Sua Página
Fullscreen

Segmento de foodtechs tem fortes perspectivas de crescimento

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Há algum tempo vem ganhando cada vez mais espaço no mercado mundial o segmento denominado como wellness (ou bem-estar, em português), que é composto por negócios voltados ao atendimento de consumidores que buscam atividades voltadas para o bem-estar e um determinado estilo de vida que preza, especialmente, pela alimentação saudável. No ano de 2022, a Pesquisa Mundial do Global Wellness Institute fez a previsão de um crescimento de US$ 4,4 trilhões desse mercado para os próximos anos, com US$ 946 bilhões tendo origem nas áreas relacionadas à alimentação saudável e nutrição.

Tendo isso em vista, nesse setor surgem as chamadas foodtechs, empresas do ramo alimentício que utilizam recursos tecnológicos como como Internet das Coisas (IoT), Big Data e Inteligência Artificial (IA) como o propósito de promover avanços na indústria alimentar de modo a contemplar a alta demanda atual por alimentos mais saudáveis, produzidos de maneira mais eficiente e sustentável. Apenas no Brasil, entre os anos de 2018 e 2021 o número de empresas desse tipo cresceu 64,69%, segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Atuante na área, Filipe Falcão, sócio e diretor de marketing da franquia de alimentação saudável Sucão, rede que recebeu da Associação Brasileira de Franchising (ABF) o Selo de Excelência em Franquia nos anos de 2019 a 2023, afirma que as foodtechs atuam no mercado combinando tecnologia e inovação para trazer mudanças transformacionais no setor de alimentos e bebidas.

Sobre empreendimentos no segmento, o diretor de marketing assegura que o mercado de foodtechs tem chamado muito a atenção de investidores de todos os tamanhos e locais justamente por sua eficiência. “No caso do Sucão, o fato de sermos uma foodtech dentro do nicho de alimentação saudável potencializa ainda a nossa expectativa de crescimento. Esperamos dobrar de tamanho nos próximos 2 anos”, diz o especialista que avalia a rede Sucão como uma franquia situada entre as duas tendências de mercado com previsões de aquecimento: wellness e foodtechs.

Leia ou ouça também:  Crypto.com afirma que brasileiros querem NFTs

Conforme dados divulgados pelas Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), agência especializada no combate à fome e à pobreza por meio do investimento em segurança alimentar e desenvolvimento agrícola, devem ser feitos  investimentos anuais de US$ 44 bilhões em agricultura pelos governos de países em desenvolvimento, para que assim a produção de alimentos possa avançar em 70%, de modo a ser capaz de suprir a demanda da população por alimento nos próximos anos.

Nesse horizonte, as soluções desenvolvidas por foodtechs com o objetivos centrados na produção e distribuição de alimentos de forma sustentável, é percebida como aliada na solução do problema. “Ser uma foodtech é explorar e compreender como aquela tecnologia específica vai aumentar a eficiência do negócio, é sobre utilizar a tecnologia e a inovação com foco em análise de dados, além da experiência do cliente e eficiência operacional, mantendo o foco na sustentabilidade, sempre de maneira integrada e inteligente”, finaliza Filipe Falcão.

Para mais informações, basta acessar https://sucao.com.br/

Última atualização da matéria foi há 10 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights