Sua Página
Fullscreen

As controvérsias do “Último Tango em Paris”

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

O filme “Último Tango em Paris” é um marco na história do cinema mundial, tendo sido lançado em 1972 e dirigido pelo renomado cineasta Bernardo Bertolucci. Com uma trama controversa e um elenco de peso formado por Marlon Brando e Maria Schneider, a produção gerou muita discussão e críticas, dividindo opiniões até os dias de hoje.

A história do filme gira em torno de um homem americano, interpretado por Brando, que conhece uma jovem francesa, vivida por Schneider, em um apartamento em Paris. Os dois iniciam uma relação sexual sem compromisso, mas que acaba se tornando cada vez mais intensa e complexa, envolvendo temas como solidão, violência, poder e submissão.

No entanto, apesar da qualidade técnica e artística da produção, “Último Tango em Paris” enfrentou várias controvérsias que mancharam a reputação do filme. Uma das mais graves foi o episódio da cena de estupro, que teria sido incluída sem o consentimento de Maria Schneider, que na época tinha apenas 19 anos. A atriz posteriormente afirmou que se sentiu humilhada e traumatizada com a gravação da cena, que incluía um objeto sexual improvisado por Brando.

Essa revelação gerou muita polêmica e críticas à postura do diretor e do ator, que teriam ultrapassado os limites éticos e morais ao forçar uma atriz a participar de uma cena tão explícita e violenta. Além disso, a cena foi usada como exemplo de como a indústria do cinema pode ser machista e opressiva em relação às mulheres, que muitas vezes são tratadas como objetos a serviço dos desejos dos homens.

Outra controvérsia que cercou o filme foi a questão da idade de Maria Schneider na época das filmagens. Embora ela tivesse 19 anos, a personagem que interpretava era descrita como tendo 20 anos, o que levantou a suspeita de que a produção teria explorado a sexualidade de uma menor de idade. No entanto, a atriz negou essa possibilidade em entrevistas posteriores, afirmando que estava plenamente consciente e disposta a participar das cenas de nudez e sexo.

Ainda assim, a controvérsia em torno de “Último Tango em Paris” não se limitou apenas ao conteúdo explícito e controverso do filme. O diretor Bertolucci também foi acusado de ter explorado o poder e a vulnerabilidade de Maria Schneider durante as filmagens, submetendo-a a condições abusivas e coercitivas que teriam prejudicado sua saúde mental e emocional.

Apesar de todas essas críticas e controvérsias, “Último Tango em Paris” continua sendo um filme importante e influente na história do cinema, especialmente pela maneira como aborda temas tabus e controversos de forma visceral e impactante. Ao mesmo tempo, a produção também serve como um lembrete da importância de respeitar os limites e a dignidade dos profissionais envolvidos na criação de um filme, especialmente em relação às mulheres, que muitas vezes são tratadas de forma desigual e injusta na indústria do cinema.

Em vista disso, é fundamental que a indústria do cinema e todos os envolvidos na criação de produções cinematográficas trabalhem juntos para garantir que a arte seja criada de forma ética e responsável. Isso significa, entre outras coisas, respeitar os direitos e a dignidade dos atores e atrizes, garantir que as cenas controversas sejam discutidas e negociadas com a equipe de produção e os profissionais envolvidos e evitar situações de poder e dominação que possam prejudicar a saúde mental e emocional dos envolvidos.

Ao mesmo tempo, é importante reconhecer que a arte muitas vezes lida com temas controversos e que a liberdade criativa deve ser respeitada. No entanto, isso não significa que a ética e os valores morais devam ser deixados de lado em nome da arte. É possível abordar temas difíceis e tabus sem recorrer a situações abusivas ou desrespeitosas, e isso deve ser sempre o objetivo de uma produção cinematográfica responsável e ética.

Por fim, é importante lembrar que a controvérsia em torno de “Último Tango em Paris” não deve diminuir o valor artístico e cultural do filme. A produção é um marco na história do cinema e contribuiu para o debate sobre temas importantes e controversos. No entanto, a controvérsia também deve ser reconhecida e discutida de forma aberta e franca, para que possamos aprender com os erros do passado e garantir que a arte seja criada de forma ética e responsável no futuro.

Última atualização da matéria foi há 12 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights