Sua Página
Fullscreen

OTAN: 90 mil homens em um megaexercício

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Os líderes militares reforçam a mensagem de uma resposta coletiva da OTAN diante da insegurança internacional, destacando a necessidade de proteção mútua.As manobras militares recentemente anunciadas pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), denominadas “Steadfast Defender 24”, representam um marco significativo nas atividades da aliança, marcando suas maiores operações em décadas. O pontapé inicial foi dado com a partida do navio militar norte-americano “USS Gunston Hall” de Norfolk, Virgínia, sinalizando um comprometimento robusto com a segurança coletiva transatlântica. Estas manobras abrangentes, projetadas para durar até maio, envolverão impressionantes 90 mil soldados da OTAN, destacando a magnitude da resposta da aliança a cenários de ameaças complexas. Em um contexto de crescentes tensões internacionais, notadamente agravadas pela invasão russa na Ucrânia em 2022, a OTAN busca reforçar sua postura defensiva no flanco oriental. A participação massiva de 31 países aliados, além da Suécia que aspira a aderir à aliança, sublinha a unidade e a abrangência desses exercícios. Com 50 navios de guerra, 80 aeronaves e mais de 1.100 veículos de combate, esta demonstração de força é sem precedentes desde as manobras “Reforger” de 1988, no final da Guerra Fria. Neste cenário de intensificação, líderes militares, incluindo o General Christopher Cavoli e o Almirante Rob Bauer, destacam a necessidade de uma abordagem ampla diante dos desafios imprevisíveis, instando os membros da aliança a “esperarem o inesperado”. Estes exercícios não apenas reforçam a capacidade operacional da OTAN, mas também evidenciam uma resposta coletiva da aliança à insegurança internacional, redefinindo estratégias em uma era de incertezas geopolíticas.

20 aspectos sobre o maior exercício militar da OTAN:

Início das manobras “Steadfast Defender 24” da OTAN

A OTAN anunciou formalmente o início de suas maiores manobras em décadas, “Steadfast Defender 24”, com a partida do USS Gunston Hall de Norfolk, Virgínia.

Escopo e participação massiva

Os exercícios envolverão cerca de 90 mil soldados da OTAN, demonstrando a capacidade de conduzir operações complexas em várias regiões ao longo de meses.

Trânsito do USS Gunston Hall

O navio militar norte-americano iniciou seu trânsito pelo Atlântico, marcando o primeiro movimento tático das manobras que se estenderão até maio.

Simulação de resposta à ameaça russa

Projetados para simular a resposta a um ataque rival, os exercícios visam fortalecer a segurança no flanco oriental da OTAN diante das crescentes tensões internacionais.

Dimensionamento das manobras

Com 50 navios de guerra, 80 aeronaves e mais de 1.100 veículos de combate, estas são as maiores manobras desde o Reforger de 1988, ocorrendo num contexto de tensões pós-invasão russa na Ucrânia.

Participação da Suécia

Além dos 31 países da Aliança, a Suécia, que aspira a aderir à OTAN, também participará, destacando a unidade da coalizão.

Declarações de líderes militares

O General Christopher Cavoli enfatiza a demonstração de unidade e força, enquanto o Almirante Rob Bauer destaca o recorde de mobilização de tropas.

Tensões internacionais

Os exercícios ocorrem em meio a crescentes tensões internacionais, especialmente após a invasão russa na Ucrânia em 2022.

Mudança de abordagem militar

O Almirante Bauer destaca a necessidade de uma “abordagem de toda a sociedade” diante de desafios imprevisíveis, indo além do planeamento militar.

Expectativas de surpresas

Os membros da aliança atlântica são instados a “esperar o inesperado”, conforme a guerra estagna e os desafios políticos dificultam o financiamento.

Envolvimento do Reino Unido

O Reino Unido enviará 20.000 soldados com apoio aéreo e naval para a Europa Oriental, reforçando seu compromisso com a defesa coletiva.

Infraestrutura búlgara para apoiar a OTAN

O governo búlgaro investirá 6 bilhões de euros em estradas, linhas ferroviárias e oleodutos, reforçando a infraestrutura para o rápido envio de tropas da OTAN.

Planos de defesa da aliança na Bulgária

O ministro da Defesa búlgaro, Todor Tagarev, destaca os planos de defesa da Aliança e a possibilidade de implantar um grupo de combate multinacional no território.

Declaração do secretário da Defesa do Reino Unido

Grant Shapps anuncia o envio de forças militares significativas, demonstrando o compromisso do Reino Unido com a segurança coletiva.

Aumento da intensidade desde a Guerra Fria

As manobras representam a maior intensificação da OTAN desde a Guerra Fria, refletindo a mudança no panorama geopolítico.

Desafios econômicos pós-conflito ucraniano

Com o financiamento retido devido a lutas políticas, a OTAN enfrenta desafios econômicos, exigindo uma abordagem ampla.

Mudança na mentalidade militar

Bauer destaca a transição de uma era previsível para uma em que “tudo pode acontecer a qualquer momento”, demandando adaptação.

Participação da OTAN além dos EUA

O envolvimento de tropas da OTAN desde os Estados Unidos até a Europa é descrito como uma “grande mudança” em comparação com o ano anterior.

Demonstração de força transatlântica

Os exercícios buscam demonstrar a capacidade da OTAN de conduzir operações em larga escala, promovendo a segurança transatlântica.

Resposta coletiva à insegurança nternacional

Os líderes militares reforçam a mensagem de uma resposta coletiva da OTAN diante da insegurança internacional, destacando a necessidade de proteção mútua.

Última atualização da matéria foi há 1 mês


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content