Vinicius Motta: “Futuro é das fintechs e proptechs”

Vinicius Motta

Como alternativa aos modelos de análise tradicionais dos bancos, fintechs e proptechs vêm disponibilizando linhas próprias de financiamento, buscando desburocratizar o acesso ao crédito no mercado imobiliário. Pensando nisso, a startup Minha Casa Financiada lança neste mês de setembro suas primeiras linhas privadas de crédito imobiliário, incluindo a primeira do Brasil para aquisição e construção em lotes residenciais, mercado em franca expansão desde o início da pandemia. A projeção é de que as linhas privadas movimentem R$1,5 bilhão em 2022, alcancem R$2,5 bilhões em 2023 e cheguem a um total de R$5 bilhões até 2024. Desde que foi fundada, em janeiro de 2020, a proptech já viabilizou mais de R$1,6 bilhão em crédito para aquisição e construção em terrenos em parceria com a Caixa Econômica Federal. O número corresponde a cerca de 40% do total ofertado pelo banco público, que detém 98% deste mercado no Brasil. As duas linhas de financiamento oferecidas a pessoas físicas pela Minha Casa Financiada a partir de setembro são mais flexíveis, podendo não só destravar valores mais altos como atender um público desacreditado pelos bancos. “A Minha Casa Financiada é uma proptech de crédito imobiliário. Nosso propósito é desburocratizar a construção de casas planejadas e facilitar o sonho das pessoas de ter a casa própria, do jeito que sempre sonhou”, afirma Vinicius Motta, CEO da startup.

Vinicius, por que a Minha Casa Financiada é um negócio revolucionário em sua visão?

Você já ouviu falar em uma empresa que te fornece crédito para compra de terreno e construção? Ou de kitnet, loja comercial e etc? Provavelmente não. O nosso serviço entra preenchendo uma lacuna no mercado imobiliário que existe há anos: entregar créditos imobiliários para pessoas, possibilitando a construção da sua casa própria financiada. O Minha Casa Financiada entrou no mercado disposto a suprir essa dor do cliente e ajudar a construir sonhos.

Qual o fator mais importante dessa revolução?

Além de atender as necessidades do nosso cliente, entendemos que trabalhamos com o melhor produto imediato para o cliente. Ele pode personalizar sua casa, construindo de maneira financiada, e pagando em média 50% a menos do que adquirir um imóvel já pronto.

Quais os grandes pilares da startup?

Aqui na Minha Casa Financiada contamos com apenas um: entender a real necessidade do cliente e executá-la. Nosso maior trunfo é ser um startup que tem uma cultura de Growth, que todo dia metrifica e analisa o cliente e vê o que ele realmente quer. Com isso, tentamos mudar o mercado e criar produtos para um mercado tão antigo como o de crédito para construção civil, que pode ser inovado.

Por que esses pilares são importantes num mundo em franca e diária transformação?

Mapeamos que toda a empresa que possui foco total no cliente e em atender sua dor, se estabelece no mercado. Isso acontece por uma simples razão: quando você desenvolve um produto ou serviço que ele quer e precisa, você conquista seu espaço.

Fale um pouco mais sobre o funcionamento operacional da empresa.

A Minha Casa Financiada é uma proptech de crédito imobiliário. Nosso propósito é desburocratizar a construção de casas planejadas e facilitar o sonho das pessoas de ter a casa própria, do jeito que sempre sonhou. Ou seja, todo processo burocrático que existe para se conseguir um financiamento para construção, não existe mais com o Minha Casa Financiada. Nossa solução permite que você planeje sua casa, do terreno as chaves na mão, de maneira financiada. Vamos resolver todos os problemas intermediários. Como construtor, terreno, projeto, aprovação, financiamento e o levamos as chaves da casa. Temos um marketplace de construtores com mais de três mil profissionais cadastrados, que atuam no Brasil inteiro, além de uma equipe de projetos, uma equipe de crédito e comercial, que atuam para entregar a melhor experiência que a burocracia do Brasil permite levar.

Outro ponto sobre o funcionamento da empresa é a captação dos nossos clientes, que é feita via marketing digital. Temos uma equipe que atua nesse setor, desenvolvendo estratégias para levar nosso produto a cada vez mais pessoas.

Uma das missões da Minha Casa Financiada é a entrega das casas com menos burocracia. Em que momento isso se tornou a mola mestra do seu negócio?

Quando percebi que o cliente busca uma solução completa, que lhe entregue experiência e que resulte no bem dele construído. O consumidor não quer pagar e receber soluções (serviços) picados. Quando você picota os processos em partes, acaba dificultando a vida do consumidor. Porque ele precisa estar por dentro de todos os processos, resolver tudo e ainda poder gastar além do orçamento planejado no começo. Entendemos que o cliente quer pagar e ter tudo resolvido, de ponta a ponta (desde o terreno até as chaves). E é isso que entregamos.

Quais os obstáculos devem ser removidos na hora que se quer desburocratizar as operações desse setor?

Um dos maiores gargalos do setor certamente é a burocracia de financiadores, cartórios e prefeituras.

Como avalia o mercado das proptechs?

Com o das fintechs, considero que é o mercado com mais unicórnios. Essas empresas encontraram problemas nos setores, financeiros ou imobiliários, que o mercado tradicional não conseguiu resolver, e desenvolveram soluções totalmente voltadas para resolver esse gargalo. Essas empresas asset lights, que tem mais velocidade para se adaptar ao mercado e ao momento da sociedade, conquistaram seu espaço e, por isso, se tornaram gigantes no seu setor. Também é importante destacar que esse mercado está chamando atenção das empresas tradicionais, como os bancos, que tendem a perder espaço e receita. E isso fará com que eles comprem seus concorrentes e acelerem seus processos, para não ficar para trás.

Quais as principais tendências desse mercado?

Transformação digital. Seja em fintech ou proptech. Todas as dores financeiras dos clientes são base para um novo negócio, pois, as empresas que fazem sucesso tem esse propósito: solucionar a vida do cliente e entregar bons produtos/serviços. Vou trazer um exemplo prático: existe uma dificuldade enorme do produtor rural em conseguir crédito para a safra. A burocracia em excesso dificulta a vida dele. Ou seja, existe uma possibilidade de negócio nesse meio. Qual? Uma fintech com crédito rápido para esse público, colocando a safra como garantia. Tudo isso via aplicativo. Pronto, está aí mais uma ideia fintech para o mercado.

Como essas tendências vão ao encontro com os anseios da Minha Casa Financiada?

Nós resolvemos uma dor do cliente: a de construir financiado sem burocracia. O futuro é das fintechs e proptechs. Não há mais como pensar numa empresa, com a competitividade que o mercado apresenta hoje em todos os aspectos (experiência do cliente, sucesso do cliente, cultura da empresa, etc) que não se importa com o cliente. E detalhe, essa concorrência não está mais relacionada ao seu concorrente direto, mas sim com as grandes empresas de tecnologia, como Google, Facebook, Uber, Ifood, Nubank e tantas outras desse setor.

Quais os próximos projetos da startup e que merecem destaque?

Nosso próximo passo é conseguir se estabelecer como financiador direto das construções e não depender mais de funding de outros bancos e financiadoras. Porque assim conseguiremos implementar todos os avanços tecnológicos que temos estocados conosco, e que vão revolucionar ainda mais o mercado e facilitar a vida das pessoas.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content