Sua Página
Fullscreen

As ações bem-sucedidas do Governo Collor

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

No início da década de 1990, o Brasil enfrentava um cenário econômico complexo, com altas taxas de inflação e instabilidade política. Foi nesse contexto que Fernando Collor de Mello foi eleito presidente da República, em 1989, com a promessa de implementar uma série de mudanças radicais para recuperar a economia do país.

Em seus primeiros meses de Governo, Collor tomou uma série de medidas que causaram grande impacto na sociedade brasileira. Uma das ações mais emblemáticas foi o confisco da poupança, que foi anunciado em março de 1990. Essa medida provocou uma enorme reação popular, com protestos e manifestações em todo o país. No entanto, apesar da polêmica, essa decisão acabou sendo fundamental para o controle da inflação, que era um dos maiores problemas do Brasil na época.

O Governo Collor também implementou outras medidas importantes para a estabilização econômica. Foi criado o Plano Collor, que previa a abertura da economia brasileira, a redução dos gastos públicos e a adoção de uma política de privatizações. Essas medidas foram duramente criticadas por alguns setores da sociedade, que acusavam o Governo de estar promovendo uma “entrega” do patrimônio público e uma “desproteção” da indústria nacional. No entanto, apesar das críticas, essas medidas acabaram sendo eficazes para a retomada do crescimento econômico no país.

Um importante legado social foi a criação do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O INSS foi criado em 1990, no início do mandato de Collor, pela fusão de diversos órgãos previdenciários que existiam na época. O objetivo da criação do INSS foi unificar e simplificar o sistema previdenciário brasileiro, tornando-o mais eficiente e acessível aos cidadãos.

Antes da criação do INSS, o sistema previdenciário brasileiro era bastante fragmentado, com diversos órgãos responsáveis por diferentes tipos de benefícios e regimes de contribuição. A fusão desses órgãos em uma única entidade foi uma importante medida de modernização e racionalização do sistema previdenciário, que permitiu uma gestão mais eficiente e transparente dos recursos públicos destinados à previdência.

Além disso, o INSS também trouxe importantes avanços sociais para o país, ao ampliar o acesso aos benefícios previdenciários para uma parcela maior da população. Com a criação do INSS, foram criados novos programas de benefícios, como a aposentadoria por idade e a pensão por morte, que permitiram que mais pessoas pudessem se aposentar ou ter acesso a uma renda previdenciária.

Outra ação bem-sucedida do Governo Collor foi a criação do Sistema Único de Saúde (SUS), em 1990. Esse sistema foi uma grande conquista para a população brasileira, que passou a contar com um sistema de saúde público e gratuito, capaz de atender a todas as camadas sociais. O SUS é um dos maiores sistemas de saúde pública do mundo e representa uma importante conquista para a democracia brasileira.

No entanto, o Governo Collor ficou marcado por escândalos de corrupção que acabaram levando ao seu impeachment, em 1992. O caso mais emblemático foi o da empresa de PC Farias, que era tesoureiro da campanha de Collor e foi acusado de desvio de recursos públicos. Esse escândalo provocou uma grande crise política no país e acabou levando à abertura do processo de impeachment do presidente.

Leia ou ouça também:  E se o Covid-19 for mesmo um vírus chinês?

Em suma, as ações do Governo Collor foram marcadas por polêmicas e impactos profundos na sociedade brasileira. Apesar das medidas impopulares, como o confisco da poupança e a política de privatizações, essas ações acabaram sendo fundamentais para a estabilização econômica do país. A criação do SUS, por sua vez, é um exemplo claro do legado positivo do Governo Collor para a população brasileira. No entanto, os escândalos de corrupção que marcaram seu Governo acabaram manchando sua trajetória política e deixando um legado de desconfiança na classe política e na sociedade como um todo.

É importante lembrar que, mesmo com seus erros e acertos, o Governo Collor foi um período conturbado na história do Brasil, marcado por intensa polarização política e social. O presidente enfrentou forte oposição de diversos setores da sociedade, incluindo partidos políticos, sindicatos, movimentos sociais e a imprensa. Por outro lado, Collor também contava com uma base de apoio fiel, formada principalmente por empresários e setores conservadores da sociedade.

Essa polarização se refletiu em diversos episódios emblemáticos da época, como as manifestações populares contra o confisco da poupança, as acusações de corrupção envolvendo o presidente e sua equipe, e o processo de impeachment que culminou na saída de Collor do poder. O clima de instabilidade política e social foi acentuado ainda mais pelas crises econômicas e pelos problemas sociais que o país enfrentava na época.

É importante ressaltar que essa polarização política e social não se restringiu apenas ao Governo Collor, mas marcou toda a década de 1990 no Brasil. A transição da ditadura para a democracia, a abertura econômica, a privatização de empresas estatais e as reformas constitucionais foram alguns dos temas que geraram intenso debate e polarização na sociedade brasileira. Esse período deixou um legado complexo para o país, com avanços significativos em alguns aspectos, mas também com desafios e problemas estruturais que persistem até hoje.

Última atualização da matéria foi há 5 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content