Sua Página
Fullscreen

Especialistas alertam síndicos sobre manutenção de bomba d’água em condomínios

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

A instalação adequada e a conservação das bombas d’água são fundamentais para o abastecimento contínuo e eficiente de água em condomínios residenciais. Segundo as normas técnicas que regulamentam o funcionamento desses equipamentos, é de responsabilidade dos síndicos a manutenção dos aparelhos. De acordo com a estimativa da Associação das Administradoras de Condomínio do Estado do Paraná (AACEP), há aproximadamente 10 mil síndicos ativos em Curitiba e região metropolitana. 

Uma pesquisa realizada pela HP Bombas, especializada em bombas hidráulicas há 30 anos, detectou diversos problemas que podem afetar o desempenho e funcionamento das bombas d’água originados pela inatividade prolongada ou pelo excesso de uso: problemas elétricos, de lubrificação, vazamentos, obstruções ou entupimentos. Essas falhas em bombas de condomínios causam baixa pressão da água, vazamentos e até falta de água nos imóveis. Por isso, os especialistas da empresa orientam que a manutenção preventiva é importante para reduzir a probabilidade de falha mecânica e até mesmo a ruína deste equipamento fundamental para o abastecimento.

Essa verificação é regulamentada pela norma técnica da ABNT NBR 5674:2012. Conhecida como “norma da manutenção”, ela orienta sobre as diretrizes para o cuidado adequado com equipamentos essenciais, como as bombas d’água, cujos eventuais problemas podem resultar em prejuízos financeiros e falta de água para os moradores. “Nessa checagem são substituídos rolamentos, selo mecânico, anéis de vedação, que são elementos que têm vida útil determinada e precisam ser trocados regularmente”, alerta o técnico e especialista da HP Bombas, Hermes Souza.

A bomba d’água é responsável por fazer com que a água seja distribuída para todos os pontos de consumo. Ela funciona puxando a água de um reservatório, poço ou cisterna, pressurizando-a para que chegue até as torneiras, chuveiros e descargas. Sem a bomba, a água não chega até os pontos mais altos de uma construção ou pode ir com pouca pressão, prejudicando o funcionamento de alguns aparelhos, como aquecedores e chuveiros elétricos. 

Dada a sua importância, os condomínios têm a necessidade de possuir duas bombas de água: a principal e a reserva. “É preciso também instalar um quadro de comando, que é um equipamento elétrico que, além de proteger as bombas, possibilita trabalhar com reversão. Enquanto uma estiver em manutenção, a outra é acionada e mantém o fornecimento de água sem interrupções”, orienta o técnico. 

“Outra falha dos condomínios que é muito importante salientar é a de não reservar um espaço apropriado para as bombas hidráulicas, permitindo o uso do local como depósito de móveis usados ou bicicletas. É papel do síndico determinar normas internas que evitem esse tipo de uso compartilhado que coloca em risco as instalações”, complementa.

Leia ou ouça também:  Dunamis: revolução das brachiarias estará na Bahia Farm Show

Ajuda especializada pode evitar riscos ao condomínios

A instalação e o funcionamento das bombas d’água passam por diversos requisitos técnicos que demandam assessoria especializada para a escolha, por exemplo, do tipo de bomba para cada caso. Casas podem necessitar de bombas mais simples, enquanto prédios ou condomínios requerem bombas mais potentes e de maior capacidade.

As bombas de recalque levam a água do reservatório inferior ao superior, já as bombas de água servidas, que geralmente se encontram submersas em caixas coletoras no subsolo, são responsáveis por levar águas de chuva e de limpeza para fora do edifício. “São equipamentos que também asseguram a correta e rápida drenagem da água das chuvas para o sistema pluvial público. Garagens com problemas de alagamentos, por exemplo, precisam de bomba adequada”, afirma Paulo Marchesini, técnico e sócio-proprietário da HP Bombas.

Também existe a bomba do sistema de combate a incêndio, que são acionadas para fornecer água com alta pressão às mangueiras. “A falha de alguma destas bombas pode gerar a falta de água para os condôminos, alagamento do subsolo e até o não funcionamento do sistema de hidrantes. Manutenções preventivas e corretivas, podem evitar que a bomba de água se transforme em uma verdadeira bomba”, observa o  especialista da HP Bombas.

“Destacamos a importância de empresas especializadas para o condomínio ter a orientação adequada. A disponibilidade e o funcionamento adequado da bomba de água são de extrema importância para o abastecimento e bem-estar de todos, mas também em situações de emergências como em casos de incêndios ou para evitar grandes vazamentos, desperdícios e danos ambientais”, ressalta Paulo.

Última atualização da matéria foi há 12 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights