Nova fase do ecossistema digital de saúde Suprevida

Rodrigo Correia da Silva

A Suprevida, ecossistema digital que conecta consumidores a fornecedores de produtos, serviços e informações de saúde, fechou uma rodada de investimentos captando, num total, R$4 milhões e valuation de R$15,5 milhões. A startup dividiu a rodada em duas partes por conta da pandemia (uma em março de 2020 e outra em outubro de 2021) – a estratégia foi uma resposta ao momento inesperado: de um lado, o lockdown logo no primeiro mês da captação fez com que as fontes de investimento se fechassem para avaliar os impactos da Covid-19 e, de outro, a demanda e interesse de compradores e vendedores em participar do ecossistema, que teve enorme aceleração pelo mesmo contexto pandêmico. A captação sustenta o projeto de criação de acesso e empoderamento a consumidores e teve como foco a Diversidade de Captable, com perfis complementares para contribuição além da financeira, e cuja última etapa foi um crowdfunding com o Kria. O sistema de equity crowdfunding, que permite a investidores comuns a possibilidade de investir em PMEs e startups, veio de encontro ao desejo da empresa de democratizar esse aporte. “Foram mais de 100 investidores por meio do Kria. Essa comunidade diversificada forma um grupo grande e engajado de apoiadores da startup que podem ser embaixadores da marca, trazer insights através de sugestões, pesquisas, grupos de discussão. O próprio Kria também é nosso investidor e, portanto, traz toda a bagagem”, afirma Rodrigo Correia da Silva, CEO e fundador da Suprevida.

Rodrigo, em 2018 entrevistamos você como advogado. Quando surge a Suprevida em seu caminho?

É verdade e muito bom voltar a conversar nesta nova etapa.

Como advogado atuei em tecnologia, saúde e franchising setores próximos do que é a Suprevida.

O Sistema de Saúde também se tornou um objeto importante de estudo acadêmico ao longo de toda a minha vida tanto pela sua importância, quanto pelas suas deficiências.

Em 2018 meu pai teve câncer de intestino e se tornou ostomizado. Vi muito de perto a dificuldade das pessoas quanto chegam em casa precisando de informações sobre o novo dia a dia, cuidados domiciliares e produtos especiais não vendidos em drogaria. Foi impossível não se sensibilizar pelos milhões de brasileiros que sofrem com a falta de acesso nesse momento da jornada de saúde, pois, as instituições são mais focadas nos momentos agudos.

Para mim o impulso de agir mais diretamente do que vinha fazendo através da advocacia foi insuportável. Peguei todo o conhecimento e vivência acumulada e apliquei na concepção da Suprevida para atacar uma dor pouco evidente, mas mais impactante do setor saúde, a ineficiência das transações que gera altos custos, desperdício, má alocação de recursos e falta de acesso.

A Suprevida é um HUB que aplica transparência, tecnologia e serviços gerando confiança e transações eficientes com mais acesso para todos.

Começamos com informação acessível, serviços de profissionais liberais e produtos médicos especiais, mas a ambição é muito maior.

O que a Suprevida tem que vai de encontro com aquilo que você acredita como profissional?

Creio que a motivação para mim, vem de algumas crenças muito fortes.

Acredito que a verdadeira realização profissional é o impacto gerado nos ambientes em que atuamos. Esse impacto pode ter impacto social mais positivo em ambientes com maior carência.

Também vejo a iniciativa provada como a fonte principal de recursos e disrupção nas sociedades modernas independentemente do sistema político, no entanto, a criação de uma estrutura e incentivos adequados é que direciona esses recursos e impulso inovador para o interesse social.

Defendo e busco integralizar isso nas minhas atividades, seja dando aula no MBA da FGV, atuando como advogado, palestrando, escrevendo e agora construindo uma estrutura para que os agentes econômicos sejam incentivados a dar mais acesso à saúde para as pessoas que é o propósito fundamental.

Quais os grandes pilares da empresa?

Nosso principal pilar e primeiro valor é a compaixão, entendida como a empatia em ação. A verdadeira, constante e perseverante atuação proativa para ajudar.

Isso se revela em nossa atividade como equipe, nos produtos que desenvolvemos, nossa postura perante nossos usuários, parceiros e todos os públicos com os quais nos relacionamos.

A expressão disso com objetivo de gerar impacto exponencial se dá no crescimento da própria empresa ao realizar seu objeto social.

Nossa missão como disse é gerar transações eficientes dentro de nosso ecossistema e nosso propósito é ajudar as pessoas que mais precisam a ter meios para viver feliz atingindo todo o seu potencial nos momentos de saúde que se apresentem.

Como ela está situada em seu mercado de atuação?

A Suprevida é o primeiro ecossistema de transações de produtos médicos, informação de saúde e cuidados profissionais do Brasil e até onde sei do mundo.

Você acredita que as healthtechs estão fazendo uma revolução?

Sim, não tenho a menor dúvida de que a aplicação de tecnologia e serviços que as healthtechs trazem é o caminho para reduzir as muitas deficiências do setor saúde da maneira exponencial que um país continental, diverso e populoso como o Brasil. Vejo também que a entrada de novos agentes disruptivos com capacidade de postergar a lucratividade em um setor tradicionalmente averso as novidades já vem mobilizando inclusive os participantes mais tradicionais e se tornarem inovadores para se posicionar frente aos novos desafiantes.

Tudo isso é sim uma revolução, muito necessária e positiva.

Qual seria o papel da Suprevida nesse ecossistema revolucionário?

Ser um centro de gravidade e uma alavanca. A Suprevida é um ambiente de confiança em que as transações têm alcance nacional, são rápidas, seguras, convenientes, e, portanto, de baixo custo para os envolvidos, o efeito é exponencializar oferta e mercado para ofertantes de todos os portes e ampliar o acesso para todos os potenciais usuários que transitem virtualmente nesse ecossistema.

Quais os principais serviços do marketplace?

Hoje para nossos sellers de produtos somos uma solução turn key full service, ou seja, se conectando na Suprevida imediatamente começam a vender sem acrescentar custos, pois, todos os serviços de varejo na internet são feitos pela Suprevida, incluindo SAC, Marketing, logística, pagamento, financiamento e tudo mais. Para os profissionais liberais provemos uma maneira estruturada e gratuita de ofertarem seus serviços para potenciais clientes. Para as pessoas de todo o Brasil provemos uma forma conveniente de adquirir produtos médicos não disponíveis em drogarias ou de contratar profissionais de cuidados.

Posso dizer pelo nosso trafego que para os países de língua portuguesa provemos muita informação orientativa gratuita seja por autoserviço lendo na internet, seja contatando nosso Serviço de Atendimento por profissionais de enfermagem.

Como a Suprevida tem se saído durante a pandemia?

Do lado da oportunidade tivemos um aumento muito grande de demanda dos compradores e de interesse por parte de atacadistas que ainda estavam longe do comércio eletrônico. Do lado dos desafios temos lidado com os problemas de suprimento e logística que afetam todas as empresas conectadas as cadeias internacionais de suprimentos, pois, muitos produtos médicos especiais são importados.

Quais os parceiros da empresa nessa empreitada?

Posso dizer que temos literalmente centenas de parceiros, nossos sellers de produtos, os profissionais que ofertam seus serviços, os investidores da Fea Angels, Insper Angels, comunidade Kria e Kadmotek VC, os fornecedores que integramos na nossa solução tecnológica proprietária, nossos usuários e especialmente o time da Suprevida que é maravilhoso e incrivelmente engajado.

Como está sendo o preparo da Suprevida para novos investimentos?

Fizemos uma ampliação de posicionamento estratégico que já está refletida aqui e um reposicionamento de postura da marca expondo mais nossa característica Health que vinha sendo sobreposta pelo Tech. Estamos em faze de revisão de plano de negócios para refletir essas mudanças.

Esse seria o passo mais audacioso da healthtech neste ano?

Creio que nossa audácia é trazer uma nova forma de fazer negócios neste setor tão tradicional. Os lançamentos de produto, avanços de mercado, etc, sempre trazem essa característica sendo então uma sobreposição de audácias. Nossos atuais e futuros investidores vem esse valor e se tornam parte desse movimento, então o passo audacioso não seria receber novos investimentos, mas sim o que vamos construir com esses recursos e isso ainda não posso dizer.

Compartilhar:
Tags:
Voltar ao Topo
Skip to content