Alice Sosnowski analisa o empreendedorismo global

Alice Calvo

Alice Salvo Sosnowski é jornalista, escritora, professora, especialista em empreendedorismo e soft skills, criadora da metodologia O Pulo do Gato Empreendedor©, foi eleita em 2019 uma das Top Voices no Linkedin. Também é mestranda em empreendedorismo pela FEA/USP e atualmente desenvolve conteúdo, palestras e workshops sobre negócios da nova economia e comportamento empreendedor. Além disso, é autora do livro “Empreendedorismo para Leigos” e de uma série de e-books que ajudam o empreendedor a planejar e executar seu negócio por meio da inovação e colaboração. “O Brasil é apontado como um dos países mais empreendedores do mundo. São mais de 52 milhões de empreendedores, ou seja, indivíduos envolvidos na criação ou manutenção de algum negócio. Empreender já é o segundo maior sonho do brasileiro, segundo pesquisa do Sebrae. No entanto, o país ainda precisa evoluir muito no que se refere as condições para empreender. Temos obstáculos estruturais como falta de infraestrutura, sistema tributário complexo e abusivo e o Custo Brasil. A pandemia da Covid veio complicar ainda mais esse cenário, fazendo com que os empreendedores tivessem que se virar para sobreviver durante o lockdown. Enquanto nos países desenvolvidos, os empreendedores tiveram intenso apoio financeiro governamental, aqui no Brasil poucas ações foram feitas para proteger esse setor tão importante da economia nacional”, afirma a renomada especialista e palestrante.

Alice, quais os pontos que ligam os empreendedores de sucesso?

Há mais de 10 anos eu faço essa pergunta (Risos). Sou jornalista e cobri durante muito tempo a área de negócios, entrevistando todos os tipos de empreendedores, com empresas de diferentes portes, natureza e localização geográfica. Depois dessa experiência, descobri que o empreendedor de sucesso tem a capacidade de transformar ideias em algo concreto e isso só é possível quando ele tem competências como capacidade de vislumbrar, mão na massa, foco, determinação, resiliência e desapego para se reinventar a cada desafio. São as conhecidas soft skills (ou habilidades comportamentais), cada vez mais importantes no mundo do trabalho. Chamo essa capacidade de o pulo do gato empreendedor, que diferencia os empreendedores de sucesso daqueles que não conseguem prosperar.

Qual a sua definição de empreendedorismo?

Para mim, o empreendedorismo é uma atitude diante da vida que leva em conta a autonomia, o risco, a autorresponsabilidade e o protagonismo. Empreendedores não são apenas os donos de empresas, mas aquelas pessoas que ousam e mudam a realidade ao seu redor. Eles mobilizam recursos financeiros, humanos e materiais para realizar objetivos e concretizar sonhos. Podem ser funcionários de empresas (os intraempreendedores), donas de casa ou profissionais autônomos. Acredito que todos podemos desenvolver características e comportamentos empreendedores e virar protagonistas da nossa própria vida.

A inovação é um dos tripés para o empreendedorismo?

Inovação é a base e o combustível do empreendedorismo. Lembrando que empreendedores são aqueles que enxergam um problema e criam uma solução que vai ser utilizada pela sociedade. A inovação pode ser com um novo produto ou serviço, processo ou abordagem. Ela pode ser radical e mudar todo um mercado como o Uber, por exemplo, que transformou o conceito de mobilidade nas grandes cidades, como também incremental, que é melhorar o processo de venda ou inserir uma interação nova com o seu cliente, por exemplo.

Como avalia o empreendedorismo em nosso país se comparado com outras partes do mundo?

O Brasil é apontado como um dos países mais empreendedores do mundo. São mais de 52 milhões de empreendedores, ou seja, indivíduos envolvidos na criação ou manutenção de algum negócio. Empreender já é o segundo maior sonho do brasileiro, segundo pesquisa do Sebrae. No entanto, o país ainda precisa evoluir muito no que se refere as condições para empreender. Temos obstáculos estruturais como falta de infraestrutura, sistema tributário complexo e abusivo e o Custo Brasil. A pandemia da Covid veio complicar ainda mais esse cenário, fazendo com que os empreendedores tivessem que se virar para sobreviver durante o lockdown. Enquanto nos países desenvolvidos, os empreendedores tiveram intenso apoio financeiro governamental, aqui no Brasil poucas ações foram feitas para proteger esse setor tão importante da economia nacional.

Você descobriu qual é o “pulo do gato” para a criação de um negócio de sucesso?

(Risos). Acho que sim, mas a resposta não é uma fórmula pronta. Para mim, o pulo do gato é dominar as soft skills, ter coragem, ousadia, disposição ao risco e muita determinação para não desistir no meio do caminho. Ao longo da minha pesquisa que durou mais de dez anos, mapeei mais de 150 habilidades importantes para empreender e sistematizei elas em seis princípios fundamentais, que são: Apaixone-se (se conheça e saiba o que você quer), Vislumbre (um objetivo, sonho grande), Faça (execute, mão na massa), Compartilhe, Persista e Transforme-se, ou seja, esteja disposto a se reinventar no meio do processo. Mude a estratégia, descanse, mas não desista do seu sonho grande.

Qual a importância do mentor para uma trajetória empresarial bem-sucedida?

Quando comecei a empreender em 2005 a figura do mentor aqui no Brasil não era reconhecida e acontecia informalmente. Hoje, a mentoria para empreendedores é uma necessidade e reconhecida que ajuda o empreendedor a desbravar seu mercado e encarar os desafios. A jornada é sempre complexa, com altos e baixos, e mudanças de rotas repentinas. Acredito que a figura do mentor é fundamental para ajudar o empreendedor nessa saga.

Empreender seria uma habilidade?

Empreender não é um dom. Ninguém nasce empreendedor. A pessoa pode até ter uma certa vocação para o risco e para lidar com a incerteza, mas o perfil empreendedor é possível ser desenvolvido de acordo com o contexto social, educacional e cultural. Ou seja, a pessoa pode aprender a ter atitudes empreendedoras. Para isso, precisa trabalhar não apenas uma, mas diversas habilidades como autoconhecimento, inteligência emocional, foco, ousadia, autoconfiança e criatividade, liderança e planejamento.

Como essa habilidade pode ser desenvolvida por alguém que não tem essa percepção de uma forma nata?

Tudo começa pelo coração – a Paixão -, que é a motivação interna de uma pessoa e que desperta a vontade de realizar algo que faça sentido. Mas este é apenas o primeiro passo. Para continuar esta jornada é preciso Vislumbrar, ou seja, visualizar o futuro e definir uma meta clara. Depois, é hora de colocar a mão na massa e Fazer para atingir um objetivo. Em seguida é necessário Compartilhar. No mundo hiperconectado que vivemos hoje, não podemos desprezar o poder das redes e das interações sociais. A jornada empreendedora também é repleta de dificuldades e obstáculos. É quando a Persistência entra em cena. O empreendedor precisa se manter em pé, enraizado em suas convicções para não sucumbir durante os percalços. E, por fim, a capacidade de Transformação que proporciona ao empreendedor o equilíbrio necessário para transformar o seu negócio e a si mesmo em algo de valor para a sociedade.

Em que momento surge a metodologia O Pulo do Gato Empreendedor?

O Pulo do Gato nasceu em 2009 como um blog onde escrevia sobre os desafios do empreendedorismo. Na época, eu já era uma empreendedora às voltas com assuntos de fluxo de caixa, gestão de contratos e questões jurídicas. Mas o instinto jornalístico sempre me fazia questionar: por que alguns empreendedores conseguem dar o pulo do gato enquanto outras pessoas passam a vida correndo atrás e não conseguem? Por que existem tantas pessoas querendo empreender seus sonhos e tão poucos casos de sucesso? Por isso decidi ir atrás dessas perguntas e entrevistei mais de 300 empreendedores, especialistas e pensadores. Depois de muitos depoimentos, encontrei nas respostas padrões de comportamento que se transformaram na metodologia de educação empreendedora O Pulo do Gato Empreendedor© que tem a missão de desenvolver habilidades e soft skills que apoiam os empreendedores em suas conquistas e superações.

Qual o maior diferencial dessa metodologia?

Depois que comecei a fazer essa pesquisa (em 2009) descobri que vários grandes pensadores já tinham se debruçado sobre o assunto. Pessoas do peso de Napoleon Hill, autor do clássico “A Lei Do Triunfo”(1928), ou David McClelland, que inspirou o Empretec do Sebrae. No entanto, uma coisa me incomodava em todas essas pesquisas. Elas haviam sido feitas em outro contexto histórico, que não incluíam as disrupções do século XXI. Também eram pesquisas que não consideravam a realidade atual brasileira. E foi a partir desta lacuna que criei a metodologia O Pulo do Gato Empreendedor©. Nela, trabalho o contexto brasileiro do século XXI e conto exemplos de empresários que atuam agora, na nova economia.

Como essa metodologia pode transformar um negócio?

Pesquisa do Sebrae indica que 60% das empresas fecham até o segundo ano de existência. O empreendedor brasileiro sempre enfrentou um cenário hostil para os negócios no que diz respeito ao ambiente regulatório, a complexidade dos tributos e a dificuldade de acesso a financiamentos. Mas, além disso, minha experiência diz que umas das principais dificuldades do empreendedor está no desenvolvimento do autoconhecimento e das habilidades empreendedoras. Infelizmente, o nosso processo de educação não foca nessas soft skills. No século XXI, com a transformação digital, nunca precisamos tanto do nosso lado mais humano. É fundamental desenvolver habilidades que nenhum robô ou máquina é capaz de imitar, como a capacidade de negociar, ser flexível, ter pensamento crítico, empatia e inteligência emocional. São elas que em última instância determinam o sucesso – ou o fracasso – de um empreendedor e seu projeto ou negócio.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content