Thaís Borges: “A tecnologia está sempre se inovando”

 Thaís Borges

Thaís Borges é sócia e diretora comercial da Systax, uma das maiores empresas de inteligência fiscal do Brasil. Tendo superado muitos obstáculos para chegar em seu sucesso profissional, começou a trabalhar aos 14 anos, para ajudar em casa, além de ter o desafio de custear seus estudos. Naquela época, não tinha uma referência familiar de alguém com formação superior ou com uma carreira profissional bem-sucedida. Foi uma das primeiras e espelho para familiares. Thaís conta que sempre teve gestores e mentores que deram boas oportunidades de crescimento. Sempre gostou de trabalhar e se comprometeu ao máximo com tudo o que fazia. Tinha o sonho de ser mãe e descobriu que o trabalho sempre a realizou tanto quanto a maternidade. Para ela, “ser mãe é muito mais a qualidade da relação e o que você inspira, do que estar 24 horas em cima do filho, e explicar para eles a importância que o trabalho tem na minha vida foi o segredo para manter a harmonia em casa”, diz. Um dos momentos relembrados por Thaís foi quando a professora do filho mais novo contou a ela que ele pediu para os colegas procurarem seu nome no Google de forma bastante entusiasmada e com orgulho. Hoje, Thaís se sente realizada e compõe o quadro societário de uma das principais empresas de inteligência fiscal no Brasil, a Systax. “Entrei no projeto Systax ainda na empresa que deu origem ao projeto, desde seu nascimento”, afirma a executiva.

Thaís, como é ser uma liderança empresarial em meio aos desafios que são impostos para as mulheres?

Certamente, faço parte de um grupo muito seleto, por várias questões. Primeiramente, porque muitas mulheres entram na faculdade para atuarem na área tributária, mas não chegam em níveis mais elevados. Um levantamento feito pela Page Personnel no ano passado mostra bem a realidade. Muitas profissionais entrantes no cargo de analista, mas menos de 15% chegam à posição de liderança. Quando a avaliação contempla a questão cor, o número é ainda mais assustador. Mas apesar do desafio, sempre tive como lema que deveria me esforçar muito mais que as outras pessoas. Algo que trago das minhas raízes, devido ao posicionamento dos meus pais, como forma de proteção, por conta do preconceito que eu já sabia que enfrentaria… “ou estude e trabalhe mais que os brancos, ou não será ninguém”, e foi o que fiz, sempre buscando me destacar na escola e um esforço bem acima do normal no profissional, mesmo quando estava iniciando a carreira.

Apesar disso, essa necessidade de superação, do que eu nem sabia direito o que era, não foi motivo de desmotivação, muito pelo contrário. Não só pela carreira profissional, mas por conseguir superar os desafios para conciliar minha vida pessoal e profissional, diante de uma realidade cada vez mais competitiva e corrida, aprendi lidar bem com as renúncias necessárias sem me sentir culpada.

Quais os maiores desafios que encontrou até chegar na posição que ocupa atualmente?

Como sempre me predispus a “fazer mais”, isso requereu a disponibilidade do meu tempo e, principalmente depois da maternidade, fui muito criticada até mesmo por pessoas próximas. Sempre quis fazer a mais, na escola queria estar entre os melhores, e numa posição em que eu pudesse me destacar, ser citada pela professora. Lembro que minha mãe falava nas reuniões “sua professora falou que você é uma ótima aluna na frente de todos os pais”. Queria manter o status de ser comentada e, realmente, ser uma pessoa diferente. Sempre foi algo que trilhei e não me importava em estudar mais ou me esforçar mais. Após a maternidade, as críticas se intensificaram, no entanto, fui buscar ajuda para conciliar duas paixões que eram meu trabalho e a maternidade.

Não há como não comentar que já sofri inúmeros preconceitos. De colegas de trabalho e, até mesmo, por parte dos clientes. Me recordo do dia em que cheguei para uma reunião de fechamento de projeto e o cliente perguntou à Executiva da Conta “você não ia trazer sua diretora?”. Ou ainda ao sanar todas as dúvidas técnicas do cliente e mostrar para ele que eu tinha a solução que precisava ele disse: “que maravilha! Você pode vir aqui amanhã mesmo… Só falta você ser uma ‘loira gostosa’”. Entre vários casos, os quais eu poderia escrever boas páginas (Risos). Mas os desafios sempre foram um motor importante para me manter firme. Sempre usando essas situações como propulsores para o meu crescimento. Sempre mantive a resiliência, fingia que não era comigo e trazia meu contrato fechado para empresa.

Algo que julgo que é muito importante é não ter medo da exposição. Ao longo desses anos, sempre me esforcei e sempre deixei muito público tudo aquilo que fiz. Poderia estar errando, mas, mesmo errando, assumia meus erros. Quando você faz o seu melhor e não tem medo de se expor é muito interessante, porque as pessoas facilmente percebem e valorizam isso.

Penso que as mulheres ainda têm medo da exposição, é algo que sinto bastante e tento, de alguma forma, repassar a mensagem. Sou muito feliz com tudo o que eu vivenciei, principalmente porque isso vai ao encontro de um propósito que eu descobri, que é ajudar, desenvolver, capacitar para que as pessoas encontrem o seu melhor lado profissional. Ser exemplo é algo muito especial e importante para mim. Isso foi algo que aprendi dentro da minha casa, com meus filhos, o que eu pensava que era um sacrifício estar abrindo mão de estar com eles era, na verdade, uma forma de me verem diferente e guerreira. Meus filhos me enxergam como referência e isso é muito especial para mim.

Esses desafios lhe moldaram em que sentidos como mulher e executiva?

Com certeza os desafios me moldaram muito. Foram eles que me fizeram chegar aqui. Sou uma pessoa extremamente flexível e penso que sempre tenho que evoluir. Digo aos colaboradores da Systax que estamos em constante evolução. Não paramos. No meu caso, como tinha que me reinventar, mostrar diferencial, ia estudar e buscar conhecimento. Isso me molda hoje como pessoa, sempre estar buscando conhecer algo, ainda busco crescimento, conhecimento, e passo isso para os meus liderados, o que me ajuda na questão do propósito de desenvolver pessoas. O desenvolvimento pessoal dá flexibilidade, leveza e é muito importante.

Sempre gostei de trabalhar e fui extremamente dedicada e comprometida com tudo o que fazia e nunca tive problemas em trabalhar mais do que o horário proposto, mas algo que sempre foi um diferencial e que julgo ser o motor para meu sucesso é que, apesar de tudo, sempre fui corajosa e criei as minhas oportunidades sem dificuldade em me expor e assumir meus erros usando-os como gatilho de crescimento.

Como executiva, principalmente, julgo que a questão da inteligência emocional é um fator extremamente importante. Fiz psicanálise por 12 anos e foi transformador na minha vida, principalmente para minha autoconfiança. É, verdadeiramente, um diferencial, ao invés de você se olhar e se sentir inferior ao outro, algo que já nascemos, devido ao complexo de inferioridade, no meu caso pela origem humilde e questão racial. Algo que sempre fiz na minha vida foi dizer: se alguém consegue fazer, na honestidade, eu também consigo! Aprendi a confiar na minha capacidade. Trabalhei muito isso ao longo dos anos e passo isso para meus filhos, para pessoas que estão próximas a mim na minha vida pessoal, amigos, família, liderados, sócios… Isso é algo fundamental, que rege a minha vida.

Qual a importância dos mentores para a sua carreira?

São extremamente importantes. Conforme comentei, fiz psicanálise e essa psicanalista foi a grande mentora da minha vida. Até hoje uso palavras dela, que ficaram tão enraizadas e são verdade para mim. Também tive mentores que confiaram em mim antes mesmo de eu enxergar o potencial. Inclusive, duas mulheres que foram minhas líderes e referências na minha vida.

É essencial termos boas referências, porque o mundo é do tamanho da tela do seu radar. Se você não tem referência maior do que a sua casa e sua família, a tela do seu radar será bem pequena. Quando você tem referência, bons mentores, você amplia a tela do radar e enxerga possibilidades que você não conhecia. É muito comum as pessoas enxergarem desafios muito maiores do que são porque estão dentro dele. Agora, quem vê de fora, consegue enxergar com uma visão mais resolutiva. A mentoria é muito boa até por isso, ela te dá ideias e ajuda a ter mente resolutiva. Atualmente, tenho sido mentora para startups no projeto em que participo como investidora e conselheira, o Pool Ladies, em parceria com a Bossa Nova Investimentos.

Como conciliar o papel de mãe com outros que a vida vai apresentando ao longo da jornada?

A questão da maternidade na minha vida já foi motivo de terapia, acho que não tem uma mulher que não tenha ficado naquela dúvida de “e agora? O que faço?”. No meu caso, nunca tive essa opção. Quando decidi a maternidade já sabia que eu não teria a opção de não trabalhar. Ainda assim, como sempre, trabalhava bastante. Ficava na dúvida se apenas trabalhava ou esperava minha filha crescer para buscar algo a mais. Tem essa questão de se autocobrar, mas eu logo percebi, conforme eles foram crescendo, foi muito bacana porque comecei a ver o quanto eles se orgulhavam de mim. Ver isso foi um dos motores que me fizeram chegar até aqui. O olhar de orgulho deles.

Uma vez uma professora comentou que meu filho jogou no Google o meu nome e mostrou para um amigo uma matéria que contou com a minha participação. Isso foi um dos motores que me fez estar aqui hoje. Eu obviamente sempre trabalhei muito mais do que fiquei com as crianças, mas o tempo que eu tinha era um tempo superintenso. Sempre brinquei de carrinho, boneca, de desfile, de confeccionar roupa. Chegava em casa e brincava de esconde-esconde. Por muitos anos nós três brincávamos até o horário de irem dormir e, apesar de ser pouco tempo, esses momentos com eles foram muito intensos. Hoje, já divido isso muito bem na minha vida. Quando eles cresceram um pouquinho e percebi que eles tinham orgulho, isso foi, para mim, um motor.

Como a Systax surge em sua jornada?

Entrei no projeto Systax ainda na empresa que deu origem ao projeto, desde seu nascimento. Trabalhava em uma companhia do mesmo segmento há mais de 10 anos e soube dessa nova oportunidade. Quando entendi qual era a ideia dessa solução e o que ela poderia fazer, fiquei muito empolgada em fazer parte do projeto. Estavam estruturando uma base com milhões de informações tratadas para disponibilizar de forma prática e estruturada e, como eu já trabalhava nesse segmento e acompanhava os progressos tecnológicos do Fisco, sabia que as empresas precisariam de uma solução como essa. Eu já vendia soluções para a área fiscal e, apenas com a ideia do projeto, tinha certeza de que teríamos sucesso. É um mercado muito carente e com essa a inovação tecnológica que a área tributária passaria, não somente quanto às obrigações principais e acessórias, aumentando a exposição e risco dos contribuintes, o mercado ia requerer soluções muito mais tecnológicas que ajudassem no dia a dia da área fiscal. Esse projeto que me motivou a vir e iniciei a equipe comercial.

Hoje, já atuamos no Brasil todo. Temos escritório comercial em Recife e em Porto Alegre e, como imaginava, ao longo desses 11 anos, comprovamos que o mercado era carente de uma solução como essa. O projeto me encantou, tanto que até hoje toda essa base é um diferencial e foram surgindo várias formas de fazer uso desse acervo. É um insumo rico de muito trabalho, mais de 600 mil horas, e atende empresas de diversas áreas e várias necessidades da área tributária que, atualmente, é fomentadora de dados estratégicos para as companhias.

Até pouco tempo, a área fiscal era vista como um backoffice. Isso já não é mais realidade. Hoje, a questão tributária tem a ver com formação de preço, melhor forma de comprar, competitividade e conseguimos ser um insumo para essas empresas. Nossas ferramentas podem ajudar em diversas frentes, com a questão do uso das regras e dos cálculos dos tributos. Como gosto bastante do tema e muito dessa área, esse desafio foi bastante interessante justamente por atender um nicho de mercado totalmente novo. Até hoje é uma solução inovadora, tanto é que não tem nenhuma empresa que tem uma base tão extensa e importante como a da Systax.

Quais pilares da empresa vão de encontro com aquilo que você acredita pessoalmente?

São várias questões. Acho interessante que a empresa vai ficando a nossa cara. Vamos transformando. Como estou no projeto Systax desde o seu início, quando ele era ainda embrionário, ajudei a formar muito dos pilares da empresa hoje. Com o que acredito, creio que temos um compromisso muito sério com o cliente. Um grande pilar, que tem muito a ver com a minha vida e eu sempre replico isso, é a verdade e a transparência. Mesmo quando temos algum desafio em projetos, sempre ensinamos que as pessoas precisam ser transparentes. É um pilar muito importante que temos na Systax.

Uma outra questão é o respeito às pessoas, independentemente do nível, cargo, gênero, orientação sexual ou outros pontos. Inclusive, fizemos uma pesquisa interna e somos certificados pela GPTW, e um dos temas que fomos melhores citados foi a questão da diversidade. O respeito ao ser humano é um pilar muito importante que temos. Não importa quem é, o que a pessoa faça, não precisa nem ser nosso funcionário. Esses dias um sócio estava questionando a forma como o prédio estava tratando o portador que veio entregar correspondência – não era a forma ideal de se tratar uma pessoa. O pilar do olhar para o ser humano com respeito é algo muito importante e tem tudo a ver comigo.

Outro ponto é que a nossa solução está muito ligada com essa era de transformação que vemos na área tributária. Tax transformation é algo imprescindível e sempre estamos em busca de evolução nessa questão de tecnologia, para poder entregar o melhor ao cliente, o que tem de mais novo e moderno, em tecnologia, qualidade de informação, e isso está conectado comigo também. Sempre estou buscando mais conhecimento, inovando e repassando aos colaboradores essa questão.

O que norteia você como diretora comercial da organização?

A questão é que cada vez mais temos um cargo e não temos apenas execução naquela área. Sou diretora comercial e de Marketing, mas atuo muito não somente em todo o processo comercial, mas também nos projetos, definição e tratamento de algum conflito. Muitas vezes o cliente nos solicita para realizar reunião, ele coloca o problema e nos pede para darmos a solução. Como estou ligada e me atualizando com área de produtos, em muitos casos, consigo montar um plano para atender um “problema” colocado. Sou muitas vezes “resolvedora”. Criamos soluções para cada cliente. Às vezes crio solução e, no projeto, digo como tem que ser entregue. Fora que, como sou sócia da empresa, participo de algumas decisões estratégicas. A contratação de bons gestores para apoio também é importantíssimo. Hoje, tenho um time que me dá muito apoio. Estamos sempre desenvolvendo pessoas e preparando-as para assumirem a gestão.

Como a Systax está alocada em seu mercado de atuação?

A Systax é um dos principais players brasileiros de tecnologia para a área fiscal. Inclusive, nosso slogan aponta bem o objetivo da empresa: juntos por menos esforços e tributação mais inteligente. Acompanhamos diariamente as mudanças da Legislação Tributária e garantimos a atualização de parâmetros fiscais em diversos sistemas empresariais. Para realizarmos nossas atividades, contamos com uma base de dados que possui mais de 21,5 milhões de regras fiscais estaduais e federais – considerando ICMS, ICMS-ST, PIS, COFINS, IPI e outros. Importante mencionar que combinamos essas regras para gerar e monitorar mais de 2,5 bilhões de itens dos clientes. Temos atuação em todo o Brasil e sistematizamos a tributação de todos os segmentos econômicos em todas as Unidades Federativas!

Como ela tem passado por esse período turbulento?

Logo no início ficamos assustados, mas conseguimos deixar todo mundo em casa. Estamos todos em home office. Apesar desse período turbulento, crescemos no ano passado e estamos crescendo neste ano. A expectativa é de um crescimento ainda maior. O nosso segmento ainda não teve um impacto tão grande, porque nós, inclusive, ajudamos empresas a melhorarem os seus resultados. No momento em que todo mundo está em crise, muitas vezes é a hora de olhar e melhorar seus resultados. É o que fazemos, olhando questões tributárias, evitando exposição, ou vendo questão de buscas de crédito não aproveitados, para podermos buscar junto ao Fisco.

Como ajudamos em uma vertente que gera resultado para o negócio, estamos sendo bastante demandados. Obviamente, atuamos em uma área que não para; a tecnologia está sempre se inovando. Apesar da pandemia, está sendo muito bom e estamos conseguindo manter todo o time em segurança, em casa. Todos os trabalhos estão sendo entregues, os nossos clientes estão satisfeitos, estão entrando novos projetos. Temos bastante trabalho.

Quais os planos da empresa para 2021?

Nossos planos para este ano envolvem o investimento em capacitações para pessoas. Desde o ano passado já estamos investindo em capacitação e o lançamento de novas soluções. Estamos lançando duas soluções para o mercado, uma é bastante inovadora, voltada à questão de recuperação de crédito e novas funcionalidades que temos para nossas soluções. Temos dentro da Parametrização Fiscal a possibilidade de fazermos cálculo e comparação de preço para a área de compras. Então, investir em novas ferramentas e lançar soluções para o mercado é o que temos como meta e objetivos para 2021.

Compartilhar:
Voltar ao Topo
Skip to content