Sua Página
Fullscreen

Rocco Morabito: o traficante discreto da máfia

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Rocco Morabito, nascido em Africo em 13 de outubro de 1966, ascendeu nas fileiras da ‘Ndrangheta, uma das mais poderosas organizações criminosas da Itália. Conhecido como o “rei da cocaína em Milão”, sua vida criminosa se estendeu por décadas, marcada por fugas espetaculares e parcerias internacionais. Neste artigo, exploraremos a trajetória deste traficante discreto, com enfoque especial em sua passagem pelo Brasil.

Origens na máfia e ascensão em Milão

Rocco Morabito iniciou sua carreira criminosa na década de 1980, ingressando no clã Morabito da ‘Ndrangheta, sob a liderança de seu tio Giuseppe. Estabelecendo-se em Milão, ele logo ganhou reputação como um traficante habilidoso e discreto, colaborando com seu tio Domênico Mollica. Sua mercadoria de qualidade superior lhe rendeu o título de “rei da cocaína”, atraindo a atenção de investidores e banqueiros, mesmo mantendo uma discrição invejável em seus empreendimentos.

Atividades criminosas e parcerias internacionais

A parceria de Morabito com o Primeiro Comando da Capital (PCC) brasileiro solidificou sua presença no Brasil, facilitando o transporte de cocaína entre São Paulo e Milão desde 1990. Essa aliança estratégica permitiu a Morabito expandir suas operações e aumentar seus lucros, enquanto se mantinha longe dos holofotes. Sua habilidade em evitar conflitos armados contribuiu para sua reputação de discrição e eficiência no submundo do crime.

Fuga e exílio no Brasil

Após tornar-se um dos criminosos mais procurados da Itália em 1995, Morabito optou por fugir para o Brasil, onde viveu por dois anos. Durante esse período, ele adquiriu um passaporte brasileiro falso e estabeleceu-se no Uruguai, sob a identidade de Francisco Antonio Capeletto Souza, um empresário fictício. Escondido em Punta del Este, Morabito manteve-se ativo no crime, enquanto evitava a captura pelas autoridades italianas.

Prisão e fuga no Uruguai

A captura de Morabito pela polícia uruguaia em 2017 marcou o fim de sua vida de fugitivo. Descoberto devido a um descuido com a identidade de sua filha, Morabito foi preso em Montevidéu. No entanto, sua estadia na prisão foi breve, pois em 2019 ele conseguiu escapar de forma espetacular junto com outros três detentos, via um buraco no teto do Presídio Central de Montevidéu. A fuga, facilitada por subornos a policiais, destacou a influência e os recursos da máfia calabresa.

Leia ou ouça também:  Tse Chi Lop: o principal traficante da história?

Captura no Brasil

Após dois anos como fugitivo, Morabito foi finalmente capturado pela Polícia Federal brasileira em João Pessoa, em 2021. Sua prisão ocorreu em um flat na praia de Tambaú, onde ele vivia discretamente, evitando chamar a atenção. Sua captura, resultado de investigações minuciosas e interceptações telefônicas, encerrou décadas de atividades criminosas que o mantiveram nas sombras por tanto tempo.

Lenda do crime organizado

A história de Rocco Morabito destaca não apenas a habilidade de um criminoso em evadir a justiça, mas também a complexidade das redes criminosas internacionais. Sua trajetória revela a interconexão entre organizações criminosas em diferentes países e a capacidade de indivíduos como ele de operar sob o radar das autoridades por anos a fio. Sua captura e extradição para a Itália marcam o fim de uma era para Morabito, mas sua história continua a ecoar como um lembrete sombrio dos desafios enfrentados na luta contra o crime organizado.


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights