Sua Página
Fullscreen

Inadimplência atinge 72 milhões no Brasil

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

De acordo com dados do Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas no Brasil, levantamento mensal elaborado pela Serasa sobre a relação da população com dívidas atrasadas, em junho deste ano o país contava com 71,45 milhões de pessoas em situação de inadimplência.

Ao comparar esse número com o registrado em junho do ano passado, quando havia 66,82 milhões indivíduos com o nome na lista de endividados, constata-se um aumento de quase 7% em 12 meses na quantidade de inadimplentes no Brasil. O relatório também indicou que o maior percentual da população com o nome negativado – 34,8% do total de inadimplentes – encontra-se na faixa etária de 41 a 60 anos. A segunda faixa etária com maior grau de endividamento é a de 26 a 40 anos (34,7%).

As dívidas em atraso dos brasileiros concentram-se, em sua maior parte – 31,13% -, no segmento de bancos e cartões de crédito. Em segundo lugar está o segmento de contas básicas (22,07%), como água, luz e gás, seguido pelo de varejo (11,44%).

Vítor Bertuzzi, CFO da Bertuzzi Gestão Patrimonial (BGP), avalia que esse cenário de endividamento decorre da situação econômica do país, que gera um ambiente favorável ao crescimento da inadimplência. Ele afirma que o Brasil vive um momento de recessão, com altas taxas de desemprego e baixo crescimento do PIB. “Em períodos como este, as pessoas tendem a recorrer a empréstimos, geralmente caros, devido à elevada taxa básica de juros atual.”

Plataforma Salva-Dívidas

Diante desse contexto de alta inadimplência, Vítor Bertuzzi destaca que a BGP fez um investimento na plataforma Salva-Dívidas, cujo foco é conciliação e mediação, desenvolvida para auxiliar devedores a formalizar acordos com as instituições financeiras com as quais possuem dívidas.

“A proposta é que a plataforma dê voz ao consumidor endividado, buscando compreender os valores que ele tem à disposição para adimplemento de sua dívida e instruindo-o para que realize uma negociação mais efetiva”, ressalta.

O CFO da BGP salienta que grande parte do problema da inadimplência está relacionada à falta de conhecimento da população sobre finanças pessoais, o que faz com que diversas instituições financeiras cobrem juros abusivos, que dificilmente são detectados por quem não tem um conhecimento mais aprofundado sobre o assunto. 

Última atualização da matéria foi há 3 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content