Sua Página
Fullscreen

Cinco razões justificam fazer ‘assessment’ para inovação

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Quase 30.000 novos produtos são lançados a cada ano, e 95% deles falham, afirma Clayton Christensen, professor da Harvard Business School (Estados Unidos). “Nenhuma empresa está imune a essa estatística angustiante, que inclui erros de gigantes como Google, Coca-Cola e Colgate”. Segundo o pesquisador, até mesmo projetos que receberam milhões em investimentos podem ser descartados se houver falhas, principalmente nas fases iniciais de assessment (em português, avaliação).

Segundo relatório da McKinsey, após uma pesquisa com as empresas listadas na Fortune 500, 90% dos executivos entrevistados consideram a inovação fundamental para o seu crescimento, porém apenas 6% reconhecem que a inovação está funcionando em sua organização e 10% afirmam ter capacidade para executar suas estratégias de inovação.

Diante dessa constatação, a fase de assessment desempenha um papel crucial quando uma consultoria é contratada para apoiar a implementação e execução da estratégia de inovação de uma organização. Essa etapa é fundamental para compreender a situação atual da organização, identificar oportunidades de melhoria e alinhar as ações, processos com a estratégia de crescimento da organização.

Ao compreender o contexto, identificar necessidades e oportunidades, definir metas claras, avaliar recursos e capacidades organizacionais, além de identificar riscos e desafios, o assessment também permite que a consultoria estabeleça uma imagem realista do contexto para que a empresa progrida com base em fatos, otimizando o caminho para o sucesso de sua estratégia.

De acordo com o especialista internacional Durval Garcia, diretor de inovação da G.A.C. Brasil, oferecer inovações que entreguem um valor real para os clientes separa os vencedores dos perdedores com mais frequência do que qualquer outro fator isolado. “A excelência na escolha, execução e comercialização de projetos de inovação é encarada cada vez mais como uma necessidade, e implica o reconhecimento de todos os elementos críticos de sucesso que podem afetar o resultado esperado e, de alguma forma, prejudicar a condução do processo”.

Segundo Garcia, ao realizar uma avaliação inicial da situação atual de uma empresa, é possível comparar os resultados obtidos ao longo do tempo, medindo o progresso em relação aos objetivos estabelecidos e identificando áreas que requerem ajustes ou melhorias adicionais.

O especialista destaca cinco razões para se dar mais atenção à fase de assessment:

  1. Compreensão do contexto: “Durante o assessment, a consultoria busca compreender profundamente o contexto da empresa, incluindo sua aspiração estratégica, sua cultura organizacional, estratégias atuais, desafios enfrentados e as expectativas em relação ao resultado da inovação para a empresa. Essa compreensão permite desenvolver abordagens e soluções personalizadas que sejam adequadas à realidade da organização”;

  1. Identificação de necessidades e oportunidades: “A fase de avaliação também permite identificar as necessidades e oportunidades de inovação, tanto interna como externamente. Por meio de análises e avaliações abrangentes, a consultoria pode auxiliar a identificar oportunidades ao identificar gargalos no processo, áreas de baixa eficiência ou problemas específicos que precisam ser resolvidos. A avaliação também permite à consultoria entender as necessidades reais de seus clientes ou ainda dos clientes de seus clientes. Essa identificação ajuda a direcionar a estratégia de inovação para as áreas mais críticas e promissoras”.

  1. Definição clara de metas e objetivos: “Ao avaliar a situação atual da empresa, a consultoria pode ajudar a definir metas e objetivos de inovação claros e que se alinhem com a estratégia competitiva de inovação da organização. Essas metas devem ajudar a estabelecer indicadores-chave de desempenho que possam ser monitorados ao longo do projeto. Definir metas realistas e mensuráveis é essencial para orientar a implementação bem-sucedida da inovação”.
Leia ou ouça também:  Hipertensão endócrina é causa subdiagnosticada de hipertensão arterial

  1. Avaliação de recursos e capacidades: “Durante o assessment, os recursos e as capacidades dinâmicas da empresa são detalhados, incluindo talentos, competências, processos, formas de organização, liderança, infraestrutura tecnológica e financeira. Essa análise detalhada ajuda a identificar os pontos fortes da organização que podem ser aproveitados para impulsionar a inovação, bem como as limitações ou lacunas que precisam ser abordadas. Com base nessa análise, é possível fornecer recomendações sobre a alocação de recursos e a necessidade de desenvolver novas capacidades dinâmicas, habilidades e competências individuais ou ainda adquirir tecnologias adicionais”.

  1. Identificação de riscos e desafios: “A fase de avaliação é igualmente importante para identificar os riscos e desafios potenciais que podem surgir durante a definição de um portfólio de projetos de inovação. Além de fatores como cultura organizacional, resistência à mudança, barreiras culturais, problemas de gestão, restrições orçamentárias, concorrência acirrada ou obstáculos regulatórios, a avaliação também identifica os principais parâmetros que orientarão a gestão e o balanceamento do portfólio de projetos de inovação para os três horizontes de crescimento, como fator de mitigação de risco. Ao antecipar e entender esses desafios, a empresa pode desenvolver estratégias de mitigação adequadas e elaborar um plano de ação robusto para lidar com eles”.

Segundo Garcia, é interessante encarar a inovação de forma estratégica – podendo atribuir um diferencial competitivo permanente para o crescimento e a sustentabilidade da empresa. Isso ajuda a mobilizar os líderes e colaboradores em todos os níveis da organização, criando um ambiente propício para a implementação bem-sucedida do projeto de inovação.

“O assessment também permite que a consultoria obtenha insights valiosos dos stakeholders relevantes da organização. Ao envolver os colaboradores, gestores e outros membros-chave da equipe, a consultoria pode obter diferentes perspectivas, ideias e sugestões para potencializar inovação”, diz o especialista em inovação. “Essa abordagem inclusiva ajuda a aumentar a aceitação e o engajamento, transformando a todos em parte do processo de transformação e fortalecendo a cultura de inovação dentro da empresa”.

Última atualização da matéria foi há 11 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights