Sua Página
Fullscreen

Martina Merz segue como CEO da thyssenkrupp

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

O Supervisory Board da thyssenkrupp AG decidiu prorrogar o contrato com Martina Merz, CEO da empresa, por mais cinco anos, com vigência de 1º de abril de 2023 a 31 de março de 2028.

Dr. Siegfried Russwurm, Chairman do Supervisory Board, destacou: “Em nome de todo o Supervisory Board, agradeço a Martina Merz pela abordagem resoluta para a transformação da thyssenkrupp. Estamos satisfeitos que a Sra. Merz tenha concordado em continuar a conduzir este processo de mudança em seu papel de CEO “.

Martina Merz assumiu a posição de CEO da thyssenkrupp AG em outubro de 2019. Antes disso, a executiva atuou como Chairwoman do Supervisory Board da companhia entre fevereiro e setembro de 2019.

Sobre a thyssenkrupp:

A thyssenkrupp é um grupo internacional composto por empresas industriais e tecnológicas independentes. O Grupo gerou vendas de €34 bilhões em 56 países no ano fiscal de 2020/2021. Sob uma forte marca de referência, nossos produtos e serviços contribuem com a criação de um futuro melhor e mais sustentável. A competência e o comprometimento de nossos mais de 101 mil colaboradores ao redor do mundo são a base do nosso sucesso. Com nossa tecnologia e inovação, trabalhamos com nossos clientes para desenvolver soluções de baixo custo e consumo eficiente de recursos para os desafios futuros. Nós combinamos a orientação aos resultados com a responsabilidade empresarial e social.

Desenvolvendo negócios na América do Sul desde 1837, a thyssenkrupp emprega cerca de 4.000 colaboradores na região nos segmentos automotivo, mineração, química e defesa naval. Na América do Sul, a empresa contabilizou durante o ano fiscal 2020/2021 um faturamento equivalente a R$4,8 bilhões.

Em 2012, a então Companhia Siderúrgica do Atlântico foi multada pelo Instituto Estadual do Ambiente e pela Secretaria de Estado do Ambiente em R$ 10,5 milhões, por emissão de material particulado, originado na produção de ferro-gusa. A siderúrgica foi também obrigada a investir R$ 4,5 milhões em obras na área rural e providenciar o plantio de 15 mil árvores na área urbana. Foi a quarta ocorrência dessa natureza, sendo as anteriores registradas em agosto de 2010, em dezembro de 2010 e em janeiro de 2011. Todas as multas e indenizações pagas pela empresa entre 2010 e 2012 totalizaram R$ 33,6 milhões.

*Com participação da jornalista Camila Alcova.

Última atualização da matéria foi há 5 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content