Live marketing: por que aderir?

Algo que realmente pode mudar a história de uma empresa e de uma marca, de modo geral, é a publicidade, a divulgação e a relação com o público, é um dos maiores exemplos é o conceito de live marketing (também chamado de marketing experencial, marketing de terreno ou marketing ao vivo), algo mais antigo do que muitos imaginam. De fato, após a terrível, inesperada e devastadora (e que ainda presente nos nossos dias) crise sanitária de 2021 todo mundo começou a ouvir falar cada vez mais das famosas lives que aconteciam aqui e ali. No caso, eram as videoconferências operadas entre empresas e especialistas, como modo de continuar perto do público. Como se tratava de uma crise sanitária, que impedia muitas pessoas de frequentarem estabelecimentos que iam desde cinema e teatro até empresa de cortinas sob medida, que também é um serviço presencial.

A ideia era clara, não se afastar muito do seu público, tentando compensar o distanciamento com um recurso digital que pudesse aproximar a todos. No fundo, isso restaura um pouco o conceito mais antigo de live marketing, mas não o limita. Pouca gente sabe, mas “live marketing” nada mais é do que um marketing que se faz ao vivo, algo que grandes empresas de refrigerante, artigos esportivos e tecnologia fazem há muitas décadas, muito antes do surgimento da internet.

O maior exemplo deve ser o da fila de amostra grátis que era muito comum ver nos hipermercados, quando as marcas buscavam o cliente final ou mesmo no setor B2B, como uma empresa de brindes personalizados que monta um estande em uma feira. Nos dois casos, o que temos é um marketing ou divulgação que ocorre presencialmente, em vez de ser uma comunicação escrita ou audiovisual que prescinde de pessoas concretas tentando fazer a abordagem direta do público-alvo.

Naturalmente, a abordagem direta e operada por um representante sempre foi algo mais impactante e que traz um efeito bem mais assertivo e mais duradouro. Neste caso, a live de videoconferência é o extremo oposto da estratégia antiga.

Contudo, ele contém um dos elementos e isso a torna especial, que é o fato de que na live de internet é possível o público interagir de maneira customizada. Portanto, o representante da marca se torna acessível a qualquer um, e isso desperta a magia. Escrevemos este texto justamente para desfazer essas confusões e aprofundar o conceito de live marketing, explicando melhor por que motivo sua empresa deve aderir essa estratégia, entendendo melhor suas ferramentas e sabendo o que esperar de tudo isso. Um ponto bacana é que hoje a ideia evoluiu tanto que já pode auxiliar empresas e marcas de qualquer segmento a se aproximarem do seu público, seja quem lida com venda de iluminação de apartamentos ou com serviços nichados e industriais.

No fundo, o que importa é a iniciativa e a criatividade de simplesmente sair a campo com o intuito de encontrar presencialmente o seu público e proporcionar a ele uma experiência memorável, como algo que ele queira repetir e ainda indicar aos outros. Por isso, se o seu interesse é compreender de uma vez por todas o que exatamente é a live marketing, e como operar essa estratégia de maneira relativamente simples e 100% segura, então basta seguir adiante até o fim da leitura deste artigo.

O que é live marketing?

Como vimos, a internet acabou estendendo um pouco o conceito de live marketing, e até mesmo monopolizou parte do sentido dessa palavra, mas é preciso resgatar o sentido mais original da ideia e da estratégia. Um sinônimo de live marketing que pode ajudar nesse esforço é o de “marketing de experiência”, justamente no sentido de que se trata de uma marca que tenta empreender um esforço para criar um envolvimento em tempo real. Neste sentido, um ponto bastante forte do esforço é a questão da relação individualizada, que hoje chamamos de customizada. Afinal, quando a marca põe um representante para se posicionar perante um cliente ideal ou efetivo, isso é algo exclusivo. Portanto, se a empresa faz aluguel de sala privativa, este é o momento em que ela sai da sua zona de conforto enquanto instituição ou corporação e vai ao encontro de pessoas reais, que vivem seus problemas no mundo real e querem soluções para eles. Exemplos práticos desse tipo de abordagem, que configuram o live marketing mais tradicional que pode haver, são os seguintes:

Feiras e eventos; Merchandising; Incentivos e brindes; Ações em redes sociais; Liquidações.

Enfim, tudo aquilo que tem a capacidade de gerar um vínculo afetivo disruptivo com o cliente, fazendo uma abordagem direta de um para um que sai da mesmice, pode ser considerado como live marketing. Lembrando que às vezes essa customização se dá de modo realmente direto e personalizado, mas ela também pode ser massificada. Por exemplo, quando uma marca de sorvete anuncia que X picolés têm palitos premiados. No momento em que o cliente encontrar um dos palitos, a customização será máxima, pois ele estará em contato direto com a marca, inclusive na hora de receber seu prêmio. Entretanto, antes disso ocorrer a estratégia era, em si mesma, totalmente massificada. Portanto, no fundo as definições não são estanques e nem podem ser limitadas na base, justamente para que cada marca possa utilizar ao máximo sua criatividade, seja para vender algo popular ou lidar com cabeamento estruturado de redes, por exemplo. Inclusive, o mundo digital também está aí para alterar consideravelmente essa realidade, promovendo não apenas lives de rede social como videoconferência, mas também ações de liquidação e de incentivo que geram altos níveis de engajamento.

Sobre marketing promocional

Até aqui já ficou claro que não podemos confundir ou ao menos limitar as lives das redes sociais e das videoconferências ao conceito mais antigo de live marketing. Se tem outra comparação que ajuda ainda mais a entendermos do que se trata o assunto central deste artigo, trata-se da igualmente antiga tática de marketing promocional. Neste último caso, o que temos é uma intensificação da experiência do PDV, isto é, do Ponto de Venda, como uma loja que cria uma ilha onde seu produto ou serviço pode ser desfrutado em formato de brinde ou amostra grátis. Se for higienização de cadeiras estofadas, você verá o profissional operando o serviço ali mesmo. Se fosse uma clínica de massagem, poderia ir além e desfrutar de cinco minutos como amostra do que na modalidade paga pode chegar a trinta minutos. Sendo assim, o marketing promocional já tinha a base do que depois seria o live marketing, porém ainda não havia uma clareza sobre o fato de que a missão que estava em jogo era a de impactar o cliente de modo direto e customizado. De qualquer modo, podemos dizer com facilidade que o marketing promocional tem relações profundas com o live marketing, inclusive podendo ser considerado seu antecessor.

Efeitos e por que aderir

Um aspecto fundamental de tudo isso é compreendermos melhor os efeitos positivos que o live marketing pode trazer, já que alguns acham que se trata apenas de fazer barulho ou chamar atenção, e não sabem por que aderir. É claro que chamar atenção já é, no fim das contas, a essência do marketing, seja qual for sua modalidade. No fundo, quando uma empresa de arquitetura e reforma investe dinheiro em marketing, só o que ela quer é chamar atenção do seu público-alvo. Sendo assim, o esforço sempre foi o de estar no lugar certo, do jeito certo e com as pessoas certas. O que ocorre é que as práticas vão evoluindo com o tempo e isso pode mudar tudo. No caso do live marketing podemos falar em fortalecimento de marca e muito mais. Por exemplo, esse fortalecimento não é algo vazio ou uma métrica de vaidade, mas se traduz em traços reais como uma melhoria na imagem daquela marca, ou ainda uma melhoria na relação dela com o cliente, que são coisas práticas e reais. Outro efeito prático é o da geração de leads e novas oportunidades, sobretudo, nas redes sociais, o que isso faz é gerar o contato qualificado de pessoas que no futuro curto ou médio certamente se tornarão clientes e consumidores fidelizados.

Realidade Aumentada

Por fim, hoje já podemos falar também do futuro do live marketing, já que hoje as tecnologias estão avançando tão rápido que é impossível não pensar nelas como modo de fortalecer as estratégias. Um exemplo é o da Realidade Aumentada ou mesmo a Realidade Virtual, que podem permitir que os clientes tenham experiências com óculos 3D e daí em diante. Outro exemplo é o famoso gamification, que gera jogos com os quais o cliente interage, tornando a experiência bem mais afetiva e memorável.O mesmo vale para drones, como quando uma marca de conserto de computadores decide utilizá-los para entregar brindes ou mesmo para entregar um computador já consertado. Algumas dessas estratégias ainda estão em teste e em versão beta, porém, já começam a chamar cada vez mais atenção e prometem algo muito promissor, por isso também merecem adesão.

Conclusão

Portanto, o live marketing é uma das poucas estratégias de publicidade que estão entre as mais antigas e, no entanto, continuam se renovando e prometendo grandes resultados. Com as dicas e informações trazidas acima, fica bem mais claro por que exatamente aderir esses recursos e como tirar deles o melhor resultado. Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content