Anúncios
Sua Página
Fullscreen

A redescoberta do gigante Machado de Assis

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Recentemente, o autor Machado de Assis ganhou nova notoriedade nas redes sociais. Quando a influenciadora Courtney Henning Novak fez um post elogiando a obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, o assunto viralizou. A ideia da criadora de conteúdo é ler obras literárias icônicas de todo o mundo, em ordem alfabética de países. Quando ela chegou na versão traduzida do escritor brasileiro, se declarou tão encantada a ponto de querer aprender português para ler o livro na versão original.

A versão em inglês logo subiu no ranking de vendas nos Estados Unidos e se tornou um dos best-sellers da plataforma Amazon. A versão original foi publicada em 1880 no Brasil e inovou ao mudar padrões literários, como a introdução de um narrador-defunto que comenta sua trajetória com o leitor.

Cláudia Borinelli, bibliotecária do Colégio Marista Santa Maria, explica que Machado de Assis é um escritor negro, que nasceu em 1839, tornou-se jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo. “Sua fase realista se revelou quando expôs seu talento na análise do comportamento humano, descobrindo por trás dos atos bons e honestos, a vaidade, o egoísmo e a hipocrisia”, aponta.

Anúncios

Além do sucesso de “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, memórias de um defunto em seu enterro, que relembra sua infância, sua adolescência, seus amores e sua fase adulta, existem outros títulos que surpreendem pela genialidade da escrita e pela riqueza de conteúdo e contemporaneidade da sua obra. Confira quais são:

Dom Casmurro

“Dom Casmurro” é talvez o romance mais famoso de Machado de Assis, conhecido pela intrigante dúvida sobre a fidelidade de Capitu. A história gira em torno do relacionamento entre Bentinho e Capitu, que são amigos de infância e se casam quando adultos. Bentinho, o narrador, desenvolve uma obsessão com a suspeita de que Capitu o traiu com seu melhor amigo, Escobar. A narrativa é marcada por uma análise profunda da psicologia dos personagens e uma sutil crítica à sociedade e aos costumes da época.

A genialidade de Machado reside na ambiguidade proposital que ele deixa em relação à culpa de Capitu. O leitor nunca tem certeza se Capitu realmente traiu Bentinho, o que torna a leitura fascinante e o debate sobre a obra eterno. Além disso, a obra trata de temas como ciúmes, insegurança e a busca pela verdade, todos incrivelmente atuais.

Quincas Borba

Em “Quincas Borba”, Machado de Assis oferece uma crítica mordaz ao comportamento humano e à sociedade. A obra conta a história de Rubião, que herda a fortuna de seu amigo Quincas Borba, com a condição de cuidar de seu cachorro, que tem o mesmo nome do dono. O protagonista se vê então em uma jornada que revela sua transformação de um homem simples em um indivíduo corrompido pela riqueza.

Anúncios

A filosofia de Quincas Borba, o “Humanitismo”, que prega a sobrevivência do mais forte sob o lema “ao vencedor, as batatas”, é uma sátira ao darwinismo social. Através deste romance, Machado de Assis explora temas como a ganância, a corrupção moral e a hipocrisia da sociedade, mostrando como as pessoas podem ser desumanas em sua busca por poder e status.

O Alienista

“O Alienista” é uma das novelas mais célebres de Machado de Assis e talvez uma de suas sátiras mais mordazes. A história segue o psiquiatra Dr. Simão Bacamarte, que funda um manicômio na pequena cidade de Itaguaí. O objetivo inicial de Bacamarte é estudar a loucura, mas ao longo do tempo, ele começa a internar cada vez mais pessoas, baseando-se em critérios cada vez mais absurdos.

A narrativa de “O Alienista” é uma crítica aos abusos de poder e à arbitrariedade das autoridades. Machado de Assis utiliza o humor e a ironia para questionar o que é considerado normal ou louco, e como a sociedade lida com a diferença. A obra também é uma reflexão sobre a ciência e a ética, mostrando como a busca pelo conhecimento pode levar à desumanização.

Leia ou ouça também:  Ana Maria Bahiana fala do sonho do cinema

Ressurreição

Em “Ressurreição”, Machado de Assis apresenta a história de Félix, um homem emocionalmente instável que se envolve em diversos romances curtos. A narrativa explora as complexidades das relações humanas e a fragilidade dos sentimentos. Félix é um personagem que busca constantemente algo que nunca consegue alcançar plenamente, refletindo a insatisfação e a transitoriedade das emoções humanas.

A obra critica de forma sutil as atitudes e os comportamentos sociais da época, fazendo um paralelo com o conceito de “amor líquido” de Bauman, onde as relações são superficiais e facilmente descartáveis. “Ressurreição” é uma análise profunda das imperfeições humanas e das contradições presentes nas relações amorosas.

Contos de Machado de Assis

Além de seus romances, os contos de Machado de Assis também são de grande importância para entender a genialidade do autor. Em seus contos, Machado consegue condensar em poucas páginas histórias complexas e profundas, sempre com uma crítica sutil à sociedade e aos comportamentos humanos. Um exemplo marcante é “O Caso da Vara”.

“O Caso da Vara” narra a história de Damião, um jovem que foge do seminário e busca refúgio na casa de Sinhá Rita. Para ajudá-lo, Damião precisa garantir que uma escrava, Lucrécia, termine uma tarefa para Sinhá Rita. A narrativa revela a mesquinhez e a hipocrisia dos personagens, mostrando como os interesses pessoais muitas vezes prevalecem sobre a moralidade e a justiça.

Anúncios

O impacto de Machado de Assis na literatura

Machado de Assis é considerado um dos maiores escritores da literatura brasileira e mundial. Seu estilo único, marcado pela ironia, pela sutileza e pela profundidade psicológica, influenciou gerações de escritores e continua a ser estudado e admirado até hoje. A capacidade de Machado de dissecar a alma humana e expor suas contradições faz de suas obras atemporais e universais.

Sua fase realista, iniciada com “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, representa uma mudança significativa na literatura brasileira, introduzindo uma nova forma de narrativa e abordando temas até então pouco explorados. Machado de Assis trouxe à tona as complexidades das relações humanas, a hipocrisia social e a moralidade ambígua, temas que ressoam profundamente no leitor contemporâneo.

A redescoberta de Machado de Assis

A recente viralização de “Memórias Póstumas de Brás Cubas” nas redes sociais, impulsionada por Courtney Henning Novak, demonstra o impacto duradouro e a relevância das obras de Machado de Assis. A redescoberta de Machado por novos públicos, especialmente fora do Brasil, reforça a importância de sua obra no cenário literário global.

A admiração de Novak pela obra, a ponto de querer aprender português para ler o texto original, é um testemunho da qualidade e da profundidade da escrita de Machado. Esse fenômeno também destaca a importância das traduções literárias na disseminação de culturas e ideias, permitindo que obras-primas de autores como Machado de Assis alcancem um público mais amplo.


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights