Sua Página
Fullscreen

Brasileiro escreve livro de contos usando ChatGPT

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Quem não ama uma boa história? Seja verídica ou fantasiosa, toda narrativa nos cativa, mexe com nossa imaginação e deixa sua marca – trazendo, até mesmo, lições valiosas a serem aprendidas. Se aventurando nesse universo, Claudio Santana, escritor, polímata, futurista e executivo da área de melhoria contínua e inovação, acaba de produzir uma obra de 50 contos inteiramente cocriada com a inteligência artificial do ChatGPT em cerca de 97 horas. Os Contos de Anacrôn, como foi nomeada, já está disponível para compra na Amazon.

Se aventurar na escrita não foi uma novidade para ele. Já autor de um livro de poesias e dois livros técnicos, ele viu a oportunidade de criar sua obra de contos quando descobriu a ferramenta. “Tinha várias ideias de histórias pequenas com morais filosóficas e outras de senso comum no final. Então, decidi testar essa inteligência artificial e começar a montar os contos com as ideias propostas”, relata.

O processo foi surpreendente. Ao descrever a ideia central do conto em poucas linhas e o desfecho inicialmente esperado, o ChatGPT criava uma história completa utilizando essas frases chaves destacadas. Nem sempre o relato desenvolvido fazia 100% sentido narrativamente, mas, com pequenos ajustes, era possível desenvolver resultados incríveis. Até mesmo, com perspectivas inusitadas e mais interessantes do que havia imaginado no começo.

Do seu lado, a criatividade dos contos é inserida na plataforma. Do outro, a IA cria uma história se baseando nas informações compartilhadas. É uma parceria entre o conhecimento humano e artificial, onde ambos aprendem um com o outro constantemente, visando atingir conquistas cada vez melhores. “Percebi que quando inseria muitos detalhes, a ferramenta acabava não gerando propostas tão atraentes. Mas, quando comecei a inserir poucas palavras mais assertivas, os contos surgidos eram fascinantes, precisando apenas revisar e adaptar alguns detalhes para finalizar”, compartilha.

Para ilustrar todos esses contos, a inteligência da DALL-E também foi utilizada. Nela, a mesma premissa do ChatGPT se aplica: com uma descrição do esperado, a ferramenta desenvolve algumas sugestões de imagens que contém as ideias centrais relatadas. Assim como na outra, nem sempre as fotos apresentam completamente o que foi imaginado – o que demandou um maior desafio de testar diferentes expressões até que esta IA elaborasse uma ilustração parecida com o imaginado.

Leia ou ouça também:  Carlos Carvalho analisa o mundo da comunicação

É claro que muito ainda precisa ser evoluído, mas o livro cocriado com essa ferramenta já abre muitas portas. Para Santana, ter concluído essa obra é apenas a ponta do iceberg, e nos dá a ideia do quanto a IA pode nos ajudar em diversas tarefas do nosso dia a dia pessoal e profissional, simplificando muitas atividades e as tornando mais assertivas para nossos propósitos.

E, nada melhor do que falar sobre suas expectativas usando o próprio ChatGPT – claro, que com algumas palavras-chaves inseridas. “A inteligência artificial tem potencial de revolucionar os negócios e impactar a forma pela qual iremos interagir com ela, seja evitando tarefas repetitivas do nosso cotidiano ou agilizando outras. Novas portas da criatividade humana podem surgir a partir dessa relação, permitindo que possamos aprender com a máquina e que ela própria aprenda com a gente. Muito ainda precisa ser construído, mas o mercado certamente irá se ajustar à IA e atingir feitos inimagináveis com essa parceria”, finalizam os autores, humano e artificial.

Última atualização da matéria foi há 8 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights