente, destravar os bloqueios de todo mundo.

O “La Casa Digital” representou algo único e gigante. Tivemos uma audiência sempre mantendo uma média de 70 mil pessoas ao vivo simultaneamente e mais de 250 mil passando durante o tempo de duração de cada episódio.

Quais os principais erros de uma estratégia no marketing digital?

Os principais erros, ou melhor, pecados digitais cometidos pelas pessoas na internet são:

Não ter um branding que é uma construção de marca, ou seja, um posicionamento na internet. O pecado está em não construir essa marca e julgar que é só uma pessoa na internet.

Não fazer o networking, ou seja, a rede de trabalho. No networking digital, é preciso aprender a fazer as chamadas collabs, que são colaborações e parcerias com outras pessoas.

Não ter um storytelling, ou seja, não contar uma história. Quando você conta uma história, as pessoas se conectam melhor a você.

Não ter autoralidade que é quando você cria seus termos da sua própria forma. Quando não se tem isso, as pessoas acabam copiando as outras.

Não ter uma mensagem de transformação. Transformar é fazer uma pessoa sair de um estado e ir para o outro sem ter a possibilidade de volta. Para estar nesse mundo é preciso querer transformar a vida das outras pessoas.

Ser inconstante, ou seja, falar que vai fazer algo e não fazer. É a questão da constância que é necessária para que se torne um hábito na vida.

Não monetizar. Não faz sentido gastar um minuto da vida sem ter retorno. Retorno é estar aprendendo para ajudar outra pessoa.

Como transformar esses erros em acertos?

A melhor forma de fazer isso é evitar cometê-los e seguir as dicas indicadas acima. Tirando isso realmente da sua vida e seguindo os passos a pessoa ficará cada vez mais perto do sucesso.

O que realmente pode mudar a mente de uma pessoa para que ela construa algo de valor para outras pessoas?

A principal mudança é se livrar de bloqueios emocionais que, muitas vezes, as pessoas não percebem ou acreditam ser normal. Várias pessoas não conseguem sair do lugar porque o cérebro é uma máquina que ama as pessoas e não vai deixar com que elas se exponham ao ridículo ou humilhação. É preciso retirar o efeito de algumas lembranças. Alguns dos bloqueios comuns, por exemplo, são da necessidade de aprovação, de aprendizagem, de autoimagem e entre tantos outros que fazem com que a pessoa não seja plena em seu caminho.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content