Sua Página
Fullscreen

Mentoria: trilha para o desenvolver constante

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

São notórias as dificuldades de empreender no Brasil. Entre criação de produto, gerenciamento de equipe, financiamento e questões burocráticas, são muitos os desafios que criadores de startups enfrentam para tirar suas ideias do papel e transformá-las em projetos lucrativos de alto impacto. Mas é possível hackear o sistema e acelerar os passos para o sucesso ouvindo vozes da experiência de quem já passou pelos problemas que o empreendedor enfrenta hoje. Os processos de mentoria se mostraram verdadeiros game changers na jornada de muitos que confiam em seu potencial, mas admitem precisar de outros pontos de vista.

O poder da experiência

Leandro Navatta é empresário de tecnologia e compõe o time de mentores da FGV Ventures, aceleradora de startups da Fundação Getulio Vargas, instituição de ensino referência em negócios. Durante sua carreira, criando três empresas de tecnologia e atendendo marcas como Ambev, Microsoft e Airbnb, Leandro colheu uma série de conhecimentos, gerados a partir dos mais variados erros e ajustes de rota, que hoje compartilha com “startupeiros” determinados em avançar com seus projetos. “O maior benefício da mentoria é aprender com o erro dos outros. Você pode gastar muito tempo e dinheiro errando ou pode ouvir alguém que já passou pelos seus problemas e poupar energia”, afirma o empresário.

“Mentores não tomam decisões pela empresa, o papel deles é aconselhar e apresentar possíveis caminhos a partir do contexto de cada uma”, ele complementa. E isso pode fazer uma significativa diferença no destino daquele empreendimento.

Estudo de caso: Leme – um exemplo de sucesso

Como exemplo está a Leme, startup de tecnologia com foco em educação, destinada a otimizar a rotina administrativa das escolas. Isaac Barbieri, fundador e CEO da empresa salienta o impacto que o FGV Ventures e a mentoria de Leandro tiveram em seu negócio: “No início não tínhamos vasta experiência no modelo de negócio de startups e na área de tecnologia, então um de nossos primeiros movimentos foi buscar conhecimento e ir atrás de pessoas que pudessem nos guiar para errarmos menos.”

“Em específico dentro de nosso time de tecnologia, começamos com operações de atuação instável. Ponto a ponto, Leandro nos direcionou para a construção de um time mais estruturado, com entregas constantes e roadmap bem definido, tudo isso sem ignorar o contexto e as especificidades da Leme. Hoje, seis meses desde nossa primeira conversa, podemos nos considerar mais maduros, com melhora não só em processos de tecnologia mas também em visão comercial e captação de recursos”, completa Isaac.

Programas renomados de mentoria

Outro programa renomado de mentoria, o Google for Startups, já capacitou mais de 60 empresas e contribuiu para o levantamento de milhões de reais para evolução desses negócios. Além disso, o programa abrigou grandes players como Loggi, Nubank e Quinto Andar, se fazendo exemplo de como a orientação certa somada ao esforço pode levar ao êxito empresarial.

Mentoria além das startups

Ademais, não só companhias em fase inicial demandam instrução. Diferentes etapas de crescimento exigem variados estilos de aconselhamento, uma segunda opinião é vital para a validação de uma ideia inovadora. Muitos programas e até mesmo uma mensagem para aquela liderança inspiradora nas redes sociais podem fornecer dicas valiosas para o sucesso de um futuro grande negócio.

Leia ou ouça também:  Brasil possui lei internacional em favor de refugiados

A hora certa para buscar um mentor

Mas quando é a hora certa para buscar um mentor? Muitos empreendedores se perguntam isso enquanto navegam nas águas turbulentas do mundo dos negócios. A resposta pode variar, mas há alguns sinais indicativos de que chegou o momento de buscar essa orientação:

1. Estagnação nos resultados: se a empresa está estagnada ou enfrentando dificuldades para crescer, pode ser o momento ideal para buscar a experiência de um mentor.

2. Falta de experiência em uma área específica: quando a equipe carece de experiência em áreas-chave do negócio, como marketing, tecnologia ou gestão financeira, um mentor com expertise nessas áreas pode oferecer insights valiosos.

3. Dúvidas estratégicas: se o empreendedor está enfrentando dúvidas estratégicas sobre o direcionamento do negócio, um mentor pode ajudar a clarificar os objetivos e identificar os melhores caminhos a seguir.

4. Necessidade de networking: além de orientação e aconselhamento, os mentores também podem abrir portas para networking e oportunidades de negócio, o que pode ser especialmente útil para empresas em estágio inicial.

5. Preparação para investimentos: se a empresa está buscando investidores ou capital de risco, um mentor com experiência nesse campo pode oferecer orientação sobre como se preparar e se apresentar de forma eficaz aos potenciais investidores.

6. Desafios pessoais do empreendedor: por vezes, os desafios enfrentados pelo empreendedor vão além dos aspectos puramente empresariais e envolvem questões pessoais ou emocionais. Nesses casos, um mentor pode oferecer suporte e orientação para lidar com esses desafios.

7. Momento de transição: grandes mudanças, como expansão para novos mercados, lançamento de novos produtos ou mudanças na liderança da empresa, podem ser momentos ideais para buscar a orientação de um mentor experiente.

Recurso valioso

A mentoria pode ser um recurso valioso para empreendedores em todas as etapas de crescimento de uma empresa. A experiência e os insights de um mentor podem ajudar a evitar erros comuns, superar desafios e acelerar o crescimento do negócio. Saber reconhecer quando é a hora certa de buscar um mentor e estar aberto a receber orientação são passos importantes no caminho para o sucesso empresarial.


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights