Sua Página
Fullscreen

Brasil está entre os países que mais confiam na IA

Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Um estudo desenvolvido pela KPMG Austrália, em parceria com a Universidade de Queensland, e divulgado pelo jornal digital Poder360, revelou que o Brasil ocupa a 4ª posição (56%) entre os países emergentes que mais confiam na IA (Inteligência Artificial),  atrás apenas da Índia (75%), China (67%) e Coreia do Sul (57%).

Segundo o levantamento, 50% das empresas brasileiras já utilizam IA, o que levou o país ao “top 3” dos mercados emergentes que mais empregam a inovação. China (74%) e Índia (66%) ocupam o primeiro e o segundo lugar, respectivamente.

“A IA tem o potencial de transformar a forma como os negócios são conduzidos, permitindo que empreendedores aproveitem dados em larga escala, automatizem tarefas repetitivas e tomem decisões mais informadas”, afirma Cristina Boner, empresária e profissional da área de tecnologia.

No Brasil, foram registradas mais de 21 milhões de empresas ativas entre janeiro e abril deste ano, como mostra o recente Mapa de Empresas, realizado de forma quadrimestral pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

Dentre as principais possibilidades de uso da IA no empreendedorismo, Boner destaca que a inovação é útil para automação de tarefas, análise de dados avançada, personalização e experiência do cliente e detecção de fraudes e segurança, além de otimização do marketing.

Apesar disso, na perspectiva da empresária, é preciso reconhecer que o uso de IA também apresenta desafios: “Questões éticas, como privacidade e viés algorítmico, devem ser consideradas e abordadas com cuidado”.

“Além disso”, avança Boner, “o investimento em ferramentas de IA pode ser significativo, especialmente para pequenas empresas e empreendedores individuais”, considera. Mais de 20 milhões (cerca de 93,7%) dos empreendimentos ativos no país são microempresas ou negócios de pequeno porte, ainda de acordo com o Mapa. 

Leia ou ouça também:  Sergio Borriello analisa Pernambucanas e varejo

Segundo o Atlas dos Pequenos Negócios de 2022, realizado pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), microempresas, pequenas empresas e MEIs (Microempreendedores Individuais) geram uma renda de R$ 420 bilhões ao ano, cerca de R$ 35 bilhões a cada mês.

Para mais informações, basta acessar: www.cristinaboner.com.br Cristina Boner (@cristina.boner)

Última atualização da matéria foi há 10 meses


Compartilhe este conteúdo com seus amigos. Desde já obrigado!

Facebook Comments

Espaço Publicitário:
* * * * * * * * * *
Voltar ao Topo
Skip to content
Verified by MonsterInsights