Capri Venture investe nas chamadas pet techs

Alaíde Barbosa é graduada pela faculdade Ruy Barbosa em Ciência da Computação. Possui bacharelado em Administração pela Universidade de Salvador, mestrado em Ciência da Computação pela Universidade de Salvador, doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo e tem pós-doutorando em Engenharia, IoT pela Escola Politécnica da USP. Tem mais de 20 anos de experiência como diretora em grandes organizações de diversos setores, atuando no Brasil: Odebrecht Ambiental e BRK Ambiental. É CEO da Capri Venture, primeira Corporate Venture Builder pets tech do Brasil. A Capri Venture Builder chegou ao mercado com o propósito de transformar o ecossistema pet, com a meta de adicionar a seu portfólio sete startups que atuem no mercado pet. Uma parceria entre a Anilhas Capri, líder na identificação de animais silvestres, e a FCJ Venture Builder, multinacional pioneira, está à frente do segmento de venture builder na América Latina. “Surge a partir de uma análise de open inovation dentro de um Grupo super tradicional que atua há mais de 70 anos no mercado de animais de estimação, especificamente com pássaros, ou seja, a junção do Grupo Capri com a FCJ, um dos maiores fundos de venture builder do mundo. A Capri Venture Builder nasceu exatamente no despertar para as dores de digitalização do ecossistema Pet, demandando startups com soluções inovadoras que atendam a este mercado”, afirma Alaíde Barbosa.

Alaíde, o que mudará no empreendedorismo num mundo pós-Covid em sua visão?

Muitas foram as lições que vivenciamos com a pandemia, dentre elas observamos a necessidade de ser mais digital e mais colaborativo, de atuarmos em comunidade, a filosofia do dar e receber como nos apresenta Adam Grant em seu livro.

Como enxerga a inovação nesse sentido?

A inovação é essencial para atender as dores da sociedade e possibilitar a criação das soluções disruptivas, temos que impulsionar a inovação, criar ambientes favoráveis para fomentar o desenvolvimento da inovação em todas as áreas.

O mercado Pet sairá mais fortalecido desse período?

O mercado Pet foi um dos que mais cresceu no período pandêmico, pois, as pessoas se voltaram para a importância da vida e de ter com quem compartilhar os seus momentos. Os animais de estimação vistos como companheiros de todas as horas, que movimentam um mercado que chegou a faturar R$ 51,7 bilhões no ano passado, apontando um crescimento de 27%, de acordo com o Instituto Pet Brasil.

Quais são os números atuais do mercado pet em nosso país?

O Brasil é o 3º maior em população total de animais de estimação do mundo, é o sétimo em faturamento e nos últimos 3 anos apresentou uma média de crescimento de 21% em faturamento por ano, tendo o faturamento de 51 bilhões de reais em 2021 segundo o relatório publicado pela Abinpet/2022.

Quando as pet techs começaram a ganhar campo?

Sem dúvida a pandemia contribuiu para o despertar das pet techs. Enxergamos este mercado como um oceano azul, com muita demanda e poucas soluções atendendo as dores do mercado, será certamente a próxima onda de startups unicórnios e com grandes investimentos.

O que é fundamental para uma pet tech que queira ganhar escala?

Apresentar solução disruptiva e conhecer o mercado.

Qual seria o potencial desse mercado para os próximos anos?

Como falamos é sem dúvida um mercado potencial, com muita demanda e que proporciona um crescimento em escala para as startups que conseguirem identificar as dores deste mercado.

Em que momento surge a Capri Venture?

Surge a partir de uma análise de open inovation dentro de um Grupo super tradicional que atua há mais de 70 anos no mercado de animais de estimação, especificamente com pássaros, ou seja, a junção do Grupo Capri com a FCJ, um dos maiores fundos de venture builder do mundo. A Capri Venture Builder nasceu exatamente no despertar para as dores de digitalização do ecossistema Pet, demandando startups com soluções inovadoras que atendam a este mercado.

O que a Capri Venture viu nesse mercado que a fez decidir investir no ecossistema?

A grande dificuldade encontrada no dia a dia dos tutores, criadores e de todos os amantes dos pets em busca de soluções práticas que facilitem a rotina e proporcione a comunidade do ecossistema Pet conseguir sentir-se acolhido e fazendo parte de algo.

Quais os critérios para a escolha das empresas que receberam o aporte da Capri?

A seleção de startups para nosso portfólio vai além das soluções disruptivas, avaliamos também a equipe, os founders, o potencial do projeto, qual a dor consegue atender e qual a escalabilidade.

Como a consistência influencia na construção e no desenvolvimento dessas startups em especial?

O desenvolvimento de uma startup é diferente do desenvolvimento de uma pequena empresa. As startups, possuem técnicas, ritmos, OKRs e KPIs, que são acompanhados a todo o tempo, afinal tempo é uma moeda preciosa para uma startup. O envolvimento da equipe e nosso apoio na buildagem é essencial para o impulsionamento, é exatamente isso que queremos ser o meio de propulsão para decolar a startup.

Compartilhar:
Tags:
Voltar ao Topo
Skip to content