Renan Oliveira: “Acredito que esse número continuará crescendo”

 Renan Oliveira

Com as limitações físicas impostas pela pandemia e os desafios do trabalho remoto, muitos setores, até os mais conservadores, viram a necessidade de buscar soluções digitais inovadoras para atender a demanda de maneira rápida e eficiente. Para o judiciário não foi diferente e os escritórios de advocacia e tribunais também estão se adequando a novas ferramentas tecnológicas. Isso tem impulsionado o avanço de startups de direito como a Previdenciarista, plataforma de consultoria especializada em Direito Previdenciário para advogados, que cresceu 100% em 2020, com a realização de mais de 1,5 milhão de cálculos previdenciários. De acordo com Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs, são mais de 150 dessas startups no mercado brasileiro. Fundada em fevereiro de 2013, a Previdenciarista é uma plataforma inteligente que oferece serviços para que os advogados economizem tempo e dinheiro com as rotinas previdenciárias. Segundo Renan Oliveira, advogado e cofundador da Previdenciarista. Eles começaram com um site pequeno, reunindo mais de 200 modelos de petições para auxiliar advogados previdenciaristas. “Inovamos, modificamos, implementamos novas tecnologias e desenvolvemos mais ferramentas capazes de auxiliar ainda mais o advogado”, comenta. Ele ainda diz: “Somos uma empresa criada em 2013 e altamente focada e especializada no Direito Previdenciário”.

Renan, quando surgem as startups do direito na chamada nova economia?

Elas já estão aí. Já há inúmeras startups jurídicas que desenvolvem sistemas para tornar a rotina da advocacia e do judiciário mais eficientes, com economia de tempo e aumento de produtividade especialmente na redução de tarefas repetitivas. Tanto na advocacia (a parte privada do mercado) como no judiciário (a parte pública) existem muitas tarefas repetitivas que a máquina pode muito bem dar conta, tornando os processos judiciais mais rápidos e baratos para o cidadão.

Como se encontra o ecossistema dessas startups durante a pandemia?

Em evolução. Estamos crescendo. Em pesquisa recente realizada pelo Instituto Datafolha, quase 50% dos advogados entrevistados já utilizam alguma ferramenta tecnológica em suas atividades diárias. Acredito que esse número continuará crescendo. Nós, da Previdenciarista, registramos crescimento de 100% em 2020, muito por conta da pandemia e da nova percepção do mercado de que a tecnologia é essencial em todas as áreas, inclusive na do Direito.

O que é mais surpreendente na ascensão das startups do setor?

A aceitação dos profissionais da área. O mercado jurídico ainda é bastante conservador quanto ao uso de novas ferramentas. O advogado costuma pensar que uma máquina não pode fazer o seu trabalho. E por bastante tempo essa será de fato a realidade. Porém, hoje já existem muitas ferramentas que facilitam o dia a dia do advogado, mais no sentido de ajudá-lo do que no sentido de competir com ele. O rompimento dessa barreira é fundamental para o sucesso das empresas do setor. A adoção da tecnologia como aliada é algo implacável e que vai cada vez mais distanciar os escritórios que faturam mais daqueles que faturam menos. E os profissionais da área, diferente de 5 anos atrás, por exemplo, estão começando a entender isso. Até o judiciário já está entendendo isso.

Como a pandemia foi um divisor de águas para essas startups?

A pandemia acelerou um processo que seria conduzido de uma forma ou de outra. Ela trouxe para 2020-2021 uma realidade que talvez fôssemos ver apenas daqui 10 anos. Foi como tirar um curativo rapidamente. No início da pandemia vimos muitas pessoas “travando” nessa curva de aprendizado, mas a necessidade de se tornar os procedimentos mais remotos que físicos impôs ao mercado um dever de se adaptar. Com isso vimos um aumento muito grande no uso de ferramentas online, audiências remotas (com algumas cenas curiosas inclusive), etc.

Podemos dizer que a inovação é mola-mestra das lawtechs?

Sem dúvida, mas é um processo feito em etapas. Primeiro as empresas de tecnologia nesse segmento “modernizam” procedimentos que já existem, mas são feitos hoje de forma menos eficiente, como, por exemplo, a organização de agendas e notificação de notas de expediente de formas mais automatizadas. Num segundo momento as empresas repensam processos inteiros, como é o nosso caso em que com base em um PDF extraído do INSS, calculamos todos os benefícios previdenciários que o cliente do advogado pode ou não ter direito em menos de um minuto. Algo que antes o advogado faria na mão ou em uma planilha, levando horas. E num terceiro momento ocorre uma verdadeira revolução digital, em que as empresas passam a apresentar soluções verdadeiramente disruptivas, tal como a máquina detectar a abertura de um prazo e já apresentar uma petição elaborada por ela mesma para o advogado avaliar e aprovar. A inovação e o desejo de resolver problemas complexos com soluções escaláveis é a espinha dorsal desse setor.

Como a Previdenciarista foi criado?

Foi criado em 2013 como uma espécie de Netflix do direito, o advogado assinante tem acesso a uma série de conteúdos e mais de três mil petições com casos reais para consulta. O assinante tem acesso ainda a outros benefícios, como os módulos fiscais por município, simulador de Fator Previdenciário, códigos de benefícios do INSS e ficha cadastral de atendimento ao cliente. Hoje a Previdenciarista evoluiu para uma ferramenta que elabora dezenas de cálculos automaticamente para o advogado, avaliando o histórico de contribuições do seu cliente e, ainda, apresenta petições pré-preenchidas pela máquina para que o profissional possa conduzir o processo de forma mais eficiente.

O que molda a atuação da startup?

O auxílio na rotina dos advogados previdenciaristas, garantindo mais eficiência em seus resultados e facilitando suas atividades com segurança e qualidade. Temos uma responsabilidade muito grande com o Direito Previdenciário. Como os cálculos e as petições são baseadas na legislação vigente e entendimentos dos tribunais, há um cuidado muito grande para não levar o advogado ao caminho errado ou induzir ele a ingressar com uma aventura que pode prejudicar seu cliente e abarrotar o judiciário com processos totalmente descabidos.

Qual o principal pilar da Previdenciarista?

Escala, escala e escala. Tanto para o bem da empresa, como para o bem da rotina do advogado nosso cliente. Temos um produto capaz de atender 10 clientes ou 50 mil clientes sem grandes abalos na infraestrutura. Enquanto outros produtos calculam um benefício por vez para o advogado, o nosso, com base no mesmo arquivo de histórico, calcula todos os benefícios disponíveis ou não ao cliente do advogado que lhe permite a tomada de decisão com base num panorama, sem precisar calcular um por vez. Nosso time de tecnologia produz soluções que permitem que advogados com diferentes níveis de conhecimento tecnológico operem a plataforma com facilidade, o que permite que o nosso time de atendimento receba menos chamados de suporte e possa tratar cada cliente de forma única e individualizada com escala.

Como funciona o escritório em nuvem da empresa?

O escritório na nuvem foi um contexto que criamos para que o advogado crie seu escritório virtualmente na plataforma, convide sua equipe para usar a plataforma online e basicamente conduza o caso do cliente inteiramente na nuvem: fazendo os cálculos que ficam guardados na nuvem, registrando informações importantes do cliente na nuvem, registrando eventos importantes na nuvem, digitalizando documentos na nuvem e devolvendo os originais para o cliente e redigindo e salvando petições na nuvem. Isso permite que boa parte do trabalho já seja feita pela máquina e todo esse trabalho fique disponível para todo o escritório em qualquer lugar do mundo com uma conexão à internet, no escritório físico, na casa do advogado ou na sala de audiências do fórum.

Durante a pandemia a lawtech cresceu 100%. O que foi fundamental para esse crescimento?

Somos uma empresa criada em 2013 e altamente focada e especializada no Direito Previdenciário. Quando os advogados passaram a ver um aumento na demanda previdenciária dado que muitas pessoas ficaram desassistidas, acredito que eles se socorreram a uma marca forte na área. Além disso, há outro princípio que nutre nossa atuação há bastante tempo: se um produto é bom, o cliente fica. Nosso produto não possui fidelização, a pessoa pode testar gratuitamente por 15 dias e ainda pode cancelar a qualquer momento em até 3 cliques dentro da plataforma sem precisar pedir ou falar com ninguém. Isso permite que o cliente teste a plataforma e veja se atende sua necessidade, além de passar confiança. Dado que o advogado passou a precisar desse tipo de ferramenta e que a nossa ferramenta atende sua necessidade, transformar esse interessado num cliente se deu de forma natural. Foco no produto, foco em resolver os problemas do cliente rapidamente e colher os frutos desse trabalho.

Quais os próximos passos da startup?

Trazer novas funcionalidades para a plataforma. Estamos muito entusiasmados com as possibilidades que a Inteligência Artificial e a Ciência de Dados têm apresentado em termos de produtos baseados em tecnologia. Há um terreno muito fértil nessas áreas para criar soluções no nosso segmento. Estamos hoje com pelo menos quatro novas ferramentas em desenvolvimento, todas baseadas ou em IA, ou em Ciência de Dados, que servirão às necessidades de pequenos escritórios que precisam de mais clientes e de médios e grandes escritórios da área que procuram reduzir custos trazendo maior eficiência. Um desses novos produtos devemos começar a pilotar ainda neste segundo semestre de 2021.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content