Sua Página
Fullscreen

Qual o papel do crédito na economia brasileira

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

A economia de um país não se sustenta ancorada numa indústria ou em um comércio isoladamente. É preciso que todo o ecossistema de empresas – que compõem cadeias produtivas – esteja forte. Para tal, é fundamental que estas companhias estejam munidas de ferramentas e serviços apropriados, principalmente com visão financeira, tornando-se o motor econômico propulsor de uma sociedade. Entre diversos processos e soluções, o crédito é um dos elementos fundamentais para isso.

A dinâmica das PMEs e o acesso ao crédito

Um recente levantamento do Serasa Experian estudou a relação entre o acesso às linhas de crédito e as Pequenas e Médias Empresas (PMEs). Os dados apontam que este é um mercado ainda em expansão no Brasil, uma vez que 89% das PMEs acreditam que, caso solicitem crédito, teriam seus pedidos aprovados.

Contudo, ter acesso a esta facilidade ainda perpassa por algumas dificuldades, principalmente para os negócios menores. O excesso de burocracia, somado às altas taxas de juros e à falta de garantias consistentes, são os principais fatores para um acesso super restrito ao crédito e, consequentemente, um dos grandes responsáveis pelo forte endividamento das empresas, principalmente as PMEs.

Cadeia produtiva: quando uma empresa puxa a outra

Como dito anteriormente, nenhuma empresa funciona sozinha – ela, que, ao mesmo tempo, é provedora e cliente, está contida num ecossistema de muitas empresas, e até pessoas, que também compram e vendem. A conta é simples de entender: por um lado, todos precisam de fornecedores fortes, competitivos e confiáveis para produzir seus produtos; por outro, todos precisam ter clientes saudáveis, fortes e confiáveis. Entregar seus produtos conforme os prazos estabelecidos com seus compradores e receber na data que precisa, diferente da data que seu cliente pode pagar, é uma das principais dores do mercado, que afetam o fluxo de caixa das cadeias produtivas.

Segundo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), as cadeias produtivas são formadas por “uma complexa rede de interações entre diversas empresas de diferentes portes, tendo, em geral, as maiores companhias como centro desse relacionamento.”

A importância da gestão financeira e do fluxo de caixa

Essa engrenagem precisa estar sempre bem azeitada a fim de garantir o fluxo de caixa e a saúde financeira de todas as partes envolvidas. Em outras palavras, quando esse ecossistema funciona de forma correta, uma empresa impulsiona a outra. Basta entender que um negócio com fornecedores sólidos e boa saúde financeira tem mais assertividade em suas operações, entregas pontuais e produtos consistentes.

Contudo, em um mercado que movimenta grandes somas em dinheiro, manter os compromissos em dia não é uma tarefa simples. Para Edson Silva, a burocracia no acesso ao crédito tem impacto direto nas cadeias produtivas, onde os prazos precisam ser cumpridos e nem sempre o parceiro tem o valor necessário disponível na data desejada para dar vazão na produção ou ampliar a sua capacidade de compra.

O crédito inteligente a favor de fornecedores e clientes

Silva destaca que uma cadeia de fornecimento sólida e sustentável “contribui para redução de custos, aumento da eficiência operacional, competitividade, maior qualidade dos produtos e serviços e pode impactar em menores custos de produtos, além de mitigar riscos associados à interrupção do fornecimento”.

Leia ou ouça também:  Por que a Estônia está atraindo os brasileiros?

Nesse sentido, uma boa gestão financeira e de fluxo de caixa é capaz de dar fôlego e capacidade para que as empresas não passem por eventuais necessidades e garantam o cumprimento dos contratos entre fornecedor e cliente.

E o acesso ao crédito é um dos maiores aliados. Ainda, segundo o levantamento do Serasa, nos últimos dois anos, 53% das PMEs recorreram a alguma forma de crédito, sendo o empréstimo e a antecipação de recebíveis as modalidades mais populares.

Desafios e soluções no acesso ao crédito

Os dados, apesar de se demonstrarem positivos, também indicam que 47% das empresas não contrataram nenhum produto de crédito no mesmo período – não porque não precisaram, mas porque não conseguiram. Segundo o estudo, 51% dos entrevistados reclamaram justamente das altas taxas de juros cobradas pelos empréstimos, enquanto outros 26% relataram ter dificuldades com as exigências de garantias feitas pelas instituições bancárias.

Esses números deixam evidentes a necessidade da disponibilização das chamadas linhas de crédito inteligentes que identificam e controlam como as empresas podem obter crédito sem considerar, apenas, os critérios convencionais.

Uma modalidade, por exemplo, é o chamado empréstimo mercantil, contraído justamente por fornecedores, ancorados em pedidos recebidos e o cadastro de seu comprador. Segundo outro estudo do Serasa, o crédito mercantil avançou em 2022, atingindo 39,2% do total de crédito tomado.

Edson Silva explica que o crédito inteligente é simples. Segundo o empresário, trata-se de uma estratégia que monitora o fluxo de caixa e a capacidade de tomada de crédito e pagamento, testada em diversas cadeias produtivas e que já movimenta, por ano, mais de R$ 20 bilhões, com taxas crescentes de 2 para 3 dígitos em alguns setores da economia.

O futuro do crédito inteligente

A antecipação ao fornecedor ou o ajuste de pagamento para a melhor data do comprador, por exemplo, ancoradas no crédito, são uma das facilidades que o novo processo proporciona. É o uso inteligente dos dados e o avanço da tecnologia trabalhando a serviço da economia e dos negócios, fornecendo mais crédito com menor risco, menor burocracia e melhor taxa.

O acesso ao crédito é vital para a saúde econômica das empresas, especialmente as de menor porte, e para o funcionamento eficaz das cadeias produtivas. A busca por soluções de crédito inteligentes, que considerem não apenas critérios tradicionais, mas também a realidade e as necessidades específicas de cada empresa, é essencial para impulsionar o crescimento e a sustentabilidade do mercado empresarial.


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights