Rafael Kenji: “Tive o privilégio de ouvir histórias”

 Rafael Kenji

A pouca idade não é reflexo de um caminho curto. A trajetória de Rafael Kenji como empreendedor começou aos 19 anos quando ainda estudante da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG), tornando-se presidente da Liga Acadêmica de Medicina da Família e Comunidade da UFJF em 2014. Atualmente, aos 26 anos, é CEO da Feluma Ventures, uma Corporate Venture Builder, pertencente ao grupo FCJ Venture Builder, cujo principal objetivo é desenvolver soluções inovadoras voltadas ou adaptadas para as áreas de saúde e educação. Com foco na ampliação e criação de novas atividades, ferramentas ou processos diferenciados que possam resolver as dores do mercado de saúde, a Feluma Ventures tem o apoio institucional da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, uma das mais tradicionais faculdades de medicina do Brasil.

A Feluma Ventures possui 36 investidores-anjo que nos dois primeiros meses de atuação levantaram R$4,25 milhões, em sua maioria da classe médica do Brasil e de países como Estados Unidos, Espanha e Portugal. Seu portfólio está avaliado em cerca de R$500 milhões, e com a perspectiva de chegar a R$1 bilhão em valuation somado de suas startups até o final do ano de 2021.

Antes de chegar ao comando da Feluma Ventures, em 2017, Kenji se tornou fundador e presidente da Medic Júnior Consultoria em Saúde, uma das primeiras empresas juniores de medicina do mundo. Nesse momento nascia seu entendimento em se tornar um líder inspirador e um bom gestor. “Acredito que nunca serei um líder completo, pois a cada história que conheço pelo caminho, melhoro ainda mais minha capacidade de adaptação, flexibilidade e inteligência emocional”, afirma Rafael Kenji, CEO da Feluma Ventures.

Em 2019, no último período da faculdade de medicina, teve a oportunidade de realizar parte de sua formação na Harvard Medical School, onde acompanhou o papel e a importância do médico gestor em um dos melhores hospitais do mundo. Esse foi o grande momento de virada: remando contra a maré, decidiu que não seguiria o caminho tradicional da residência médica, e sim a gestão e o empreendedorismo.

Preocupado com o lado social, além de comandar a startup, Kenji fundou em 2020 junto com outros colegas, a Academy Abroad, que capacita alunos de medicina para conquistarem oportunidades de estudo nas melhores Universidades do Mundo. Até hoje, foram mais de 80 estudantes mentorados. Dentre eles, 21 são bolsistas de baixa renda, alunos negros de universidades públicas ou bolsistas de universidade de um programa de bolsas de estudos. Para cumprir o propósito da empresa, estão fundando a Associação Sem Fins Lucrativos Lancelot, para captar dinheiro de investidores para custear passagem, hospedagem, alimentação, transporte e taxas de intercâmbio de alunos de baixa renda aprovados nas universidades no exterior.

À frente da Feluma Ventures desde abril de 2021, chegar nessa posição não foi fácil. O atual CEO passou por um processo seletivo composto por análise de perfil, currículo e 4 entrevistas. Na primeira, com a head de Recursos Humanos da FCJ, ouviu a negativa: “infelizmente, para poupar seu tempo, vamos precisar encerrar nossa entrevista. Você é muito novo para o cargo de CEO. A vaga é para alguém mais sênior”. Inconformado, parafraseou o autor desconhecido da frase “Não tentar é a pior maneira de falhar” e insistiu na conversa e teve a oportunidade de contar sua história. Nesse momento, Rafael Kenji é hoje o CEO mais jovem do segmento de Ventures no país.

Na Feluma Ventures, o CEO lidera um time de 22 pessoas – uma equipe até enxuta, quando comparada com sua atuação no Jaleko, plataforma de apoio à estudantes de medicina, onde era diretor comercial. Lá, lidava com 11 estagiários estudantes de medicina, de todas as regiões do Brasil, além da América Latina. Foram responsáveis por coordenar 360 embaixadores, em 300 faculdades de medicina espalhadas pelo Brasil e países como Bolívia, Paraguai, Argentina, Peru e Rússia.

Um dos maiores desafios encontrados até então era a falta de incentivo. As instituições de ensino voltadas para a área da saúde pecam no quesito gestão. Embora as equipes sejam multidisciplinares, não se aprende liderança e governança na faculdade. O inconformismo e a busca pelas soluções dos desafios encontrados é o significado prático de empreendedorismo, o que significa ter a capacidade de tirar do papel ideias que possibilitem resolver problemas reais enfrentados pela sociedade. Seria esse o caminho para o sucesso?

Para Kenji, o sucesso é relativo e acredita que cada um tem uma meta a ser cumprida, ou um porquê que guia sua existência. Esse porquê é o propósito. “Para mim a receita do sucesso é sempre ir em busca do propósito. Concordo muito com a frase de Simon Sinek “quando se está motivado por um porquê, o sucesso simplesmente acontece” em seu livro Comece pelo Porquê”, comenta o CEO.

Atualmente, na visão de Kenji, seus desafios são divididos entre o profissional e o contemporâneo. Como profissional, é tornar um grande líder inspirador, que inspira multidões e transforma culturas, mas para fazer isto, as pessoas precisam sonhar os mesmos sonhos. Nos tempos atuais, o desafio é se adequar rapidamente às novas formas de relacionamento. Seja devido à tecnologia, que estreita os laços, mas ao mesmo tempo afasta o contato pessoal, ou mesmo a pandemia, que nos ensinou por impulso e necessidade, que o contato interpessoal é essencial para nossa sobrevivência.

O jovem discorda que a medicina salva vidas. Ele acredita que ela alivia o sofrimento, sendo ele físico, espiritual ou emocional. Em sua visão, os médicos são um dos únicos profissionais capazes de entrar no íntimo do ser humano, no mais profundo sofrimento e escutar sem filtros os segredos da pessoa que sofre. Aliar essa percepção à gestão possibilitou criar e desenvolver processos para empresas e profissionais entenderem e combaterem o sofrimento humano, desde uma startup que realiza atendimentos de telemedicina, até empresas de educação médica que possibilitam uma formação mais adequada e humanizada na medicina e demais áreas da saúde. “Tive o privilégio de ouvir histórias de grandes empreendedores, que me lideraram durante o início da minha carreira e que para cada um deles eu levo algum ensinamento que constantemente mudam minha forma de atuar como líder e como gestor”, finaliza Rafael Kenji, CEO da Feluma Ventures.

Sobre a Feluma Ventures:

A Feluma Ventures é uma Corporate Venture Builder cujo principal objetivo é desenvolver soluções inovadoras voltadas ou adaptadas para as áreas de saúde e educação. Nosso foco é a ampliação e a criação de novas atividades, ferramentas ou processos diferenciados que possam resolver as dores do mercado de saúde e serem incorporadas às Instituições de toda a rede Feluma (Fundação Educacional Lucas Machado), transformando a educação na área da saúde e, consequentemente, o bem-estar das pessoas. Pertencente ao grupo FCJ Venture Builder, multinacional que leva a inovação como base de ação com sede em Belo Horizonte (MG), pioneira no ramo de Venture Building na América Latina, presente também nos Estados Unidos, na Europa e no México.

*Com participação da jornalista Jessyca Souza.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content